Contextile realiza apresentação internacional da Bienal 2020

ITV | Presença forte de Guimarães na Heimtextil (maior certame mundial de têxteis para o lar e hotelaria)

ITV | Presença forte de Guimarães na Heimtextil (maior certame mundial de têxteis para o lar e hotelaria)

Pub

 

 

A Heimtextil, na Alemanha, é conhecida mundialmente como o maior expositor de produtos têxteis para o lar e hotelaria e em 2020 volta a ter uma grande representatividade pela parte das empresas de Guimarães. Num total de 78 empresas portuguesas neste certame, que decorreu entre 7 e 10 de janeiro, mais de metade são oriundas de Guimarães, território onde se concentra o grosso da indústria dos têxteis-lar no nosso país, num total de 43.

As empresas do projeto “Guimarães Marca” estiveram presentes em grande número: AC Limpex, AllCost, Apertex, António Salgado & Ca, Be Stitch, Chrisometex, Crispim Abreu, Domingos de Sousa & Flhos, Sampedro , Fábrica de Tecidos do Carvalho, Lameirinho, Lumatex, Mi Casa es Tu Casa, Lasa, Moretextil, Neiperhome, Pereira & Freitas, Rosacel, Vital Marques Rodrigues, J. F. Almeida, Têxteis Leiper, Têxteis Penedo, Traços Singelos e Villafelpos.

Em representação do Município de Guimarães, acompanharam a delegação à Heimtextil o Vereador da Divisão de Desenvolvimento Económico, Ricardo Costa, e a Chefe de Divisão, Marta Mota Prego, tendo também visitado o certame, dada a relevância do evento, o secretário de Estado da Economia, João Correia Neves, que ali contactou com os expositores portugueses.

A Heimtextil atrai anualmente cerca de 3 mil expositores e 65 mil visitantes. Na edição deste ano, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) promulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU) serão apresentados e discutidos num espaço interativo na área Green Village e, pela primeira vez, divulgados no Green Directory, um guia que contém todos os expositores da feira que recorrem a métodos de produção amigos do ambiente.

Contextile apresentou Bienal 2020 na Heimtextil

2020 traz aquela que é já um evento-chave da cidade berço, a 5ª edição da Contextile. Entre 5 de setembro e 25 de outubro, a cidade de Guimarães, e seu território, será novamente o palco da Bienal de Arte Têxtil Contemporânea, evento de âmbito internacional.

A cidade, e a comunidade têxtil, apropria-se, pouco a pouco, das dinâmicas da bienal, acolhendo entusiasta os muitos artistas nacionais e internacionais que a cada bienal visitam e participam no evento. A Bienal conta com o apoio estratégico do Município de Guimarães, empresas têxteis vimaranenses e a Direção-Geral das Artes, entre outros.

A Contextile 2020 ocupará de novo, os vários espaços culturais e áreas públicas da cidade, sempre com o objetivo de divulgar o que melhor se faz na Arte Têxtil Contemporânea, em Portugal e no mundo. Partindo sempre do desafio de colocar o têxtil no contexto da arte contemporânea.

Lugares de Memória – Interdiscursos de um território têxtil

Nesta sua 5ª edição, a Contextile – Bienal de Arte Têxtil Contemporânea, tratará a ideia de lugar e de memória – LUGARES DE MEMÓRIA | PLACES OF MEMORY *, como conceito temático a ser trabalhado pelos artistas que pretendam produzir e apresentar trabalhos no evento.

“Entende-se o lugar através da sua dimensão temporal, pensam-se e repensam-se as definições assentes nas relações que se estabelecem entre espaço geográfico e identitário, social e político, artístico e estético, da memória e da imaginação, insistindo, assim, na ideia de lugar como espaço habitado.

Através de práticas reflexivas acerca de um lugar ou da ressignificação de um território, considerando e/ou destituindo topias, poder-se-á quem sabe, dar lugar a novos discursos. Apropria-se a memória, habita-se o desabitado, comum ou individual, torna-se vivo o inane”.

* LUGARES DE MEMÓRIA | O território e a sua memória têxtil provocam novos pensamentos e nova produção artística que se quer resgatar ao passado, filtrando-a no presente, contaminando o futuro.

Fontes: Município de Guimarães e Contextile; Imagens: (0) Guimarães Marca, (1) Lameirinho, (2) Município de Guimarães, (3) Contextile

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que temos vindo a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta, pelo que g

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se desejar recibo, envie-nos o seu número de contribuinte e email por favor; recebê-lo-á na volta do correio.

A independência requer capacidade financeira. Se puder e assim o quiser fazer, faça uma assinatura de amigo. Programe uma transferência bancária mensal ou trimestral a partir desse mesmo valor assim ajudando a garantir mais facilmente o futuro da publicação.

Lembre-se: A Vila Nova é para todos, gratuita e está sempre à mão. Colaboramos consigo, oferecendo-lhe conteúdos; colabore também connosco.

Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Sociedade

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.