Construção | Gabriel Couto amplia instalações da Porminho

Construção | Gabriel Couto amplia instalações da Porminho

Pub

 

 

O grupo Porminho elegeu a Gabriel Couto para a construção e ampliação das suas instalações industriais, um projeto que tem assinatura do Atelier de Arquitetura TRAMA Arquitetos, a que corresponde um investimento global a rondar os 18 milhões de euros.

 

 

Esta empresa que se dedica à transformação e distribuição de carnes e que tem a sua produção em Vila Nova de Famalicão, na freguesia de Outiz, prevê a criação de 50 novos postos de trabalho diretos e a dinamização de áreas críticas, como a investigação.

Fundada pela Família Freitas em 1984, a partir de um pequeno negócio que rapidamente ganhou escala industrial, a Porminho orgulha-se de ser atualmente uma das principais empresas da indústria agroalimentar do País, resultado de uma aposta constante e investimento continuo na modernização da sua unidade industrial, na aquisição de novos equipamentos produtivos, no alargamento dos recursos humanos e no reforço dos sistemas de certificação de qualidade e segurança alimentar.

Com esta ampliação das suas instalações industriais, a empresa planeia aumentar a sua capacidade de produção e automatizar os processos fabris, por forma a apostar fortemente no lançamento de novos produtos, através de investigação interna e em parceria com universidades e outras entidades ligadas ao setor alimentar.

Atualmente a Porminho tem na exportação o foco do seu negócio. Vende para 12 países a gama de produtos de charcutaria, maioritariamente com a sua própria marca, e a atual estratégia passa por conquistar novas geografias e consolidar as vendas nos mercados onde já está presente. Quando este plano de investimento e expansão estiver concluído, em 2020, a empresa famalicense estima atingir um volume de negócios de 60 milhões de euros.

A empreitada que a Gabriel Couto está a levar a efeito consiste na construção e ampliação das atuais instalações da Porminho é constituída por duas fases, correspondendo a primeira à execução de uma nova nave industrial com cerca de 25.000m2 de área coberta, e dividida em 2 pisos, assim como a todos os trabalhos preparatórios, acessos, passeios e arruamentos envolvente ao edifício. Numa fase posterior, serão construídos os futuros escritórios, edifício administrativo, bem como uma nova portaria e os arranjos exteriores.

A nova área industrial ampliada em dois pisos, com uma área de construção superior a 20.000m2, encontra-se no enfiamento da atual nave industrial, com cerca de 8.000m2.

Será constituída por uma ampla área laboral, permitindo a criação de vários novos espaços de trabalho, áreas destinadas à expedição e armazenagem de produtos, com ligação ao exterior através dos cais de cargas e descargas. Está prevista também uma entrada pedonal para acesso às áreas sociais da unidade, nomeadamente para o refeitório, gabinetes, salas de formação, lavandaria, instalações sanitárias e balneários.

Na 2ª fase da empreitada, os futuros escritórios e área administrativa surgem num volume destacado, permitindo com isso controlar de forma mais eficaz o acesso de veículos e pessoas, bem como, reduzir a incidência de ruídos gerados pela área de produção, o que resulta numa melhor imagem da empresa para com quem a visita.

Para a Gabriel Couto este emblemático projeto industrial, representa «mais um desafio aliciante a ser alcançado num prazo muito exigente». A fiscalização desta empreitada estará a cargo da empresa “C.G.F. – Coordenação, Gestão e Fiscalização de Obras”.

A comemorar os 70 anos de existência da construtora, Carlos Couto, Presidente da empresa, considera que “a adjudicação desta empreitada por parte da Porminho constitui grande um motivo de orgulho e sinal inequívoco da confiança que este tipo de empresas e grupos multinacionais têm vindo a depositar na competência técnica apresentada pela nossa empresa, como entidade responsável pela construção de grandes projetos industriais”.

Gabriel Couto, contando a mesma no seu portefólio dos últimos anos com cerca de 200.000 m2 de construção de novos empreendimentos e polos industriais.

 

Imagens: Gabriel Couto

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Economia

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.