Vila Nova de Famalicão

Educação Artística | Labirinto das Artes pretende apoiar escolas e ser polo de atração famalicense

Educação Artística | Labirinto das Artes pretende apoiar escolas e ser polo de atração famalicense

Pub

 

 

 

Inovador e único a nível nacional e internacional, assim é o Labirinto das Artes, o mais recente projeto de ‘A Casa ao Lado’, que foi apresentado esta segunda-feira, 1 de abril, pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, em mais uma jornada do Roteiro pela Inovação.

 

 

Localizado numa quinta de Requião, a cerca de 10 quilómetros da cidade de Famalicão e rodeado pela natureza, o Labirinto das Artes proporciona uma experiência ímpar e inesquecível aos visitantes, através de uma viagem exclusiva pela história mundial do grafismo, percorrendo diferentes épocas, costumes e técnicas de pintura com milhares de anos.

Infraestrutura de apoio às escolas

O Labirinto das Artes dispõe de dez salas, cada uma delas representativa de dez momentos da história do grafismo humano. Iniciando com a arte rupestre, no período paleolítico, passando pela idade dos metais, o antigo Egipto, a Grécia Antiga, o Império Romano, a Idade Média, o Renascimento, o neoclassicismo, o impressionismo e os movimentos artísticos do século XX, também conhecidos como Arte Moderna, as visitas são efetuadas à luz de lanternas, com música ambiente e monitorizadas por um guia que vai explicando as várias imagens.

Polo de atração para Famalicão

“É um projeto fabuloso”, afirmou Paulo Cunha, no final do percurso completamente rendido à ideia que resulta “num novo polo de atração para Vila Nova de Famalicão”.

Para além disso, segundo o autarca “este labirinto das artes é uma ferramenta muito relevante no contexto do processo educativo e formativo dos nossos cidadãos”. “É um percurso que permite, de uma forma imaginativa, criar condições para que as nossas crianças possam ter uma perceção mais rigorosa de um conjunto de factos históricos que é muito importante conhecer e que é um verdadeiro complemento àquilo que consideramos ser o verdadeiro projeto educativo concelho”, salientou Paulo Cunha, elogiando o trabalho desenvolvido pela ‘A Casa ao Lado’. “São novas propostas que engrandecem e muito a resposta cultural e educativa do concelho de Vila Nova de Famalicão”, realçou ainda.

Arte e a história repetem-se

De acordo com os responsáveis d ‘A Casa ao Lado’, Ricardo Miranda e Joana Brito, o grande objetivo deste projeto é ajudar as crianças e jovens “a compreender a arte”. Pretende-se também que percebam “que muito do que se faz hoje em dia já se fazia há milhares de anos, mas com outros instrumentos e materiais”.

“Achámos que era necessário mostrar esse tipo de evolução do grafismo para que as pessoas compreendessem melhor os trabalhos que realizamos no exterior, o objetivo é exatamente esse – uma educação artística”, resumiu Joana Brito.

A partir de agora, o Labirinto das Artes está pronto para receber visitas. Para além das dez salas que ficarão equipadas com audioguia, o projeto inclui ainda um conjunto de três laboratórios e oficinas, e um espaço verde e de lazer, com excelentes condições para piqueniques. O público-alvo são grupos de crianças e jovens do pré-escolar até ao secundário, mas destina-se também a famílias e público em geral.

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à sua manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária.

MB Way: 919983404

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Política, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.