BIG promove Guimarães como uma das cidades europeis que mais cria novos empregos no setor criativo

Ilustração | André Letria e o seu universal imaginário bélico vencem Bienal de Guimarães

Ilustração | André Letria e o seu universal imaginário bélico vencem Bienal de Guimarães

Pub

 

 

O arranque da segunda edição da Bienal de Ilustração de Guimarães (BIG) fica marcado pelo anúncio dos vencedores do Prémio Nacional. Entre os concorrentes, a surpreendente riqueza do trabalho de André Letria sobre a guerra no corpo da sua obra enquanto ilustrador, mais a mais porque tão prolífero e relevante no panorama da ilustração portuguesa, foi acolhida pelo júri da 2ª Bienal de Ilustração de Guimarães com muito agrado, tendo-lhe sido atribuído o Grande Prémio BIG.

O Grande Prémio BIG foi atribuído a André Letria, com um valor pecuniário de 5.000€, “pela maturidade e originalidade dos trabalhos apresentados a concurso, cuja força do conjunto revela enorme capacidade de síntese, sábio uso das metáforas e elevado domínio da técnica e do conteúdo. A paleta cromática escolhida e a composição das Imagens remetem também de forma inovadora para um imaginário universal bélico, abrindo novas leituras relativamente a um tema tão delicado como o da guerra”.

Jorge Silva foi distinguido com o Prémio Carreira BIG 2019 pelo reconhecimento da grande qualidade artística no conjunto da sua obra, a sua criatividade e inovação nos domínios mais amplos da ilustração. Neste contexto foi inaugurada a exposição “As Sete Vidas do Senhor Silva“, no Centro Internacional das Artes José de Guimarães. Jorge Silva agradeceu o apoio da família, no momento solene da distinção, e anunciou a oferta das 100 melhores capas ilustradas de João da Câmara Leme ao Município de Guimarães.

O Prémio BIG Revelação, com um valor pecuniário de 1.000€, foi atribuído a Inês Machado cuja proposta se distingue pela coerência gráfica do conjunto e pela sofisticação da utilização da cor e da composição, segundo o júri.

Destaque ainda para os cinco Prémios BIG Aquisição, no valor de 500€ cada, a António Jorge Gonçalves, Gonçalo Viana, Maria João Worm, Mariana Rio e Nicolau, destinado à criação de um acervo municipal de ilustração portuguesa contemporânea, com base nos seguintes critérios: diversidade e qualidade das obras e cuidado na apresentação.

As obras candidatas e vencedoras do Prémio Nacional BIG 2019 podem ser vistas na exposição patente ao público no Palácio de Vila Flor, até 31 de dezembro de 2019.

Na sessão de abertura da BIG, Adelina Pinto, vice-presidente da Câmara de Guimarães destacou que este evento que nasceu em 2017 “comprovou que existe espaço para a área da ilustração em Guimarães”, recordando que, na primeira edição, se verificou o “efeito impactante que a BIG teve na cidade e nas pessoas que nos visitaram”.

Adelina Pinto apontou “novos passos” para esta segunda edição “tentando ir mais além, com o desassossego de querer sempre mais“, reforçando a marca cultural de Guimarães. Apontou ainda o exemplo de Guimarães enquanto uma das cidades da Europa que mais promove novos empregos no setor criativo, conforme estudo divulgado esta semana pelo Observatório das Cidades Culturais e Criativas, da Comissão Europeia. “Isso não acontece por acaso, mas sim porque aqui se faz cultura e se promove os espaços criativos e damos a conhecer outras áreas de conhecimento aos nossos jovens e sentimos que o emprego criativo é uma presença mais constante em Guimarães”, salientou Adelina Pinto.

A BIG – Bienal de Ilustração de Guimarães é uma iniciativa da Câmara Municipal de Guimarães, com o objetivo de dignificar o papel dos ilustradores no desenvolvimento cultural, no campo da edição, livros, revistas, jornais, cartazes, suportes clássicos de comunicação de massas e no domínio das novas tecnologias, aliado à referência de Guimarães, como território de reconhecido interesse nacional e internacional, no movimento de fomento de massa crítica e na criação na área da ilustração.

Fonte: Município de Guimarães

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Cultura, Política, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.