Investimento POSEUR: 1 Milhão de euros

Ambiente | Maia implementa recolha seletiva porta-a-porta nos prédios de habitação

Ambiente | Maia implementa recolha seletiva porta-a-porta nos prédios de habitação

Pub

 

 

Com o objetivo de sensibilizar para a importância da separação e valorização dos resíduos orgânicos (bioresíduos) na cadeia de valor, a Maiambiente vai arrancar com a implementação da recolha seletiva porta-a-porta destes resíduos, em compartimentos de habitações coletivas (prédios) do concelho da Maia, bem como com o alargamento da recolha seletiva deste fluxo no canal Horeca. Trata-se de um investimento de cerca de 1 milhão de euros, com cofinanciamento de 85% aprovado pelo POSEUR. Com este investimento, a Maia reforça ainda mais a sua posição de referência na recolha seletiva de resíduos, contrariando a tendência nacional no cumprimento das metas do PERSU2020.

 

Todos podem contribuir, com pequenos gestos, para que o concelho da Maia seja mais sustentável:
Reduzindo a produção de resíduos por habitante; aumentando a recolha seletiva e da reciclagem; aumentando (em peso) os resíduos que podem ser preparados para reutilização e reciclagem; e reduzindo a deposição de resíduos (acabar com o fim de linha dos produtos).

No que se refere à recolha seletiva de resíduos porta-a-porta, serão servidos por este projeto mais de 35 mil habitantes do concelho e estima-se uma capacidade adicional de reciclagem de resíduos superior a 3.500 toneladas por ano.

Trata-se de um projeto que contribuirá para a valorização dos resíduos orgânicos com potencial de compostagem (produção de composto orgânico) e para a diminuição dos resíduos indiferenciados, prevendo-se uma capacidade adicional de reciclagem de resíduos de 3.522 toneladas/ano. Com esta solução dedicada, estima-se aumentar a recolha de resíduos com potencial de valorização em 26 kg/hab/ano e um crescimento de 6,38% ao nível do indicador de preparação para reutilização e reciclagem (PERSU 2020) face aos resultados de 2018. Serão abrangidos mais de 35 mil habitantes e cerca de 16 mil alojamentos servidos por 665 compartimentos de resíduos sólidos urbanos.

O financiamento permitirá adquirir cerca de 17 mil novos equipamentos entre os quais: cestos de 5L para o interior das habitações, contentores de 140L e 240L para os compartimentos e ainda contentores de 50L e 240L para os clientes do canal Horeca, além de inovadores equipamentos para a desidratação de resíduos. Permitirá ainda renovar a frota, tornando-a mais sustentável, com a aquisição de mais duas viaturas de recolha seletiva, movidas a gás natural comprimido.

Diminuição da deposição de resíduos indiferenciados é realidade 

A Maia já apresenta um histórico de recolha seletiva ao nível dos bioresíduos. Em 2018, arrancou o projeto piloto de recolha de resíduos orgânicos integrado no serviço de recolha porta-a-porta, em habitações uni e bifamiliares, na freguesia de Águas Santas, Maia. Trata-se de uma experiência que iniciou nos finais de outubro, em que ao serviço de recolha seletiva porta-a-porta existente (papel/cartão, embalagens e vidro) se adicionou a componente dos resíduos orgânicos, de forma a potenciar a separação e a valorização destes resíduos, muitas vezes colocados no indiferenciado.

Para tal, foram entregues contentores dedicados (40 litros para a recolha e de 10 litros para uso interior) que permitiram recolher, até ao momento, 40 toneladas de resíduos orgânicos. A maior diferença sentida foi na forte redução dos resíduos indiferenciados que diminuíram para cerca de metade.

É de salientar que este projeto já se encontrava também implementado no município da Maia em “grandes produtores” de resíduos orgânicos (restaurantes, cantinas de escolas, empresas e instituições). A separação dos resíduos orgânicos permite o seu encaminhamento para a Central de Valorização Orgânica da Lipor, onde posteriormente são transformados em composto NUTRIMAIS.

Assinale-se que, em 2018, o concelho da Maia atingiu mais um máximo de recolha seletiva, atingindo os 45,75% de resíduos. De salientar que, em 2018, cada maiato reciclou 67,2 kg de resíduos.

A população maiata está cada vez mais comprometida com o processo de reciclagem, pelo que foram mais de 21 mil toneladas de materiais com potencial de valorização enviados para reciclagem e compostagem no ano transato.

 

Imagens: Maiambiente

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco. Se é uma empresa ou instituição, o seu contributo pode também ter a forma de publicidade.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Política, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.