Autarquia dá a conhecer Arboreto Municipal

Primavera | Esposende assinala Dia da Árvore

Primavera | Esposende assinala Dia da Árvore

 

 

Assinala-se hoje, 21 de março, o Dia da Árvore e, apesar das contrariedades decorrentes da pandemia provocada pela Covid-19 (SARS-CoV-2), que obrigou à implementação de um Plano de Contingência municipal, Esposende quis dar a conhecer que o concelho vai ter um Arboreto Municipal.

Neste Dia da Árvore, o Município de Esposende quer deixar uma mensagem de esperança, verde como a Floresta. “Queremos lembrar as cerimónias que marcavam este dia e projetar no tempo a mensagem, porque logo que possível retomaremos as atividades, incluindo a apresentação do Arboreto Municipal. Mas até lá, relembramos que as queimas e queimadas se encontram completamente interditas”.

O projeto do Arboreto Municipal remonta a 2014, reunindo uma coleção arbórea de 50 talhões com diferentes espécies florestais, materializando as boas práticas florestais e ambientais que o município preconiza.

De facto, a autarquia pretende que este espaço seja um foco positivo para a biodiversidade, numa parcela com 2,7 hectares, pertencente à autarquia que passará a ter uma gestão ativa de combustível.

“O Plano Ambiental para Esposende é vasto. Ocorrerá diminuição do risco local de incêndio florestal, decorrente do aumento da resiliência do território. Este será um espaço florestal de uso múltiplo, para fruição e visitação por diferentes públicos-alvo, onde decorrerão atividades de sensibilização florestal a proprietários de terrenos florestais e de sensibilização ambiental à comunidade escolar”.

Este espaço será também um pequeno laboratório para se avaliar o crescimento das diferentes espécies, monitorizando os índices de humidade e biodiversidade de cada setor.

A Câmara Municipal lembra que a atual legislação – DL n.º 124/2006, de 28 de junho – obriga a que o pinheiro-bravo e o eucalipto sejam afastados das edificações, aglomerados habitacionais e polígonos industriais, levando a uma desarborização intensa. As espécies escolhidas para o projeto poderão ser utilizadas em substituição à que a lei determina o abate.

“O projeto das cortinas pára-fogo não chegou a ser efetivamente implementado no terreno. Entre as várias condicionantes, contribuiu igualmente a publicação da lei que inviabilizou a implementação das cortinas nos locais inicialmente previstos. Assim, surge a oportunidade de se implementar no terreno o princípio das cortinas pára-fogo, tal como foi inicialmente previsto, mas com outra localização.

A atual situação, que alterou a vida de todos, veio adiar a inauguração deste espaço. Mas, assim que possível, será marcada.

A cor da Floresta é o verde, a mesma cor da Esperança”.

Fonte e Imagens: Município de Esposende

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à sua manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária via netbanking ou multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Categories: Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.