A Cultura como prioridade da ação municipal em 2020

Braga afirma sentido identitário do Eixo Atlântico com Capital da Cultura

Braga afirma sentido identitário do Eixo Atlântico com Capital da Cultura

Pub

 

 

Braga apresentou esta terça-feira, 8 de setembro, na cidade galega de Sarria a versão final da programação da Capital da Cultura do Eixo Atlântico que a cidade irá acolher no decorrer de 2020. Na mesma reunião, Lídia Dias foi nomeada presidente da Comissão Executiva do Eixo Atlântico para a Educação e Cultura, passando a coordenar os trabalhos deste grupo temático.

Neste encontro, que reuniu os representantes dos diversos municípios do Norte de Portugal e da Galiza que integram o Eixo Atlântico, foram ainda discutidos o novo modelo a adoptar pela XIII Bienal de Pintura, o Seminário de Intercâmbio de Experiências de Educação e a VII Mostra Musical do Eixo Atlântico.

Da ilustração à música, várias artes serão ponto de encontro

No que respeita à programação da Capital de Cultura do Eixo Atlântico, que decorrerá entre 8 de fevereiro e 28 de novembro de 2020, foram apresentadas as ações previstas. Certo será o regresso do jazz a Braga, numa das iniciativas propostas, além de um evento centrado exclusivamente na arte urbana, que tem como pretensão levar a Cultura às periferias. Entre as propostas apresentadas está também o Noroeste – festival de música contemporânea de raiz, que tem como objetivo criar pontes entre as sonoridades de ambos os lados do rio Minho, e a Bienal de Ilustração, que será exclusiva para jovens provenientes dos municípios do Eixo Atlântico.

Envolver a comunidade em dinâmica de criação e fruição cultural

O Município de Braga tem ainda como propósito criar um legado permanente desta “capitalidade” através da criação de um mural devotado ao Eixo Atlântico, além de uma galeria onde estarão expostas todas as obras premiadas das sucessivas edições da Bienal de Pintura do Eixo Atlântico.

Maria Rita Pimentel - Pintura premiada na bienal de arte do Eixo Atlântico

Lídia Dias, a atual vereadora da Cultura bracarense, reforçou a ideia de que o Município de Braga pretende afirmar a Cultura como “prioridade no âmbito da ação municipal”, opção confirmada pela “declaração de Braga como Cidade Media Arts da UNESCO” e pela “ambição de ser Capital Europeia da Cultura em 2027”.

“O acolhimento da Capital da Cultura do Eixo Atlântico torna-se um passo determinante no processo de envolvimento da comunidade numa crescente dinâmica de criação e fruição cultural, além de contribuir para fortalecer os nossos vínculos com os 34 municípios que constituem esta rede”, acrescentou.

Eixo Atlântico fomenta sentido identitário do território

Recorde-se que a Capital da Cultura do Eixo Atlântico 2020 já está nas mãos de Braga desde fevereiro passado. A passagem institucional da bandeira deste programa havia sido realizada, nessa altura, em Santa Maria da Feira, anterior Capital. Nessa ocasião, o Secretário-geral do Eixo Atlântico, Xoán Vázquez Mao, salientou que “um dos objetivos do Eixo é fomentar o sentido identitário do território” e com este tipo de programas se contribui para tal objetivo.

Recorde-se que o Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular constitui uma Associação transfronteiriça de Municípios, de direito privado, sem fins lucrativos que configuram o sistema urbano da euro-região Galiza-Norte de Portugal. Esta associação baseou-se no Convénio-Marco sobre cooperação transfronteiriça entre comunidades ou autoridades territoriais de 1990. Neste momento, o Presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, preside à Assembleia Geral do Eixo Atlântico.

Cultura afirma Braga e o Eixo Atlântico

1ª Página. Clique aqui e veja tudo o que temos para lhe oferecer.vila nova online - 1ª página - finanças - europa - prr - joão leão - primeiro pagamento

Fontes: Município de Braga e Eixo Atlântico; Imagens: (0, 2) Município de Braga, (1) Maria Rita Pimentel

VILA NOVA, o seu diário digital

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

VILA NOVA é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a VILA NOVA é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a VILA NOVA tem custos, entre os quais a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a VILA NOVA pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Como contribuir e apoiar a VILA NOVA?

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking, multibanco ou paypal.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

Paypal: pedrocosta@vilanovaonline.pt

Envie-nos os deus dados e na volta do correio receberá o respetivo recibo para efeitos fiscais ou outros.

Gratos pela sua colaboração.

Pub

Acerca do Autor

Comente este artigo

Only registered users can comment.