Esposende

Teatro | FestiAma decorre em Esposende nos meses de fevereiro e março

Teatro | FestiAma decorre em Esposende nos meses de fevereiro e março

 

 

 

O Município de Esposende vai levar a efeito, nos meses de fevereiro e março, a terceira edição do FestiAma – Festival de Teatro Amador do Concelho de Esposende. O evento enquadra-se no programa CREARTE – Crescimento da Arte Teatral em Esposende e contempla a apresentação de seis produções teatrais, num total de doze espetáculos, no Auditório Municipal de Esposende.

 

 

Os grupos de teatro amador do concelho vão levar à cena as peças de teatro preparadas no âmbito das respetivas formações, sob a orientação do encenador e formador Jorge Alonso, sendo eles o Forjães em Cena, o GARFO – Grupo de Artes Recreativas de Fonte Boa, o GATA – Grupo de Teatro Amador de Fão, o GATERC – Grupo Amador de Teatro Esposende-Rio Cávado e o JUM – Juventude Unida de Marinhas. O grupo de teatro infantil e juvenil Boca de Cena, sob a orientação do encenador Hugo Direito Dias, irá estrear a peça “Escafandro”. Os espetáculos decorrerão ao fim-de-semana, ao sábado às 21h30 e ao domingo às 16h30, sendo que cada ingresso custa 2 euros.

O festival inicia-se no fim-de-semana de 16 e 17 de fevereiro, com a apresentação da peça “O Nariz”, uma adaptação do conto de Nicolau Gogol, pelo GATA – Grupo de Teatro Amador de Fão. O Nariz é um dos contos cómico-satíricos clássicos da literatura russa e conta a história de um oficial de São Petersburgo cujo nariz abandona o rosto e decide ter uma vida independente. O espetáculo desenrola-se na busca desesperada desta parte do corpo tão importante e tão definidora da personalidade de cada um.

O GATERC apresenta-se em palco, nos dias 23 e 24 de fevereiro, com a produção “Al Olaré”, baseado num texto de Mário Botequilha. A peça retrata a história de um embuste, o golpe dado a um país, a uma geração, a muitas gerações, pelo ganancioso Pantalone, o homem que quer sempre mais uma moedinha no porta-moedas e um amigo bem colocado no bolso.

O FestiaAma prossegue, nos dias 9 e 10 de março, com o Boca de Cena, que apresenta “Escafandro”, com texto de Hugo Direito Dias, peça criada no âmbito do Março com Sabores do Mar 2019. “Escafandro” imerge-se, sem fôlego, numa terra de mar. Uma terra que quem visitar, do ar ao mar, fica a amar… Era uma vez um mergulho no amor de um Robalo por uma bela Travessa. O inusitado caso amoroso vem levantar a questão “O que estás disposto a fazer por amor?”. E a história enrola-se como onda, mar adentro, mar afora, afagando o paladar de um sabor fresco a Esposende.

Nos dias 16 e 17 de março, o JUM leva à cena “Círculo da Caça”, de Eduardo de Filippo. A peça acontece em torno de um respeitoso “Clube de Caça” que não é mais que um disfarce de uma casa de jogo clandestina. Januário Ferro, o proprietário, arranja um novo “sonso” para o jogo, o Luisinho Pobretanas, a quem tenta ensinar os truques do ofício. Neste jogo de disfarces irão participar alguns mal-afamados frequentadores da casa de jogo, assim como as mulheres que tentarão distrair o “frango a depenar”. Uma farsa que evidencia as relações entre o Povo e a Burguesia, tema muito presente nas peças de Filippo.

O GARFO apresenta, nos dias 23 e 24 de março, “Aqui há Gato”, de Joaquim Graça do Vale, uma peça cómica que abre uma janela sobre a complexidade das relações amorosas e suas aventuras, abordando-as sob perspetivas etária, estrato social ou simplesmente de ordem cronológica.

A encerrar esta terceira edição do FestiAma, no fim de semana de 30 e 31 de março, o grupo Forjães em Cena apresenta “A Vizinha do Lado”, de André Brun. O professor de moral Plácido Mesquita vai de Forjães a Lisboa visitar o seu sobrinho Eduardo para o resgatar de uma vida condenável de maus vícios e encontra-o dividido entre a paixão pela sua vizinha do lado, a jovem Mariana, e a relação amorosa que mantém com Isabel Moreira, artista de variedades arrojada e muito determinada. O vizinho Saraiva e o porteiro Jerónimo contribuem para a confusão que se instala no prédio e contagia o professor, que vê o objetivo da sua viagem ser radicalmente alterado.

O Festival de Teatro Amador de Esposende visa dar a conhecer o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelos grupos de teatro amador do concelho, sob a orientação do encenador e formador Jorge Alonso e de Hugo Direito Dias. Para além da oportunidade de apresentarem publicamente o seu trabalho e de se conhecerem entre si, os grupos de teatro do concelho têm também, através deste festival, a oportunidade de adquirir ferramentas relativas à organização de um espetáculo.

 

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à sua manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária.

MB Way: 919983404

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Agenda, Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.