Nuclear | Three Mile Island encerra no final do verão

Nuclear | Three Mile Island encerra no final do verão

Pub

 

 

A central nuclear de Three Mile Island, nos Estados Unidos, encerra no dia 30 de setembro próximo, revelou a Exelon, empresa proprietária que gerou 32 mil MW de eletricidade em 2018. A concorrência de um combustível fóssil – o Gás Natural – como opção foi a explicação económica avançada, indica a publicação especializada Ambiente Online.

 

 

A central nuclear de Three Mile Island ficou tristemente famosa quando, há 40 anos, em 1979, saltou para as notícias de abertura dos telejornais e as primeiras páginas dos jornais durante meses a fio quando ali aconteceu o pior acidente nuclear na história dos Estados Unidos. À época, do acidente, não resultaram vítimas mortais, apesar de classificado com o grau 5 numa escala que vai até sete, classificação atribuída à catástrofe de Chernobyl, na antiga União Soviética, em 1986. Na altura, mais de 140.000 pessoas foram deslocadas da zona e só após seis anos o reator número 01 foi reativado.

“Embora pequenos acidentes em centrais nucleares tenham sido registados antes, o de Three Mile Island, em 1979, despoletou um movimento negativo da opinião pública relativamente à energia nuclear, reforçada com a explosão e fusão do reator número 4 da central de Chernobyl em 1986 e, mais recentemente, com o acidente na central japonesa de Fukushima em 2011″.

A Exelon prevê desmantelar as torres de refrigeração de Three Mile Island a partir de 2074. O combustível nuclear remanescente será guardado até 2022 em instalações especialmente preparadas para o efeito, com múltiplos níveis de estruturas de segurança, mantendo também colaboradores e meios eletrónicos altamente especializados, de acordo com o processo SAFSTOR.

Por seu lado, a Compelo, publicação especializada no mundo das energias, assinala o encerramento antecipado da central como estando já previsto há algum tempo, dado não existirem reformas políticas favoráveis ao seu funcionamento, mas também devido a desafios económicos e falhas de mercado que não reconhecem os benefícios ambientais e de resiliência das centrais nucleares para que se atinja o objetivo ‘Carbono: Zero’.

“Apesar de vermos forte apoio em Harrisburg [- a capital do Estado -] e em toda a Pensilvânia para reduzir as emissões de carbono e manter os benefícios ambientais e económicos proporcionados pela energia nuclear, não vemos um caminho para mudanças políticas antes de 1 de junho, data-limite de aquisição de combustível para Three Mile Island”, disse Kathleen Barrón, Exelon vice-presidente sénior da empresa responsável para os assuntos governamentais e regulatórios e políticas públicas. Kathleen Barrón lembraria outras centrais nucleares do mesmo Estado prosseguem a sua laboração, com emissão de zero carbono, fornecendo energia limpa ininterruptamente, evitando milhões de toneladas de emissões de carbono a cada ano.

 

Imagem: (0) Centers for Disease Control and Prevention e (1) Z22

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à sua manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária.

MB Way: 919983404

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Economia, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.