Artecouro e Eugénia Calçada apresentam os seus produtos no Mês do Romance vilaverdense

Tradição | Lenços dos Namorados inspiram produção de artesanato contemporâneo

Tradição | Lenços dos Namorados inspiram produção de artesanato contemporâneo

Pub

 

 

A programação ‘Fevereiro, Mês do Romance’, a decorrer em Vila Verde,  já vai longa e está quase a terminar, mas continua a surpreender o público com novas e ternurentas linhas de produtos Namorar Portugal. Ontem, 27 de fevereiro, ficámos a conhecer duas novas coleções, entre as quais as de Jacinto Teixeira, da Artecouro, que apresentou novas propostas de calçado, porta-lápis e porta-moedas inspirados nos motivos dos Lenços de Namorados, e Maria Eugénia Calçada que deu a conhecer a Bia Inclusiva, projeto no qual teve o apoio de Luísa Barros. A nova linha da Bia Portuguesinha consiste em bonecas que retratam pessoas com incapacidade e/ou deficiência, bem como t-shirts para sensibilizar para a diferença e promover a inclusão.

O Espaço Namorar Portugal voltou a ser palco das apresentações de dois parceiros que já conhecem bem a casa. Jacinto Teixeira foi de Guimarães e levou para a Namorar Portugal trabalhos em couro com peças originais em que pontuam bordados com o colorido típico dos Lenços de Namorados. “O calçado é um complemento da linha que já tinha apresentado, temos vários modelos confortáveis, além de porta-lápis e porta-moedas”, explicou.

O responsável pela Artecouro afirmou que “ao longo do ano são acrescentados produtos à coleção como forma de engrandecer a Namorar Portugal”. Terminou elogiando a marca e a população de Vila Verde, que contribuem para o seu sucesso.

A segunda apresentação da manhã foi conduzida por Maria Eugénia Calçada que teve a ideia para a nova linha após ter começado a trabalhar com pessoas com deficiência ou incapacidade. “Estou a fazer isto desde o início de 2019 e foi o conhecimento no terreno que me deu esta ideia de criar a Bia Inclusiva, com a ajuda da minha parceira Luísa”, contou.

O principal objetivo é “vender muitas t-shirts para apoiar financeiramente o maior número de associações”. Para começar, parte da receita vai reverter a favor da associação Pais em Rede, que visa reforçar a autonomia e apoiar as famílias de pessoas com algum tipo de incapacidade. Por sua vez, Luísa Barros afirmou que teve muito gosto em participar num projeto que lhe diz muito e que “a inclusão é abrir mentalidades para a questão da deficiência, espero a colaboração de todos”.

De seguida, Maria Clara Costa falou em representação da Pais em Rede, que conta com núcleos espalhados por todo o país. Relevou que a associação “apoia a 100 por cento o projeto Bia Inclusiva por se tratar de um excelente artefacto para divulgar e sensibilizar para a inclusão”. É considerado também “um excelente material para trabalhar pedagogicamente em escolas e lares a questão da sensibilização da comunidade para a inclusão”.

A vereadora da Cultura do Município de Vila Verde, Júlia Fernandes, marcou presença na apresentação e deixou uma palavra sobre a importância da inclusão, referindo que “a marca Namorar Portugal e a programação do Mês do Romance têm uma grande preocupação com esta questão, contando com a participação recorrente de várias instituições, nomeadamente a APPACDM”.

Para finalizar, dirigiu um agradecimento ao público que preencheu o espaço Namorar Portugal e incentivou os presentes a visitarem mais vezes o ‘quartel-general’ da marca, situado na Casa do Conhecimento. “Temos aqui uma forma de dar presentes diferentes, porque estamos a dar amor, uma vez que se inspiram nas escritas ternurentas dos Lenços de Namorados”, concluiu.

Fonte e Imagens: Município de Vila Verde

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.