Ensino | Eixo Atlântico encontra-se em Barcelos para partilhar experiências de Inclusão e Coesão Social

Ensino | Eixo Atlântico encontra-se em Barcelos para partilhar experiências de Inclusão e Coesão Social

Pub

 

 

Treze cidades do Eixo Atlântico apresentaram as suas experiências em diferentes âmbitos da educação, na quarta edição do Seminário de Intercâmbio de Experiências no Âmbito da Educação que se centrou na política social, na integração e na coesão das cidades. No seminário, realizado em Barcelos, participaram cerca de 70 pessoas, sobretudo técnicos de educação e vereadores das cidades do Eixo Atlântico. Neste seminário foram, ainda, apresentados projetos inovadores no âmbito da educação e inclusão social dos demais municípios participantes no encontro: Maia, Braga, Vila Nova de Gaia, Porto, Valongo, Santa Maria da Feira, Viana do Castelo, Corunha, Guimarães, Santiago de Compostela, Famalicão e Matosinhos.

 

 

Em matéria de Inclusão, a cidade anfitriã – Barcelos – apresentou o Projeto de Orientação Adaptada – destinado a pessoas com deficiência intelectual, crianças em idade escolar e 3ª idade. O objetivo deste programa é proporcionar a prática da modalidade de Orientação Adaptada a todas as escolas e instituições que trabalham em prol da deficiência e da 3ª idade no concelho de Barcelos. Pretende-se criar o Campeonato de ORI-adaptada e criar condições para a participação dos atletas barcelenses na Copa de Portugal de Ori-adaptada. Encontra-se em fase experimental e de implementação da modalidade de Orientação Adaptada a Cavalo.

ORI-adaptada dá autoestima e promove competências

Armandina Saleiro, a Vereadora da Educação e Ação Social do Município de Barcelos, apresentou o Projeto de Orientação Adaptada, que está a ser desenvolvido e implementado pela Câmara Municipal. Trata-se de um projeto-piloto em colaboração com as IPSS e escolas do concelho e que está a ter resultados bastante positivos. O Projeto de Orientação Adaptada tem como objetivo promover a inclusão social e o contacto com a natureza, uma vez que é uma modalidade praticada ao ar livre, e comporta benefícios para os seu praticantes ao nível cognitivo, mental e emocional. “Faz a diferença na vida das pessoas: dá-lhes auto-estima e promove competências”, sublinhou a Vereadora da Educação e Ação Social.

O Projeto de Orientação Adaptada de Barcelos é monitorizado pelo atleta barcelense Joaquim Sousa, vice-campeão europeu de Orientação. A Orientação Adaptada, ao contrário da modalidade original, não tem como essência a corrida e a leitura do mapa. Consiste, antes, no reconhecimento de painéis de cores e consequente resolução de desafios.

 

O projeto “Quem Tem Medo”, da cidade de Braga, é um programa para a inserção da etnia cigana, dirigida a crianças com risco de marginalidade, incluindo o nível de escolaridade desde 5º a 7º acompanhando até ao 9º ano, contemplando diversas atividades de expressões artísticas, com o fim de promover atitudes de respeito mútuo.

Nos projetos “Ante Pé” e “Mais Dois” de Guimarães, assume-se a educação para todos e a importância da transversalidade do conhecimento e das artes como fatores potenciadores do sucesso educativo, pelo que trabalha a exploração das competências pessoais e sociais através das artes representativas como teatro e dança, contribuindo para a formação integral.

Vila Nova de Famalicão apresentou o programa Acompanhar “Sou o que Sou em Virtude do que Todos Somos” que pretende criar processos potenciadores da melhoria do rendimento escolar e processos de capacitação, inclusão e envolvimento social dos alunos.

O projeto “School 4All – Viana do Castelo” é uma aposta na qualidade da educação num esforço continuado de requalificação e reorganização da rede educativa, promovendo as condições de ensino e aprendizagem das crianças.

Pelo seu lado, Maia expôs o projeto “Desafios para a equidade na educação” um programa cujo objetivo é dar apoio específico a estudantes com dificuldades muito sensíveis, estimulando o seu potencial. Ao mesmo tempo, apoiar as famílias que não conseguem encaixar no seu orçamento as terapias necessárias para o bem-estar e desenvolvimento das crianças. O programa contempla natação, terapia assistida por cavalos, musicoterapia e atividades nas feiras escolares. A última atividade pertence ao projeto “INEDIT.MAIA – Inclusão pela Educação, Investimos em Ti”, criado para a promoção do sucesso escolar.

A cidade de Matosinhos deu a conhecer “+Literacia” um projeto de formação orientado numa perspetiva sociocomunitária que tem como objetivo desenvolver ações de alfabetização a pessoas com mais de 18 anos que não sabem ler ou escrever ou que o fazem com muita dificuldade.

Vila Nova de Gaia apresentou “GaiaAprende+i” um programa municipal de apoio educativo promovido pelo município. No âmbito da expressão musical a cidade do Porto fez uma demonstração do projeto “Crescer com a Música” na educação pré-escolar, cujo principal objetivo é promover a inserção social e combater a exclusão através do desenvolvimento dum conjunto de ações que criem oportunidades de valorização pessoal através de diferentes instrumentos de carácter cívico e a promoção da cidadania de carácter cultural, social e de animação. Em matéria de inovação, a cidade de Valongo apresentou o projeto “Mais VAL”, um conjunto de medidas que intentam promover as competências da leitura, ou criação de apoio na transição entre o 1º e 2º Ciclos de Escolaridade. O projeto está a ser implementado em várias fases.

Santa Maria da Feira, pela sua parte, apresentou “Educação 5.0 – EDUFEIRA: Inovamos para o Sucesso”, destinado a crianças do 1º Ciclo do Ensino Básico, orientado a prevenir e reduzir o abandono escolar precoce proporcionando um ambiente rico em tecnologia, facilitador da aprendizagem, do trabalho colaborativo e de partilha de ideias.

Na área de ‘Participação e Criação na Escola’, os participantes no encontro ficaram a conhecer os programas “O Nosso Pátio” da Corunha; um processo participativo da comunidade educativa (com especial participação dos alunos), e os programas de conciliação familiar, laboral e pessoal no âmbito educativo de Santiago de Compostela.

Finalmente, no âmbito da ‘Coesão Social’ foram apresentados os trabalhos das políticas sociais em matéria educativa, bolsas concedidas para refeições nas cantinas, aquisição de material escolar e realização de atividades extraescolares da cidade de Santiago de Compostela.

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à sua manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária.

MB Way: 919983404

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Mais recentes

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.