Comunidade do Espírito realizou há dias encontro no famalicense Parque da Devesa

Espiritualidade | Daniel Faria orienta conversa sobre relação entre ‘O Divino, o humano e a natureza’ no Porto

Espiritualidade | Daniel Faria orienta conversa  sobre relação entre ‘O Divino, o humano e a natureza’ no Porto

Pub

 

Hoje, sábado, 28 de setembro, pelas 21h00, Daniel Faria, autor do blogue Espiritualidade e Liberdade e cofundador da Comunidade do Espírito, dinamiza uma conversa sobre a espiritualidade ecológica. Esta apresentação realizar-se-á na Associação Cultural Macareu, na Rua João das Regras, na cidade do Porto. A tertúlia acontece sob a designação ‘O Divino, o humano e a natureza: Pistas para uma espiritualidade ecológica‘.

Nas últimas décadas, temos assistido a uma crescente consciencialização de que o atual modelo de desenvolvimento das sociedades é insustentável. Das alterações climáticas à destruição das florestas tropicais, passando pela extinção maciça de espécies, são cada vez mais evidentes os efeitos negativos dos nossos padrões de vida sobre o nosso planeta.

Com efeito, o modo como vivemos atualmente representa um peso cada vez maior sobre o planeta.

Ao longo das últimas décadas do século XX e dos primeiros anos do presente século, existe uma consciencialização progressiva da Humanidade para a relevância de promover um modelo de desenvolvimento adequado que valorize a beleza e a salvaguarda da Criação e o bem-estar da humanidade, de uma forma equitativa e sustentável.

Neste contexto, um dos campos com um contributo mais significativo na mudança de consciência da humanidade tem sido a ecologia espiritual.

A ecologia espiritual, na sua rica diversidade, reconhece que é essencial reconhecer e analisar as dinâmicas espirituais na raiz da atual crise ecológica.

Neste sentido, a espiritualidade pode desempenhar um papel fundamental na transformação de atitudes e comportamentos e no desenvolvimento da consciência ecológica de cada um de nós e da humanidade em geral em relação ao futuro da nossa casa comum: o planeta Terra.

Tertúlia dá a conhecer a Comunidade do Espírito na Ilha dos Amores

No passado domingo, 22 de setembro, a Comunidade do Espírito, um movimento comprometido em viver uma espiritualidade libertadora que promova a vivência do Mistério Divino, a celebração da vida, o respeito por toda a Criação, o amor compassivo pela humanidade e a defesa da diversidade espiritual e cultural, realizou uma Tertúlia especial tendo em vista uma maior divulgação junto da sociedade famalicense.

O encontro teve lugar na Ilha dos Amores, no Parque da Devesa, na cidade de Vila Nova de Famalicão, no qual as pessoas participantes puderam usufruir da ligação com a natureza e, quem sabe, buscar a inspiração do Amor Divina para as suas vidas.

O grupo comunitário viveu momentos de meditação de ligação com a Terra e de partilha de cura. Além disso, foi feita a apresentação do projeto da Comunidade do Espirito, das suas principais fontes de inspiração, nomeadamente do unitário-universalismo e da teosofia, e houve um diálogo especialmente profícuo sobre o desenvolvimento do projeto.

Considerando que desde tempos imemoriais, a humanidade, na diversidade das suas culturas, tem buscado promover a relação com o Divino, o projeto da Comunidade do Espírito preconiza uma espiritualidade macroecuménica, pluralista, inclusiva e ecológica, considerando-a essencial para o progresso espiritual e ético da humanidade.

Fonte e Imagens: CE

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

A Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária.

MB Way: 919983484

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Agenda, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.