Construção e Obras Públicas

Negócios | Setor da Construção inicia bem o ano de 2019

Negócios | Setor da Construção inicia bem o ano de 2019

Pub

 

 

O setor da Construção tem revelado um início de ano 2019 auspicioso, sobretudo marcado por obras públicas de elevado valor, mas também por um forte investimento privado. Dados os trabalhos em curso, o investimento já realizado e os indicadores gerais da atividade económica em Portugal, a AECOPS perspetiva, em Portugal, em 2019, um crescimento de 4% no setor, após um ano transato que já havia sido de assinalável crescimento.

 

 

Em termos obras públicas, o investimento público, sobre o qual têm sido lançadas perspetivas positivas de evolução, destaca-se pelo crescimento homólogo de 270% do valor total de empreitadas de obras públicas lançadas a concurso ao longo dos dois primeiros meses do ano. A contribuir para tal crescimento, salientam-se as duas obras de mais elevado montante: a empreitada do Prolongamento do Quebra-mar Exterior e das Acessibilidades Marítimas do Porto de Leixões, no valor de 141 milhões de euros, e a empreitada relativa ao Plano de Expansão do Metropolitano de Lisboa – Prolongamento das Linhas Amarela e Verde (Rato – Cais do Sodré), no valor de 120 milhões de euros.

Também relativamente ao investimento privado, nomeadamente no que concerne ao segmento habitacional, os indicadores disponíveis mantêm-se animadores. O número de fogos novos licenciados durante o mês de janeiro (1.835) traduz um crescimento de 43% face a igual mês de 2018, ano durante o qual o número de fogos licenciados já havia crescido 42%, em termos homólogos anuais. Na hipótese de, em termos anuais para 2019, a evolução desta variável se aproximar do crescimento apurado em janeiro, então, concluir-se-ia o ano com um número de fogos licenciados que rondaria o nível obtido em 2009, há uma década atrás, uma hipótese muito promissora para a atividade do setor da Construção.

Com dados já disponibilizados até fevereiro, o consumo de cimento acompanha o aumento da atividade da Construção, com um crescimento de 18%, para um consumo acumulado de 512,5 mil toneladas para os dois primeiros meses do ano, um sinal positivo tal como é o decréscimo calculado, em janeiro, no número de desempregados inscritos nos centros de emprego e oriundos do setor da Construção (-26%, em termos homólogos, face a igual mês de 2018).

Já menos animadora é a evolução da área licenciada para a construção de edifícios não residenciais, a qual foi de -25% em janeiro, em termos homólogos. Não obstante, esta informação é ainda provisória e relativamente pouco significativa para ser usada como base para antecipar a evolução anual desta variável, já que a sua volatilidade é significativa ao longo do ano.

Assim, valorizando os sinais positivos dos indicadores disponíveis até agora, a AECOPS reforça convicção de um crescimento mais intenso da atividade da Construção em 2019 (+4,0% em termos reais) do que a apurada em 2018 (+3,5%).

 

Imagem: Guilherme Cunha

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à sua manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária.

MB Way: 919983404

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Economia

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.