Trofa

Escrita | ‘Quem vem lá?’, de Rui Almeida Paiva vence Prémio Matilde Rosa Araújo do Concurso Lusófono da Trofa

Escrita | ‘Quem vem lá?’, de Rui Almeida Paiva vence Prémio Matilde Rosa Araújo do Concurso Lusófono da Trofa

 

 

 

Quem vem lá?, conto de Rui Almeida Paiva, de Portugal, foi o grande vencedor da edição 2018 do Concurso Lusófono da Trofa – Prémio Matilde Rosa Araújo, tendo recebido um prémio de 2000 euros, promovido pelo Município da Trofa, terra “amiga da literatura infantojuvenil”.

 

Os vencedores das várias categorias em destaque no Concurso foram revelados na tarde do passado dia 18 de novembro, durante as comemorações do 20º Aniversário de criação do Concelho da Trofa, na Antiga Estação Ferroviária da cidade.

Esta cerimónia, que evocou a madrinha do Concurso Lusófono, através do Prémio Matilde Rosa Araújo e que conta com a parceria do Instituto Camões, teve a presença de um grupo de alunos do 4º ano de escolaridade da Escola de Paradela, que leram ao público presente o conto vencedor, e da Orquestra de Ritmos Ligeiros da Trofa.

Os restantes prémios deste Concurso Internacional também revelados a 18 de novembro, tendo sido atribuídos o Prémio Melhor Ilustração Original 2018, no valor de 1.500 euros, a Maria do Rosário Castanheira Alexandre Pinheiro da Silva, e o Prémio Lusofonia 2018, no valor de 1000 euros  ao conto “O casamento do Til e da Cedilha“, de Guilherme Semionato Silva Alves, do Brasil.

Esta edição do Concurso Lusófono atribuiu ainda quatro Menções Honrosas: a Moçambique, ao autor Stélio Baltazar Elias Manjate, pelo conto O sapinho do poço; à Guiné Bissau, à escritora Ana Nanque, pelo conto O Sol dura; a Timor Leste, à autora Natalícia Emanuel Soares Magno, pelo conto Buibere e as duas árvores apaixonadas” e a Cabo Verde, à escritora Kátia Cristina Fernandes Teixeira, pelo conto A bem amada gata!.

Esta sessão teve a presença do escritor Jorge Velhote e de Ana Isabel Soares, do Camões – Instituto da Língua, e dos membros do Júri Final do Concurso.

Rui de Almeida Paiva (1977) é editor, escritor e professor de ensino secundário. Licenciou-se em Ciências do Desporto pela Faculdade de Motricidade Humana em 2002. Possui ainda uma pós-graduação em Ciências da Comunicação – Cultura Contemporânea e o Mestrado em Edição de Texto, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Enquanto escritor, o seu percurso variou entre a publicação de livros, a dramaturgia, a criação de guiões de cinema e a realização de residências literárias. No campo da literatura tem produzido textos para teatro, dança e cinema. Em 2010, publicou o livro A Mala Rápida do Senhor Parado e em 2014 o livro Quem viaja encontra os segredos antigos mas perde os sapatos novos. Em 2015 venceria pela primeira vez o Concurso Lusófono da Trofa – Prémio Matilde Rosa Araújo com a obra O Ploc do Pollock.

Em 2011, com Sofia Gonçalves, fundou a 2 dias edições, publicado diversos títulos até à data, entre os quais Época de Estranheza em Frente ao Mundo (Susana Gaudêncio, 2012), Arroios (José Vieira Mendes, 2015) e A Grande Bebedeira (René Daumal, 2017).

 

Fonte: Município da Trofa, Arte em Rede e Buala

 

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de multibanco ou netbankimg.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

 

Pub

Categorias: Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.