Ler | Hélder Macedo recebe Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho da APE e Município de Famalicão

Ler | Hélder Macedo recebe Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho da APE e Município de Famalicão

 

 

 

O romancista, poeta e ensaísta Hélder Macedo recebeu esta terça-feira, na Academia das Ciências de Lisboa, o Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho 2017, da Associação Portuguesa de Escritores, que conta com o patrocínio integral do Município de Famalicão no valor de € 7.500,00 pela obra “Camões e Outros Contemporâneos”.

 

 

“Este livro impõe-se pela mestria da sua linguagem, precisa, arguta e inventiva, muito fértil como chão de verdadeira tarefa que é a do ensaísmo literário – pensar a literatura dentro da própria literatura”, justificou o júri, que o atribuiu por unanimidade, pela voz da sua representante, Clara Rocha.

A cerimónia foi presidida pelo Vice-Presidente da Classe de Letras da Academia, Jorge Gaspar, A cerimónia contou ainda com a presença do presidente da Associação Portuguesa de Escritores, José Manuel Mendes, e o presidente do Município de Famalicão, Paulo Cunha, que se deslocou a Lisboa expressamente para o efeito. “Razões de substância” fizeram o Presidente da Câmara Municipal famalicense deslocar-se a Lisboa para um cerimónia que normalmente decorre em Famalicão por entre os milhares de livros que compõem a Biblioteca Eduardo Prado Coelho.“A ligação da Academia das Ciências de Lisboa à cultura e ao premiado justificaram a abertura do precedente”. Foi, por isso, entre amigos da Academia e entre amigos de Eduardo Prado Coelho que o prémio foi entregue, numa cerimónia intensa em substância e em sentimentos.

Camões e Outros Contemporâneos” reúne ensaios e testemunhos sobre autores portugueses de várias épocas e tempos, como Sophia de Mello Breyner Andresen, Mário Cesariny, D. Diniz, José Saramago, Eça de Queiroz, Herberto Helder ou Sá de Miranda. Hélder Macedo alega, na introdução da obra, que “contemporâneos são todos aqueles com quem vivemos”.

Na ocasião, Hélder Macedo manifestou-se “muito grato” pelo prémio que, disse, “diz muito mais de quem o atribui do que de quem o recebe”. Neste caso, Hélder Macedo deixou escapar um significado especial pela circunstância de ter sido “amigo” de Eduardo Prado Coelho, que avalia como “um dos grandes criadores da crítica literária”.

Sobre o autor, o Jornal i refere que Hélder Macedo é “um dos membros fundadores do grupo do Café Gelo, tendo produzido uma das mais desassossegantes obras de fatura crítica no campo literário enquanto foi professor catedrático do King’s College, em Londres onde, até 2004, foi titular da celebrada Cátedra Camões, acrescentando ainda que o autor tem sido alvo de “esquecimento por parte da academia portuguesa e suas adjacentes instituições culturais”.  Teresa Carvalho, no mesmo diário, diria que Hélder Macedo é “inimigo do estereótipo” e das ‘mitificações retrospectivas’.

Em 2018, o ensaio “Camões e Outros Contemporâneos” já havia sido distinguido com o Prémio D. Diniz 2018, atribuído pela Fundação da Casa de Mateus, em Vila Real. Hélder Macedo, 82 anos, é autor de vários ensaios sobre literatura portuguesa. Para além disso, publicou diversos outros títulos de ficção e de poesia, nomeadamente, os romances “Pedro e Paula” (1998) e “Tão Longo Amor Tão Curta a Vida” (2013), a coletânea “Poemas Novos e Velhos” (2011) e “Romance” (2015).

O Grande Prémio de Ensaio Eduardo Prado Coelho foi criado pela Associação Portuguesa de Escritores, e é apoiado e patrocinado pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão. O júri desta edição integrou os professores e investigadores Artur Anselmo, Clara Rocha e Isabel Cristina Rodrigues, esta última vencedora da edição 2017 deste mesmo prémio. Este prémio destina-se a galardoar, anualmente, uma obra de ensaio literário, em português e de autor português, publicada em livro, em primeira edição, no ano anterior. Instituído em 2010, este galardão distinguiu já autores como Victor Aguiar e Silva, Manuel Gusmão, João Barrento, Rosa Maria Martelo, José Gil, Manuel Frias Martins, José Carlos Seabra Pereira e Isabel Cristina Rodrigues.

 

Fontes: Município de Famalicão, APE, Jornal i, ANMP e SIC Notícias

Imagens: Município de Famalicão

 

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver. 

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. 

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à manutenção e desenvolvimento na rede. 

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de multibanco ou netbanking.

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

 

Pub

Categorias: Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.