‘Guimarães Mais Floresta’

Ambiente | Farfetch planta árvores autóctones em Guimarães

Ambiente | Farfetch planta árvores autóctones em Guimarães

Pub

 

 

Os colaboradores da Farfetch, líder global em plataformas de tecnologia para a indústria de moda de artigos de luxo, cujo Centro de Operações Criativas se encontra localizado no AvePark, em Guimarães, plantaram sete centenas de árvores autóctones, na última sexta-feira, junto às instalações da empresa e no Monte de Monchique, na freguesia da Costa, neste concelho.

 

 

O presidente do Município de Guimarães, Domingos Bragança, e a vereadora do Ambiente da autarquia, Sofia Ferreira, acompanharam o processo de plantação das 700 árvores autóctones, entre carvalhos, medronheiros, castanheiros e azinheiras. Esta ação desenvolveu-se no âmbito projeto municipal “Guimarães Mais Floresta”, aberto à participação de empresas, escolas, associações, juntas de freguesia ou brigadas verdes e que pretende plantar anualmente 30.000 árvores no concelho de Guimarães.

Esta foi uma das atividades do Creativity Day, iniciativa que a Farfetch, do vimaranense José Neves, realiza duas vezes por ano em Guimarães, e que inclui um momento dedicado a atividades inseridas no âmbito da nova marca de sustentabilidade da empresa, a Positively Farfetch.

Através da Positively Farfetch, a empresa assume a sua opção de promover uma moda mais sustentável, reforçando a ideia de “pensar, agir e escolher de forma positiva”. Objetivo: beneficiar clientes, colaboradores e o planeta.

Nesse mesmo registo, os colaboradores da Farfetch participaram ainda numa ação de limpeza de pontas de cigarro, no Parque de Lazer das Taipas, e no BioBlitz, evento que tem como objetivo encontrar e identificar o maior número possível de espécies num curto espaço de tempo.

As iniciativas tiveram o apoio do Município de Guimarães e o acompanhamento de técnicos do Laboratório da Paisagem.

 

Imagem: (0) Município de Guimarães, (1) Farfetch

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Política, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.