23/11 a 6/1 Vila Nova de Famalicão

INAC | Circo de Papel: o circo e o Natal

INAC | Circo de Papel: o circo e o Natal

 

 

 

“Circo de Papel é um projeto dedicado ao Circo Contemporâneo e ao Novo Circo. Uma tenda destinada em exclusivo ao desenvolvimento e criação artística com o objetivo de levar a magia do espetáculo a todos os públicos. Um espaço de emoções, de imaginação e do extraordinário que surge materializado na forma de uma tenda em homenagem às origens do circo, um espaço itinerante de partilha e descoberta, onde a exploração de animais não tem lugar.” Estas foram as palavras de Bruno Machado, diretor geral do INAC – Instituto Nacional de Artes do Circo, e diretor artístico e encenador do espetáculo “Bairro” sobre o projeto de Natal dedicado a miúdos e graúdos. Os espetáculos arrancaram no passado dia 23 de novembro, numa tenda erguida no Parque da Juventude de Famalicão.

A ideia surgiu com o intuito de trazer ao povo famalicense artistas de qualidade, bem como uma visão atual do circo, permitindo a crianças e adultos o contacto com um espetáculo diferente do habitual, “fomentar a criatividade, a sensibilidade e o pensamento”. O projeto tem como base uma reflexão sobre a ligação que o circo tem com a época natalícia em Portugal. Aliás, “Bairro” é uma proposta do INAC que tem como “ponto de partida a pesquisa e observação das relações humanas e do modo como o poder se pode comportar”. No fundo, são retratos de uma história de amor e entreajuda e de uma luta bem-sucedida contra alguém que representa o poder destrutivo e aquilo que não queremos como exemplo na sociedade.

De facto, e segundo Bruno Machado, “é um espetáculo sobre todos nós, sobre a importância de nos conectarmos e de estarmos mais próximos do outro”. Com efeito, este espírito parece encaixar-se naquela que é a essência do INAC, que consiste em trazer o circo a todos os públicos, proporcionando uma nova oferta e enriquecendo o panorama cultural do concelho.

Tendo em conta que a mensagem que se pretende transmitir é a de amor e compaixão, o diretor do INAC revelou que, apesar de esta ser “uma proposta diferente do habitual, o feedback tem sido bastante positivo”.

Num cenário envolto de fantasia, os espetáculos decorrem até 6 de janeiro com sessões para as escolas (de terça a quinta-feira, às 10h00, com reserva antecipada) e para o público em geral às sextas-feiras, às 18h00 e às 21h30, aos sábados e domingos às 10h00, 15h00, 21h30, e sessões extra nos dias 24 de dezembro, às 10h00, e 1 de janeiro, às 15h00.

O Instituto Nacional de Artes do Circo localiza-se em Ribeirão, freguesia de Famalicão, num espaço dedicado ao circo contemporâneo, que dispõe de uma área de escola e treino, assim como uma área para residências artísticas. É, ainda, um ponto de encontro de artistas profissionais e estudantes de circo.

Refira-se que o “Circo de Papel” se insere na campanha de Natal de Famalicão 2018, que é promovida pela Câmara Municipal de Famalicão em colaboração com a Associação Comercial e Industrial de Famalicão (ACIF).

Os bilhetes para o espetáculo “Bairro” podem ser adquiridos na bilheteira, no local do espetáculo ou acedendo à página Circo de Papel.

 

Imagens: Município de Famalicão

 

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver. 

A Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. 

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de multibanco ou netbanking.

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

 

Pub

Categorias: Agenda, Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Maria João Mesquita

Maria João Mesquita nasceu em 1996 e é natural de Vila Nova de Famalicão. Apaixonada pelo mundo da comunicação, encontra-se a realizar o Mestrado na área do Jornalismo na Universidade do Minho. Interessa-se por cinema, literatura, viagens e fotografia e acredita que “o impossível reside nas mãos inertes daqueles que não tentam”. Ambiciona um mundo em que a paz e o amor sejam imperativos e as gargalhadas constantes.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.