Programa continua a crescer após 4 anos de sucesso

Ensino | ‘Acompanhar’ chega a mais de 900 jovens famalicenses

Ensino | ‘Acompanhar’ chega a mais de 900 jovens famalicenses

 

 

O Programa Acompanhar, promovido pelo Município de Vila Nova de Famalicão, já chega a 6% da população estudantil em idade de escolaridade obrigatória. No corrente ano letivo – 2019/2020 -, o número de jovens envolvidos, com idades compreendidas entre os 6 e os 19 anos de todos os estabelecimentos de ensino do concelho, ultrapassa 940.

Desenvolvido no quadro dos programas educativos municipais famalicenses, o Programa Acompanhar insere-se no âmbito da promoção das competências sociais e emocionais da comunidade escolar. Leonel Rocha, o Vereador de Educação, assinala o sucesso do programa nos últimos 4 anos e acrescenta que “o Acompanhar complementa a resposta que as escolas dão aos alunos em dificuldades ou que não têm outro tipo de respostas de capacitação”. Salienta ainda a adesão cada vez maior das escolas a respostas pedagógicas inovadoras centradas no processo e menos no resultado e integra o Programa Acompanhar como uma delas com mais expressão no território famalicense.

Em 2018/2019, foram envolvidos neste programa 824 alunos em pelo menos 30 horas de capacitação e programas de tutoria de pares e mentoria de inclusão inteligente, com uma taxa de sucesso educativo de 98,1%.

Neste ano letivo, do total de 824 alunos envolvidos, 191 apresentavam pelo menos duas retenções, sendo que a maior parte deste grupo são alunos a frequentar Cursos de Educação e Formação, Curso Profissionais e Percursos Alternativos de Formação. Os números são ainda mais significativos se tivermos em conta que cerca de metade – 417 – estavam em situação de risco, incluindo o risco de abandono escolar.

Destaca-se o envolvimento de 67 jovens que assumem a qualidade de Tutores de Pares, que são jovens facilitadores de processos de inclusão inteligentes que com a sua experiência auxiliam os mentores no processo de capacitação e inclusão de jovens em risco. Metade destes jovens são provenientes do próprio Programa Acompanhar e já se encontram a frequentar o Ensino Superior ou a concluir o Ensino Secundário e têm servido como jovens modelo enquanto tutores de pares devido ao seu percurso de sucesso educativo e social.

‘Acompanhar’ é aplicado desde há 4 anos

Nos últimos 4 anos, o Programa mediu os níveis de envolvimento dos alunos com a escola e pelo quarto ano consecutivo o envolvimento escolar total melhorou.

Numa escala que vai de 0 a 4, em 2015/2016 o resultado centrava-se nos 2,96. Em 2016/2017 evoluiu para os 3,015. Em 2017/2018 para os 3,04 e em 2018/2019 centrou-se nos 3,12. É pois possível verificar que de uma forma global o Programa Acompanhar tem permitido a melhoria progressiva dos índices de envolvimento escolar dos alunos abrangidos.

O nível de envolvimento dos alunos com a escola é um dos principais preditores do abandono escolar, uma vez que o abandono escolar tem vindo a ser conceptualizado como um processo, mais do que um resultado. Foram avaliadas duas dimensões: a escala de Envolvimento Escolar Cognitivo que avalia componentes do envolvimento escolar mais internos, como a autorregulação, relevância do trabalho escolar para o futuro, os objetivos pessoais e autonomia; e a escala Envolvimento Escolar Psicológico que avalia os sentimentos de identificação e pertença e relação com os professores e com os pares.

Direção-Geral de Educação elogia o programa

Identificada em 2018 como boa prática a replicar pela Direção-Geral de Educação, o Programa Acompanhar alargou a sua ação durante o corrente ano letivo a mais parceiros sociais, sendo que a atual Rede do Programa incorpora mais de 23 parceiros desde estabelecimentos de ensino, IPSS, cooperativas, organismos públicos e associações juvenis. Articula a sua ação com o Projeto Eurobairro nas intervenções juntos dos Complexos de Habitação Social do concelho de Famalicão.

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Categories: Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.