Poeta algarvio tem ligações fortes a Famalicão

Livros | Vítor Cardeira lança ‘Tecidos’

Livros | Vítor Cardeira lança ‘Tecidos’

Pub

 

 

Vítor Cardeira é natural e vive na freguesia de Conceição de Tavira, muito perto da incrível paisagem da algarvia Ria Formosa, mas possui laços de amizade e familiares que o ligam profundamente a Vila Nova de Famalicão. Poeta conotado com a corrente literária barroco-surrealista, lançou recentemente mais um dos seus livros de poesia, desta feita intitulado ‘Tecidos‘.

 

 

“Nunca incomodar… Quanto mais sei mais sei que menos sei…” é o seu lema.

É o que, de certo modo, se afirma e se confirma em dois curtos extratos de “Da soberania da multidão”, texto de 2010, mas ora publicado no seu mais recente livro, a ler com atenção e abertura a formas de expressão que não as mais comuns: “Eu que conheço a imprevisibilidade do comportamento humano, que aprecio a diversidade e até comungo contigo o prazer da mudança, não sei como a magia dos princípios pode canibalizar o estertor do fim” e “A proximidade física é uma fonte de mal entendidos. A lonjura atómica potencia a exaltação dos afectos incorruptíveis. Não há distância na solidão”.

Antropólogo, professor e editor, Vítor Fernando Baptista Gil Cardeira assumiu há muitos anos que tem algo a dizer a muitos  dos que o rodeiam. Decidiu, por isso, enveredar pelos caminhos da escrita, principalmente na área da poesia, mas também utilizando a narrativa, principalmente sob a forma de contos, para transmitir a sua mensagem.

É sócio fundador da editora “4 águas” e proprietário da editora “edições Cativa”.

Entre os seus livros publicados destacam-se Transeuntes (contos), Partículas (poesia), passagem através do fogo (estórias do quotidiano), A Leste de Tavira (monografia etno-histórica), Uma mulher Disponível (conto), Exilados (conto), Espuma Evanescente (antologia breve), Poema Falido (folha volante), Cicatrizes (contos e alegorias), Danças(?) (poesia) e Escaras (poesia).

Para lá dos seus trabalhos de autor, Vítor Cardeira tem também vindo a participar numa série de antologias – Algarve, 12 poetas a Sul do século XXI e Clepsydra (Portugal) e Antologia Poética, Prêmio Poesia Livre 2013 (Brasil) e Del Teatro del Silencio al Parnaso (antologia dedicada ao poeta hondurenho Juan Ramon Molina) (Honduras) – e publicado ocasionalmente em revistas literárias, principalmente em Portugal – Sulscrito, Letrário Editora (online), ‘InComunidade’, Piolho -, mas também no Brasil – Tômbolo.

Imagens: Vítor Cardeira

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária.

MB Way: 919983484

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.