Tecnologia | Portugal e China criam laboratório para o espaço e os oceanos

Tecnologia | Portugal e China criam laboratório para o espaço e os oceanos

 

 

Em projeto anunciado na Web Summit, Portugal e China vão criar, em 2019, um laboratório tecnológico direcionado para a construção de microssatélites e observação dos oceanos, um investimento público-privado de 50 milhões de euros a cinco anos. Há, desde já, catorze consórcios internacionais com interesse na construção da base para lançamento dos referidos microssatélites na Ilha de Santa Maria, nos Açores, a partir de 2021.

 

 

O ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, declarou que o “STARlab”, que estará a funcionar em pleno em março, terá dois polos, um em Matosinhos e outro em Peniche.

O anúncio foi feito pelo Ministro da Ciência e do Ensino Superior quase uma semana depois de ter terminado o prazo para empresas e entidades lançarem propostas no âmbito de um concurso público internacional lançado em setembro, que serviu para sentir o interesse do mercado.

O ministro da Ciência e Tecnologia, Manuel Heitor, espera ter um consórcio vencedor até maio do próximo ano. Segue-se um período de dois anos de concessão e construção, esperando-se que no verão de 2021 possam ocorrer os primeiros lançamentos.

Trata-se de um investimento global de 50 milhões de euros a cinco anos, repartido em partes iguais entre Portugal e a China, sendo que o financiamento português, de 25 milhões de euros, será público e privado.

O ministro adiantou que o investimento será canalizado sobretudo para o emprego qualificado, designadamente de engenheiros, e para a produção de microssatélites, setor no qual a China, assinalou, tem crescido.

Manuel Heitor exemplificou que o laboratório irá “desenvolver microssatélites em interligação com sensores em terra e no mar” que possam medir “as condições atmosféricas e a humidade do solo”, essenciais para a agricultura, e fazer observações oceânicas.

A criação do “STARLab” será formalizada com assinatura de um protocolo entre os dois países durante a visita oficial do Presidente chinês, Xi Jinping, a Portugal, prevista para dezembro.

O laboratório resulta de uma colaboração entre a Fundação para a Ciência e Tecnologia, a empresa aeroespacial Tekever e o Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, que tem projetos na área da vigilância marítima e exploração do mar profundo, e a Academia de Ciências Chinesa, através dos institutos de microssatélites e de oceanografia.

De acordo com um comunicado do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o “STARlab” deverá incentivar a abertura de centros científicos e tecnológicos em Portugal e na China, neste caso em Xangai.

 

Fontes: Partido Socialista e RTP

 

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver. A Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. 

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

 

Pub

Categorias: Ciência, Política

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.