Carlos Fiolhais

Natal | Doze livros de ciência para oferecer

Natal | Doze livros de ciência para oferecer

Pub

 

 

O Natal é tempo de prendas e o livro continua a ser uma das melhores prendas. Escolhi doze livros de ciência que se publicaram em Portugal no ano de 2019, que são boas prendas agora ou noutra altura qualquer. A ordem é a alfabética do apelido do autor. Entre parêntesis indica-se o ano da edição original quando se trata de uma tradução.

– BOSTROM, NICK. “Superinteligência. Caminhos, perigos, estratégias”, Relógio d´Água. (2014).

O autor, filósofo em Oxford, discute os avanços da inteligência artificial e a possibilidade de um dia os computadores virem a ultrapassar completamente os seres humanos, a chamada “singularidade tecnológica”.

– BROOKE-HITCHING, EDWARD. “O Atlas Dourado. As grandes expedições e descobertas em mapas”, Bertrand. (2018)

Um fellow da Royal Geographical Society britânica conta 37 grandes explorações por meio de mapas antigos. Também lá vêm, como não podia deixar de ser, as viagens marítimas dos portugueses. Um livro ilustrado que é um prazer para os olhos.

– CORDEIRO, CRISTINA (com AGUIAR, MANUEL, fotogr. ). “Museus Centenários de Portugal”, vol. 1 1772-1894 (ed. bilingue), CTT.

Outro coffee-table book, na linha dos livros dos CTT, sobre os museus portugueses mais antigos. Qual é o museu português mais antigo? Remonta a 1722 e é o Gabinete de História Natural, iniciado pelo italiano Vandelli, que hoje faz parte do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra.

– COSTA, ANTÓNIO AMORIM (coord.). “Primeiro Tratado de Química”, vol. 30 das Obras Pioneiras da Cultura Portuguesa, Círculo de Leitores.

Com este volume findou a colecção “Obras Pioneiras da Cultura Portuguesa”, que coordenei com José Eduardo Franco. O livro em causa, devidamente apresentado e anotado, é “Elementos de Chimica” de Vicente Coelho Seabra (1788), obra que precedeu de um ano a obra mais famosa de Lavoisier.

– FERNANDEZ, OSCAR E., “O Cálculo da Felicidade. Como uma abordagem matemática da vida dá saúde, dinheiro e amor”, Gradiva. (2017)´

Parece um livro de auto-ajuda, mas é muito mais do que isso. Através de conceitos que as pessoas associam à felicidade, um matemático norte-americano introduz conceitos de matemática.

– MIODOWNIK, MARK. “A Vida Secreta dos Líquidos. As Substâncias Mágicas que Fluem pelas Nossas Vidas”, Bizâncio. (2018)

Um físico do University College de Londres, com um livro premiado sobre materiais, apresenta aqui as propriedades dos líquidos, algumas delas bastante estranhas.

– PÄÄBO, SVANTE. “O Homem de Neandertal. Em busca dos genomas perdidos”, Gradiva. (2014).

O geneticista sueco, que dirige o Instituto de Max Planck para Antropologia Evolucionista na cidade alemã de Leipzig, conta aqui a odisseia que foi a sequenciação completa do homem de Neandertal, uma espécie semelhante ao Homo Sapiens, com quem nos cruzámos. Pääbo deu em Coimbra em 2019 uma palestra sob os auspícios da Fundação Francisco Manuel dos Santos.

– PEARL, JUDEA e MACKENZIE, DANA. “O Livro do Porquê. A Nova Ciência da Causa e do Efeito”, Temas e Debates e Círculo de Leitores. (2018)

Um cientista de computação na Universidade da Califórnia – Los Angeles (pai do jornalista Daniel Peral, assassinado por terroristas paquistaneses) laureado com o prestigiado Alan Turing Award juntou-se a um matemático e escritor de ciência para explicar o significado de causalidade.

– ROVELLI, CARLO, “A Realidade não é o que Parece. A Natureza alucinante do Universo”, Contraponto. (2017)

O físico teórico italiano que é especialista em gravidade quântica e autor do best-seller “Sete lições sobre os fundamentos da Física” expõe aqui os mistérios da sua disciplina. Como juntar as teorias quântica e da relatividade geral? Rovelli esteve em Lisboa em 2019.

– RUTHERFORD, ADAM, “Uma breve história de todas as pessoas que já viveram. O que os nossos genes têm para nos contar”, Desassossego /Saída de Emergência. (2017)

Um geneticista britânico expõe de modo simples as complicações da genética: como, por exemplo, somos todos descendentes de Carlos Magno? Tal como Pääbo e Rovelli, Rutherford esteve em 2019 em Portugal.

– SILVA, MIGUEL OLIVEIRA DA. “Quem está contra a Medicina?”, Caminho.

Num tempo em que as ciências – em particular a medicina – está sob o ataque de charlatães, um médico português faz uma vigorosa defesa da ciência.

– WALLACE-WELLS, “A Terra Inabitável. Como Vai Ser a Vida pós-Aquecimento Global”, Lua de Papel. (2019).

Um jornalista norte-americano fala da tragédia representada pelas alterações climáticas. Se não mudarmos de caminho, o pior poderá estar para vir. Escrevi o prefácio.

Boas Festas e Bom ano de 2020, com continuação de boas leituras!

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

 

Pub

Categorias: Ciência

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Carlos Fiolhais

Doutorado em Física Teórica pela Universidade de Frankfurt/Main, Carlos Fiolhais é professor catedrático no Departamento de Física da Universidade de Coimbra e divulgador da ciência. Autor de 150 artigos científicos em revistas internacionais e de mais de 500 artigos pedagógicos e de divulgação, publicou 50 livros, entre os quais Física Divertida, Nova Física Divertida, Darwin aos Tiros e outras histórias de ciência e Pipocas com telemóvel e outras histórias de falsa ciência (os três últimos com David Marçal). Entre outros cargos dirigentes, foi diretor da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, da revista Gazeta de Física , publicada pela Sociedade Portuguesa de Física, e é diretor do Rómulo – Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra. Colaborador regular dos jornais Público, Sol, As Artes entre as Letras e Jornal de Letras, foi consultor dos programas Megaciência e ABCiência, para a SIC e RTP, e do Museu de Ciência da Universidade de Coimbra. É ainda responsável pelos programas de Educação e de Ciência e Inovação, da Fundação Francisco Manuel dos Santos. Carlos Fiolhais ganhou vários prémios e distinções, entre os quais um Globo de Ouro da SIC e a Ordem do Infante D. Henrique.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.