Obra de ficção científica foi rodada na cidade

Cinema | Joaquim Pavão apresenta ‘Sculp Sonhos’ no MIEC de Santo Tirso

Cinema | Joaquim Pavão apresenta ‘Sculp Sonhos’ no MIEC de Santo Tirso

Pub

 

 

O Museu Internacional de Escultura Contemporânea (MIEC) de Santo Tirso inaugura esta sexta-feira, 7 de fevereiro, pelas 21h30, a exposição “Projeto Sculp Sonhos”, sobre o filme “Sculp” do realizador Joaquim Pavão. Esta será a primeira oportunidade para o grande público ver o filme rodado em Santo Tirso.

Sculp é uma obra cinematográfica de Joaquim Pavão criada em torno das esculturas do acervo do Museu Internacional de Escultura, a partir da qual é construída uma narrativa distópica onde, num contexto de luta pela sobrevivência humana no planeta Terra, o livre arbítrio da maioria dos seres humanos é substituído pela “vontade correta” instituída por um pequeno grupo e comunicada a cada indivíduo por uma voz gerada num sistema algorítmico.

Joaquim Pavão descreve a obra como “uma visão de um possível futuro”, “um mote para a interrogação”, “de caráter artístico mas também de ficção científica”. Toda a componente musical de Sculp ficou a cargo de Óscar Flecha, um dos mentores do Festival Internacional de Guitarra de Santo Tirso.

A primeira versão do filme, que deverá chegar às salas de cinema em fevereiro de 2021, poderá ser vista a partir desta sexta-feira, e até dia 1 de março, na sede do Museu Internacional de Escultura Contemporânea. As sessões decorrem de terça a sexta-feira às 10h00, 14h00 e 16h00, sábado e domingo às 15h00 e 17h00. A exposição inclui ainda todos os figurinos utilizados, bem como uma seleção de “artboard” do filme.

Joaquim Pavão foi, recentemente, galardoado em Nova Iorque. “Antes que a noite venha – Falas de Antígona”, que o realizador criou durante o “Creative Film Workshops”, do Festival Internacional de Cinema AVANCA, alcançou quatro distinções no “Red Carpet Film Awards”.

Fonte e Imagens: Município de Santo Tirso

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Agenda, Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.