Domingos Bragança: ‘Conto convosco’

Coronavírus | Guimarães reforça medidas de Saúde Pública

Coronavírus | Guimarães reforça medidas de Saúde Pública

Pub

 

 

No seguimento de medidas anteriormente tomadas, com efeitos a partir do próximo dia 16 de março, segunda-feira, Guimarães adota medidas adicionais para mitigar a propagação do coronavírus responsável pela Covid-19.

Assim, e desde logo, nos serviços autárquicos, entram em vigor:

– Encerramento do atendimento presencial ao público no Balcão Único de Atendimento (BUA). Permite-se a entrega de documentação em espaço próprio junto do BUA e salvaguarda-se o atendimento da Ação Social de caráter urgente. Para outros assuntos, os munícipes deverão recorrer ao contacto telefónico (253 421 200), ao e-mail ou ao Balcão Virtual, serviços que serão reforçados nesta fase.

– Encerramento do Espaço de Cidadão do Município, recomendando-se às Freguesias a adoção da mesma medida.

– Encerramento do atendimento presencial no Espaço Empresa (sito na Plataforma das Artes).

– Encerramento da Loja Ponto Já.

– Encerramento do Welcome Centre na Rua Paio Galvão.

– Encerramento do Posto de Turismo da Praça de Santiago.

– Encerramento do terrado do Mercado Municipal a vendedores não diários.

– Encerramento do Mercado das Antiguidades e da Segunda Mão.

– Encerramento de todos os parques infantis municipais.

– Encerramento de todos os equipamentos desportivos e de lazer instalados nos parques públicos, devendo as Freguesias atuar da mesma forma nos parques públicos que se encontrem sob sua gestão.

– Desativação de todos os bebedouros públicos, recomendando-se às Freguesias a adoção da mesma medida.

– Suspensão do pagamento em parcómetros e parques de estacionamento explorados diretamente pelo Município ou pela empresa municipal VITRUS Ambiente.

– Limitação do horário de funcionamento dos cemitérios municipais, passando a ser das 8h00 às 13h00, recomendando-se às Freguesias a adoção da mesma medida.

– Redução do horário de funcionamento da galeria da Estação Central de Camionagem, que passa a ser das 7h00 às 20h00, mantendo-se o acesso exterior aos cais de embarque.

– Nos serviços considerados não essenciais, nos termos do Plano de Contingência do Município de Guimarães, as respetivas Unidades Orgânicas adotarão as medidas indispensáveis à continuidade das suas atribuições com recurso tão generalizado quanto possível a trabalho não presencial.

– As empresas municipais, cooperativas e outras entidades onde o Município de Guimarães detém influência dominante, devem adotar medidas de organização de trabalho, com base nas determinações adotadas pelo Município.

– Apesar do encerramento das escolas, manter-se-á a disponibilização do almoço aos alunos carenciados, em moldes que serão comunicados nas primeiras horas do dia 16 de março.

– Reforço do apoio a pessoas vulneráveis, principalmente aos mais idosos.

Medidas adicionais revelam-se indispensáveis

Estas medidas extraordinárias acabam de ser divulgadas em comunicado emitido pela autarquia e assinado por Domingos Bragança, o presidente da respetiva Câmara Municipa, considerando que, neste momento, a situação da COVID-19 é diferente daquela que norteou as decisões tomadas a 11 de março. “O quadro epidemiológico, já classificado como pandemia, e o aumento do número de casos confirmados no Norte do País são motivo de preocupação acrescida, agravando um quadro já por si complicado. A evolução verificada nos últimos dias aponta para a entrada de Portugal numa fase de crescimento exponencial, o que dita a necessidade de adoção de medidas suplementares que visam, acima de tudo, abrandar o ritmo de propagação do surto, única forma de assegurar que o Sistema Nacional de Saúde mantém a capacidade de tratar os casos mais graves”, lembra Domingos Bragança, o presidente da Câmara Municipal de Guimarães.

As medidas seguem-se a um primeiro conjunto de limitações já definidas no sentido de conter a epidemia e que haviam sido tomadas com base nas orientações da Direção-Geral de Saúde e depois de ouvida a Comissão Municipal de Proteção Civi e a um pacote de medidas tomadas  pelo Governo de Portugal na noite de 12 de março.

Nesse primeiro momento, Guimarães havia decidido encerrar, com efeitos imediatos e até 5 de abril, todos os equipamentos culturais (Biblioteca Municipal Raul Brandão e respetivos polos, Centro Cultural Vila Flor, Casa da Memória de Guimarães, Centro Internacional das Artes José de Guimarães, Loja Oficina e Curtir Ciência – Ciência Viva de Guimarães), os pavilhões Multiusos e INATEL e Academia de Ginástica e os pavilhões escolares a uso externo. Foram também suspensos todos os eventos, atividades e projetos municipais de grande escala, nomeadamente as feiras e visitas de lazer, turismo ou âmbito cultural ao edifício da Câmara Municipal.

Entretanto, todos os dias, será efetuada uma reavaliação da situação, o que permitirá corrigir as medidas de prevenção, seja através da ampliação do âmbito das restrições, da alteração do caráter das medidas já implementadas ou da sua supressão, bem como do alargamento do período de vigência para além do dia 5 de abril.

Domingos Bragança: ‘Conto convosco’

“A Câmara Municipal de Guimarães ficará alerta às necessidades emergentes que venham a ser sentidas pela população, designadamente pelos mais frágeis ou desprotegidos, e disponível para acorrer a tais situações com a máxima celeridade e adotando os cuidados que a situação impõe no sentido de proteger tanto os cidadãos como os agentes públicos envolvidos”, refere ainda Domingos Bragança, deixando uma palavra de conforto e esperança.

Relembrando também a necessidade da ajuda de todos para a ultrapassagem desta grave situação, Domingos Bragança exorta “toda a população a observar permanentemente uma atitude responsável, cumprindo com rigor as recomendações emanadas pelas autoridades de saúde. Sem um comportamento individual e social responsável e solidário, todas as medidas que as autoridades públicas possam tomar serão insuficientes e as consequências dramáticas”.

Fonte e Imagens: Município de Guimarães

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.