Promover o debate e a reflexão interdisciplinar em torno das temáticas camilianas

Literatura | Centro de Estudos Camilianos homenageia João Bigotte Chorão em Encontro Camiliano

Literatura | Centro de Estudos Camilianos homenageia João Bigotte Chorão em Encontro Camiliano

Pub

 

 

João Bigotte Chorão, ensaísta e crítico literário, considerado um dos maiores especialistas na obra de Camilo Castelo Branco, vai ser alvo de homenagem na Casa do escritor, em S. Miguel de Seide, Vila Nova de Famalicão, durante a quinta edição dos Encontros Camilianos, que decorrem nos dias 11, 12 e 19 de outubro. A homenagem conta com a presença do escritor e filho de João Bigotte Chorão, Pedro Mexia.

Estudioso da literatura autobiográfica, João Bigotte Chorão faleceu no passado mês de fevereiro, deixando vários ensaios sobre a obra de Camilo Castelo Branco. O tributo ao camilianista realiza-se durante a tarde do dia 12 de outubro, iniciando com a inauguração da exposição bibliográfica e documentalEsta nossa debilidade camiliana: Tributo a João Bigotte Chorão”. Seguem-se as intervenções de Abel Barros Batista, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com “O essencial sobre O Essencial de João Bigotte Chorão” e de Artur Anselmo da Academia das Ciência de Lisboa, com “João Bigotte Chorão camilianista”. Pedro Mexia fala sobre “Livros em Casa”.

A 5.ª edição dos Encontros Camilianos arranca no dia 11 de outubro com a realização de um roteiro camiliano ao cemitério da Lapa, onde estão depositados os restos mortais de Camilo Castelo Branco. A saída de Seide está marcada para as 14h00, junto à Casa de Camilo. À noite, pelas 21h30, irá realizar-se um serão musical sob a direção do professor Rui Mesquita.

Os trabalhos abrem no dia 12, no auditório do Centro de Estudos Camilianos, a partir das 9h30. A comunicação inaugural está a cargo do professor no Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho, Sérgio Guimarães de Sousa. Segue-se João Carlos Vitorino Pereira da Université de Lyon para abordar o tema “Ciúmes e violência de género na obra camiliana”.

Pelas 11h00, debate-se “Padre António e «aquele incorrigível rapaz»”, com o diretor da Casa de Camilo José Manuel de Oliveira; “Ana Plácido: a obra e a crítica” com Fabio Mario da Silva da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará e “Mesa e identidades nas páginas de Camilo Castelo Branco”, com Elzira Sá Queiroga do Centro de Estudos Camilianos. O moderador será João Paulo Braga da Universidade Católica.

Depois da homenagem a João Bigotte Chorão haverá ainda tempo para a apresentação de edições camilianas e uma visita guiada à Casa Museu de Camilo.

Os Encontros Camilianos regressam depois a 19 de outubro com a realização de um Roteiro Literário Camiliano a Ribeira de Pena, onde Camilo Castelo Branco viveu durante dois anos e onde casou Joaquina Pereira de França aos 16 anos. Aqui serão visitados vários locais que inspiraram Camilo Castelo Branco na criação das suas obras. Os participantes serão ainda convidados a assistir à representação de Maria Moisés em teatro de marionetas.

Os interessados em participar nos Encontros Camilianos de São Miguel de Seide devem efetuar a sua inscrição através do site do Centro de Estudos Camilianos. Estes encontros encontram-se devidamente creditados para professores das área de estudos associadas. A inscrição é obrigatória e gratuita para o limite de 120 participantes.

Refira-se que a iniciativa que se realiza de dois em dois anos, insere-se num dos objetivos primaciais da Casa de Camilo – Centro de Estudos: promover o debate e a reflexão interdisciplinar em torno das temáticas camilianas, contribuindo, desse modo, para a melhor promoção e divulgação da vida e da obra de Camilo Castelo Branco, bem como para sedimentar a sua política de intervenção cultural e científica a favor da Língua e da Cultura portuguesas.

Fonte e Imagem: Município de Famalicão

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.