Coronavírus: quando algo negativo traz algo muito positivo

Coronavírus: quando algo negativo traz algo muito positivo

Pub

 

 

O efeito COVID-19, no que diz respeito às prioridades da vida, veio em muito mudar a nossa mentalidade e a forma de estar. Podemos dizer que esta mudança é visível nas diversas áreas da nossa vida.

Um vírus com uma taxa de letalidade elevada, devido à sua rápida propagação de contágio, transformou todo a vida do nosso planeta, desde as pessoas, ao modo de atuação dos governos, às Economias, as áreas da Saúde, até influenciando as alterações climáticas.

Ora, vejamos isto de uma forma esquematizada: após a rápida propagação do vírus de forma incontrolável, entre as diversas medidas que se tomaram, a medida de quarentena obrigatória ou não, estando infetado ou não, fez com que as pessoas ficassem em casa com as suas famílias.

Hoje o Ser Humano, habituado a perder a sua maior parte do tempo no trabalho, mudou de forma radical este paradigma. Hoje, devido a este vírus, o Ser Humano, tem o privilégio de estar com a sua família, de aproveitar o crescimento dos filhos, de cuidar dos seus entes queridos que tanto necessitam nesta altura. E o facto é que toda a gente se sente melhor nesta situação. Hoje consigo estar com a minha família mais horas, ser um melhor companheiro para a minha esposa, ser um pai mais dedicado ainda para com os meus filhos. A prioridade deixou de ser o trabalho,  não esquecendo que o dinheiro nos faz falta para pagar as contas, mas a sensação que tenho neste momento é indescritível.

Saúde

No setor da Saúde, temos hospitais a colaborar entre eles como nunca, pessoal da área de saúde a colocar em risco a sua vida pelos outros, usando e abusando das suas forças para conseguir acompanhar todos os casos infetados pelo vírus, e ao mesmo tempo cuidando de casos com outras patologias. Há uns meses a classe médica e de enfermeiros era massacrada, hoje são heróis como nunca deveriam de ter deixado de ser. Este vírus ensinou-nos também em particular a ter mais cuidados de higiene, o exemplo de lavar mais vezes as mãos, de como o fazer, de evitar tocar em objetos propagadores de vírus, entre outros. A nossa mentalidade mudou também nesta área. Hoje sabemos que andamos de máscara se estivermos doentes para salvaguardar quem nos rodeia.

Educação

Na Educação, assistimos ao fecho das escolas, à divulgação do ensino pela via das novas tecnologias, usando as plataformas de E-learning, as videochamadas, exames online, etc. O efeito que este  vírus causou, veio no fundo mostrar o que pode ser o nosso ensino no futuro. A era da digitalização está já aí na porta ao lado, temos de entrar nela.

Banca

Na Banca, tantas vezes preocupada com a alteração para o Mundo Digital, com as suas plataformas de “Home Banking”, sempre preocupados em instruir os seus clientes para utilizarem a via digital, podem neste momento de um modo generalizado ver os seus clientes efetivamente a recorrerem à via digital. Queriam preparar o futuro, e ele chegou pela pior via possível, mas chegou.

Ambiente

Ao nível das alterações climáticas, hoje o Planeta Terra, está mais limpo na sua atmosfera. Muito devido ao reduzido tráfego automóvel, tráfego aéreo, que nesta altura estão a trabalhar de uma forma muito reduzida. Até aqui nesta questão o clima tem um dano colateral, mas positivo. Hoje respiramos melhor oxigénio na nossa atmosfera, temos mais qualidade de vida.

Economia

E por fim falo das Economias, e aqui as coisas revelam-se negativas… A paragem das economias, através das medidas de contingência, com ou sem Estados de Emergência ou Calamidade Pública, irá causar muito prejuízo financeiro em todas as economias. O comércio fechado, as linhas de produção paradas, as pessoas em casa sem gastar dinheiro… Que cenário “Dantesco” se avizinha. A tão apregoada almofada financeira que algumas economias detinham pode-se esvair neste momento, criando novo défice nas economias mais fracas.

Consumo

Mesmo nas compras, os consumidores deixaram de ser tão supérfluos… Neste estado de quarentena, preocupam-se mais com os bens alimentares de primeira necessidade, do que pelos restantes. O Bem-estar das famílias é a prioridade também ao nível da alimentação. Até o paradigma da compra se transformou.

Os hábitos de consumos alteraram-se substantivamente, ao nível de todas as áreas de comércio. Os hábitos sociais idem aspas.

Preservar a família

Mas depois destas alterações, mesmo sabendo os custos económicos que daí possam advir, como nos sentimos nós? Eu sinto-me melhor e não tenho receio de o dizer. Sei que tenho de trabalhar, sei que tenho de assumir as minhas responsabilidades, mas uma coisa é certa, vou redefinir as minhas prioridades. O trabalho não é tudo, preservemos quem nos rodeia, aproveitemos a nossa família, pois um vírus pode dar cabo de tudo de um momento para o outro e de uma forma rápida e letal.

As prioridades estavam trocadas, agora é arranjar um meio de as alterar e interligar com a responsabilidade da nossa vida laboral.

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público: diário digital generalista de âmbito regional, independente e pluralé gratuito para os leitores. Acreditamos que a informação de qualidade, que ajuda a pensar e a decidir, é um direito de todos numa sociedade que se pretende democrática.

Como deve calcular, a Vila Nova praticamente não tem receitas publicitárias. Mais importante do que isso, não tem o apoio nem depende de nenhum grupo económico ou político.

Você sabe que pode contar connosco. Estamos por isso a pedir aos leitores como você, que têm disponibilidade para o fazer, um pequeno contributo.

A Vila Nova tem custos de funcionamento, entre eles, ainda que de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta e plural.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo – a partir de 1,00 euro – sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, poderá receber publicidade como forma de retribuição.

Se quiser fazer uma assinatura com a periodicidade que entender adequada, programe as suas contribuições. Estabeleça esse compromisso connosco.

Contamos consigo.

*

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Obs: Envie-nos o comprovativo da transferência e o seu número de contribuinte caso pretenda receber o comprovativo de pagamento, para efeitos fiscais ou outros.

*

Pub

Categorias: Crónica, Sociedade

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.