30 e 31/3 Braga

Festival | Braga Vegan pretende cativar público para a causa do veganismo

Festival | Braga Vegan pretende cativar público para a causa do veganismo

Pub

 

 

 

Depois do S. João Vegan, Dia Mundial do Veganismo, Dia Mundial contra o Especismo, vigílias pelos animais, manifestações e sessões de esclarecimento várias, a primeira edição do festival Braga Vegan, a decorrer no Espaço Toca e seus acessos (antiga entrada dos cinemas do Braga Shopping) nos próximo dias 30 e 31 de março, protagoniza e anima diversos eventos de veganismo em simultâneo na cidade de Braga. O Braga Vegan é organizado pelo movimento Braga para Todos.

 

 

O Braga Vegan espera a presença de cerca de 2000 mil pessoas ao longo de 19 horas, divididas entre dois dias dedicados ao veganismo naquela que é a primeira experiência do género na cidade.  Para quem ainda não está familiarizado com o estilo de vida, será possível conhecer mais de uma dezena e meia de expositores dedicados ao veganismo, almoçar, jantar e até mesmo participar em várias palestras ou num workshop destinado a ativistas. O Braga para Todos está otimista e espera, mais uma vez, mostrar à comunidade como é fácil deixar os animais de fora do prato, do vestuário e de outros produtos, como os de higiene e limpeza.

Braga (mais) Vegan tem parcerias

O Braga para Todos rejeita o especismo animal e defende uma alimentação vegan. Desde a sua criação em julho de 2017, este movimento tem vindo a organizar vários eventos como o S. João Vegan, Dia Mundial contra o Especismo e Dia Mundial do Veganismo, a par de várias ações pelo bem-estar e direitos dos animais. Para além disso, na organização conta ainda com a parceria da associação de proteção de animais Abandoned Pets, Braga Animal Save e apoio logístico do Espaço Toca, Synergia e da marca Celeiro.

Adotar o veganismo

O festival Braga Vegan é uma iniciativa do movimento cívico independente Braga para Todos que pretende, segundo a dirigente e porta-voz Elda Fernandes,  mostrar como é  simples e urgente adotar o veganismo: “Numa altura em que há alguma consciência do estado do nosso planeta, há um continuar com carne no prato. Quem defende mudanças para salvar o nosso planeta dificilmente terá argumentos  bons para não ser vegan. Além disso, defendemos os direitos dos animais e não se pode considerar que estes tenham uma vida digna, longe disso”. Elda Fernandes manifesta-se ainda contra a indústria agropecuária, considerando que “destrói o planeta”, e a tradição de antropocentrismo, que “não faz sentido na forma como pensamos o todo. Os animais são tratados como objetos com o fim único de satisfazer um prazer que é o nosso”.

Para além de refeições confecionadas pelas associações organizadoras que revertem na totalidade para o bem-estar animal e carecem de inscrição obrigatória, o Braga Vegan contará com a presença de expositores como: Capuchinho Verde, Menu Vegan, Mãe Natureza, Panos da Vera ,Respiramor, Vegan Care, Malu ecoshop, Bvegan, Nina Coopstore, Pecado Saudável, Adamasttor, Enchidos Agramonte, Bee Portugal, The vegan Care, Flor da vida , Chanson Portugal, Petiscos Vegan, Hibiscos e Associação Vegetariana Portuguesa.

Atividades no Braga Vegan

No plano das ações, o festival começa, no sábado, às 15h00, com um workshop orientado por Elda Fernandes, uma das fundadoras do BpT e possuidora de formação e experiência na área da comunicação, destinado a ativistas e a associações, onde serão transmitidas noções básicas de comunicação que visam passar uma mensagem de forma clara, objetiva e transmitir ferramentas para que um ativista consiga, por exemplo, criar um comunicado de imprensa com sucesso. Após as 16h30 inicia-se a palestra do Braga Animal Save e a visualização e discussão do documentário “The end of meat“. No horário do jantar, o Braga Vegan oferece música com atuação ao vivo da banda Pain is the new cocaine, após o que acontecerá o fecho do primeiro dia de festival cerca das 22h00.

No domingo, o Braga Vegan abre portas pelas 11h00, após o que se sucederá uma palestra, pelas 12h00, com a presença do fundador da Ecoaldea Vegetariana Espiral, Atzar Batlle. Segue-se o brunch, entre as 12.30h e as 14h00, que terá, em simultâneo, uma exibição de dança da Arabesk Troupe. Após as 15h00, começam as palestras com Rafael Pinto, conhecido youtube vegan e atleta, que falará do veganismo e exercício físico, uma palestra sobre a indústria agropecuária e as alterações climáticas com a Climate Save Portugal. Após uma pausa, acontece nova palestra, desta feita por Juliana Ferreira, licenciada em Filosofia pela Universidade do Minho, que falará sobre “Seres sencientes como propriedade ou responsabilidade”. Pedro DMaster Gonçalves realizará também uma comunicação “Veganismo fora da luta de mercados” e por fim, Andréa Medeiros, elemento do Braga para Todos que falará do “Consumismo e sofrimento animal”. O festival encerrará as suas portas no dia 31 de março às 19h00.

Horário:

30 de Março das 11h00 às 22h00 e 31 de Março das 11h00 às 19h00

 

**

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à sua manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de multibanco ou netbanking.

MBWay: 919983484

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Agenda, Política, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.