Santo Tirso é município resiliente a catástrofes

Biodiversidade | Santo Tirso investe contra a vespa velutina

Biodiversidade | Santo Tirso investe contra a vespa velutina

Pub

 

 

O Município de Santo Tirso viu aprovada a candidatura ao Fundo Florestal Permanente para apoiar a destruição de ninhos de vespa velutina, vulgarmente designada por vespa asiática. Em causa está o montante de 10 mil euros, ao qual acresce uma comparticipação de quatro mil por parte da Câmara Municipal. O anúncio foi feito esta quinta-feira pelo presidente da autarquia, Alberto Costa, durante a sessão de abertura do 4º Encontro Nacional das Cidades e Vilas Resilientes que está a decorrer em Santo Tirso.

Lançada pelo Governo, a iniciativa disponibilizou mais de um milhão de euros, destinado às autarquias para uma campanha nacional de destruição da vespa velutina. Santo Tirso viu a sua candidatura aceite e reforça, assim, em 10 mil euros, o investimento que tem vindo a ser feito neste campo.

Desde 2014, Santo Tirso já investiu mais de 65 mil euros em equipamentos e recursos humanos para proceder à extinção dos ninhos de vespa velutina e irá ainda avançar com a formação dos colaboradores afetos ao serviço e a aquisição de equipamento de proteção individual e de equipamentos para a eliminação dos ninhos (kit de incineração e kit de inseticida), num investimento de cerca de três mil euros.

Na sessão de abertura do 4º Encontro Nacional das Cidades e Vilas Resilientes, que está a decorrer na Fábrica de Santo Thyrso até amanhã, sexta-feira, o presidente da Câmara Municipal, Alberto Costa, realçou que “a aprovação da candidatura vai dar um importante impulso ao Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa Velutina, que já está no terreno há vários anos, e ajudar a adequar meios e serviços para combater este problema”.

Desde 2014, o Município de Santo Tirso avançou com medidas para combater a vespa velutina e já eliminou 1773 ninhos. O autarca garantiu que “tem sido possível dar uma resposta rápida e efetiva” e adianta que “o número de ninhos detetados tem vindo a aumentar, fruto de uma maior consciencialização da população, mas também devido à propagação”. Em 2014, foram detetados 107 casos e em 2019 esse número já se situa nos 440.

A vespa asiática é uma ameaça real para a biodiversidade e para a Saúde Pública e quem encontrar um ninho deve avisar as autoridades através da linha SOS Ambiente e Território – 808 200 520 – ou da Linha Azul da Proteção Civil da Câmara Municipal de Santo Tirso – 808 201 056. Pode ainda contactar o Serviço Municipal de Proteção Civil através do número 252 856 345 ou via email smpc@cm-stirso.pt.

Para os mais curiosos, apresentamos aqui um manual de boas práticas para a destruição da vespa velutina produzido por Alfedo Franclim Marques, Tiago Moreira e João Digo Casaca, da Comissão de Acompanhamento para a Vigilância, Prevenção e Controlo da Vespa velutina, e editado pela Federação Nacional dos Apicultores de Portugal.

Santo Tirso é um dos 31 entre 308 municípios portugueses resilientes a catástrofes

Durante o dia de hoje e amanhã, Santo Tirso está a ser o palco do 4º Encontro Nacional das Cidades e Vilas Resilientes, na sequência da Estratégia Internacional para a Redução de Catástrofes, que encoraja as cidades a implementar medidas que contribuam para o aumento da resiliência a catástrofes. Isso mesmo foi sublinhado pela secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, durante a sessão de abertura: “É muito importante que o poder local, nomeadamente as autarquias, sejam sensíveis às questões relacionadas com a Proteção Civil, de forma a sensibilizar a população para esta causa”.

Atualmente, Santo Tirso é um dos 31 entre 308 concelhos portugueses são considerados Municípios “Resilientes” pela ONU. O objetivo, apontou a governante, é que “sejam cada vez mais” e se possa alcançar o número de “50 até ao final de 2020”.

 

Fonte: Município de Santo Tirso; Imagens: (0) Didier Descouens, (1) Município de Santo Tirso

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.