No mesmo âmbito, Rede de Museus de Famalicão lança também livro ‘Definir a missão… da necessidade ao desafio’

Museologia | ‘Ser Museu no Séc. XXI’ em debate no Museu Ferroviário de Lousado

Museologia | ‘Ser Museu no Séc. XXI’ em debate no Museu Ferroviário de Lousado

Pub

 

 

O que é um Museu no Século XXI? Quais são os seus desafios? O que procura o seu público? Como responde às demandas da contemporaneidade, da tecnologia, da globalização? Estas são algumas das questões a que a Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão pretende dar resposta no próximo dia 26 de novembro, no Museu Nacional Ferroviário de Lousado, no decorrer do IV Encontro da Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão.

A iniciativa, que vai decorrer a partir das 14h30 com o debate “Ser Museu no século XXI” e culmina com a apresentação do livro “Definir a missão… da necessidade ao desafio”, é de entrada livre, sujeita a inscrição prévia através do mail rededemuseus@famalicao.pt.

No debate, a investigadora da Universidade de Évora, Ana Carvalho, a responsável da Direção-Geral do Património Cultural, Clara Camacho, a representante do Mapa das Ideias, Inês Câmara e a museóloga Rita Pires dos Santos irão refletir sobre a nova definição de museu proposta pelo ICOM (Conselho Internacional dos Museus). A conversa serás moderada por Maria Vlachou da associação Acesso Cultura.

No final da sessão, o técnico especialista no Gabinete da Secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural – Ministério da Cultura, Joaquim Jorge irá efetuar a apresentação o livro “Definir a missão… da necessidade ao desafio”. Este livro é o primeiro número da coleção monográfica “Ser e fazer museu no século XXI”, coordenada pela Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão, destinada a profissionais de museus e público em geral, onde se partilham diversos temas da museologia no território.

Esta publicação, bilingue e adaptada para linguagem clara, estará disponível em versão impressa e acessível gratuitamente online.

Os IV Encontros da Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão têm como objetivo refletir sobre o papel que cada museu desempenha, a sua missão e os desafios para o futuro que enfrenta no território onde está inserido.

Refira-se que a Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão nasceu em 2012 e é constituída por doze unidades museológicas – Casa de Camilo: Museu. Centro de Estudos; Casa-Museu Soledade Malvar; Museu Bernardino Machado; Museu Cívico e Religioso de Mouquim; Museu da Confraria de Nossa Senhora do Carmo de Lemenhe; Museu da Guerra Colonial; Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave; Museu de Arte Sacra da Capela da Lapa; Museu de Cerâmica Artística da Fundação Castro Alves; Museu do Automóvel; Museu Fundação Cupertino de Miranda – Centro Português do Surrealismo; Museu Nacional Ferroviário – Núcleo de Lousado.

Desde a sua fundação procura a valorização dos museus que integram a rede, através de uma política de cooperação e articulação entre si, com vista à promoção, valorização e difusão das suas coleções museológicas, bem como de ações de capacitação das equipas que os constituem, como o caso dos Encontros da Rede de Museus de Vila Nova de Famalicão que se iniciaram em 2016.

Fonte e Imagens: Município de Famalicão

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Agenda, Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.