Santo Tirso

Empreender | ‘LESS buy.less’, ‘ModularUp Interior Design’ e ‘xp.eriens local’ vencem Santo Tirso Empreende

Empreender | ‘LESS buy.less’, ‘ModularUp Interior Design’ e ‘xp.eriens local’ vencem Santo Tirso Empreende

Pub

 

 

LESS buy.less‘, ‘ModularUp Interior Design‘ e ‘xp.eriens local‘ foram os grandes vencedores do concurso Santo Tirso Empreende, promovido pela Invest Santo Tirso, cuja final teve lugar, na passada terça-feira, 14 de maio. Da iniciativa resultaram os nove vencedores, três de cada área, que para além de seis meses de incubação gratuita na Fábrica de Santo Thyrso terão ainda direito a apoio na elaboração do respetivo Plano de Negócios.

 

 

No total, foram 37 os projetos a concurso e mais de 60 os empreendedores envolvidos. Com três áreas a concurso –  moda e design de moda, design e produtos e serviços turísticos –, o Santo Tirso Empreende tem como objetivo estimular a capacidade empreendedora e criadora no Município.

“Assumimos o empreendedorismo como uma prioridade, acreditamos que é fundamental para a criação de empresas e de emprego qualificado e diferenciador”, salienta Joaquim Couto, presidente da Câmara de Santo Tirso. “Cada vez mais, o nosso Município consolida um ecossistema empresarial vibrante, onde as grandes indústrias cooperam com as pequenas e médias empresas”, acrescenta.

Ao longo da fase inicial, com a duração de seis meses, os empreendedores foram apoiados no desenvolvimento das ideias de negócio e de capacitação, através de coaching e workshops especializados.

Agora, foram conhecidos, esta-terça-feira, os nove vencedores. Moda sustentável, Turismo Interativo e Ecodesign venceram o “Santo Tirso Empreende”. Perante uma plateia formada por representantes da indústria, do meio académico e associativo, o júri do concurso selecionou os três melhores projetos de cada área.

No setor da moda, a vitória foi para o projeto “LESS buy.less”, promovido pelas designers Ana Eusébio e Catarina Gonçalves. Esta marca de vestuário prima pela sustentabilidade, através do desenvolvimento de peças que nascem do aproveitamento de desperdícios de fábricas têxteis. No segundo posto, o júri elegeu o projeto “Bebé d’algodão”, cuja atividade se foca no desenvolvimento de uniformes confortáveis para bebés. Também incubado na Fábrica de Santo Thyrso será o projeto “Setter Bags”, marca que tem como objetivo unir o luxo e a inovação tecnológica em malas masculinas com design clássico.

Já na área do design, o primeiro prémio foi para o projeto “ModularUp Interior Design”, das empreendedoras Bernardette Soares e Meire Santos. As jovens propõem inovar no desenvolvimento de superfícies bi e tridimensionais em pele residual aplicadas a objetos de decoração de interiores.

No segundo lugar ficou o projeto “Estampa Fair”, que procura conectar designers, ilustradores e artistas gráficos com o mercado produtivo têxtil e de moda. Também selecionado foi o projeto “Era Uma Vez Upcycling Projects”. Focado na economia circular, desenvolve objetos inovadores através da utilização de materiais em fim de vida útil.

Nos produtos e serviços turísticos, Bruno e Isabel Marques viram o seu projeto “xp.riens local” ser premiado como o melhor a concurso. O conceito visa revolucionar a experiência do turista, ao reunir toda a informação (atividades, horários, pontos de encontro, fotografias) numa aplicação que dispensa outros intermediários.

Em segundo lugar ficou o projeto “Sentidos à Mesa”, que visa reunir à mesa a doçaria conventual, a arte e gastronomia regional, com forte sentido de responsabilidade social. Já o “Eye Kitchen”, plataforma de canais digitais através da qual o consumidor poderá visualizar o prato a ser confecionado, mereceu também a seleção do júri para a etapa de incubação.

Os nove projetos selecionados serão agora incubados na Incubadora de Moda e Design da Fábrica de Santo Thyrso por um período de seis meses, ao longo do qual receberão apoio técnico na elaboração do plano de negócios e na criação da empresa.

 

Imagens: Município de Santo Tirso

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é cidadania e serviço público.

Diário digital generalista de âmbito regional, a Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Para lá disso, a Vila Nova pretende pretende produzir e distribuir cada vez mais e melhor informação, com independência e com a diversidade de opiniões própria de uma sociedade aberta.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de mbway, netbanking ou multibanco.

MBWay: 919983484

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Economia, Política

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.