27/6 Ciclo de Conferências em Educação

Transição | Nuno da Silva apresenta ‘Novas Ecologias do Saber’ em Famalicão

Transição | Nuno da Silva apresenta ‘Novas Ecologias do Saber’ em Famalicão

Pub

 

 

Nuno da Silva, economista “recuperado”, vem a Famalicão apresentar a conferência “Novas Ecologias do Saber num mundo em Transição” no próximo dia 27 de junho, pelas 21h00, no auditório da CESPU. Esta conferência está integrada no II Ciclo de Conferências em Educação que têm vindo a ser organizdas pelo Município de Vila Nova de Famalicão, em colaboração com a Associação Famalicão em Transição, a Federação Concelhia das Associações de Pais de Famalicão e o Centro de Formação de Associação de Escolas de Vila Nova de Famalicão.

 

 

Vivemos num mundo em rápida mudança, cada vez mais complexo e volátil, onde coabitam desigualdades absurdas de rendimento com um sentimento crescente de insegurança e imprevisibilidade e uma progressiva desconexão a vários níveis: uns com os outros, e a consequente degradação de práticas comunitárias, com a natureza, resultando na contínua destruição dos ecossistemas e em nós próprios afastando-nos do nosso potencial, impedidos de partilhar os nossos dons com o mundo. Coletivamente, insistimos em reproduzir soluções que não satisfazem a maior parte das pessoas, nem beneficiam o Planeta.

Ao mesmo tempo, assistimos a uma crescente onda de transformações profundas de consciência, de formas de viver e de colaborar que, um pouco por todo o mundo, oferecem esperança que essa transição seja de facto possível. No cerne desta grande transição para um novo paradigma de sociedade está a educação. É por isso fundamental entrarmos em diálogos geradores, com mentes e corações abertos, de forma a podermos re-imaginar novas ecologias de aprendizagem que melhor sirvam o espírito do nosso tempo.

Na prática, a Transição é um movimento de comunidades que se reúnem para reinventar e reconstruir o mundo agindo localmente – think big, think local. Iniciado em 2005, o movimento de Transição espalhou-se até agora por mais de 50 países, com milhares de adeptos em cidades, aldeias, cidades, universidades, escolas que tentam implementar o sonho de viver melhor com menos.

Sobre o Movimento de Transição e a mudança de paradigma, em artigo de opinião de opinião publicado no seu LinkedIn, referiu: ‘ Os movimentos de transição procuram questionar e desafiar as noções de separação entre os seres e as “coisas”, como entidades não relacionadas interagindo umas com as outras. Estas novas estórias, surgem do entendimento que o nosso planeta é um sistema vivo em que nenhuma entidade precede as relações – o mundo não é composto de elementos separados mas de relações – nós intersomos e intra-agimos’ (…) para ajudar a despertar, para dar vida a novas possibilidades de vivermos de forma mais justa e em harmonia com o planeta’.

Esta é portanto uma oportunidade para todos participarem num diálogo gerador que convida a construir uma escola para o Século XXI, quem sabe do tipo da The Swanage School que incorpora todo o modelo da Transição em tudo o que faz.

Nuno da Silva, passado e presente

Nuno da Silva é um economista “recuperado”. Gosta de construir pontes entre ideias, práticas, lugares, pessoas, os centros e as periferias e tem experimentado trabalhar sem uma categoria profissional.

Explorador de práticas emergentes capaz de abordar problemas complexos em ambientes incertos e voláteis, diz quem o conhece que Nuno da Silva desenha, facilita e ensina abordagens colaborativas, participativas e experienciais para aprender tanto quanto desaprender. Como um explorador de práticas incorporadas para lidar com processos vivos, combina diversas práticas com o objetivo de contribuir para uma Regeneração Ecológica e Cultural.

Atualmente, Nuno da Silva está envolvido numa teia de projetos. Gestor Operacional da quinta CO Project em Tomar, é curador na The Emergence Network, co-criador do RIPPLES of the New eXperiment, catalisador da comunidade de Art of Hosting em Portugal, membro fundador da FESCOOP – a primeira cooperativa de finanças éticas em Portugal, formador do hub Português da Rede de Transição e colaborador da Rede Global de Transição, membro da Bolsa de Formadores da Plataforma Portuguesa de ONGDs e da Bolsa de Formadores do Conselho da Europa e catalisador do grupo Europeu e Global da Prática Social Reflexiva da Proteus Initiative.

No passado, desenhou e dirigiu cursos de formação, experiências educativas e processos colaborativos para várias organizações e instituições internacionais, como o Centro Europeu para a Interdependência Global e Solidariedade, a Fundação Ásia Europa, o Fórum Europeu da Juventude, o Fórum Latino-americano de Juventude, o Conselho Nacional de Juventude, entre outros. Trabalhou durante quatro anos com o Banco Mundial e o Ministério da Educação de Timor-Leste em Programas de Educação de Adultos e Ensino Recorrente.

A participação na conferência é gratuita, mas a inscrição é obrigatória.

 

Imagem: Município de Famalicão, (1) The Swanage School, TNetwork

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Agenda, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.