Livros | Ana Margarida de Carvalho vence Grande Prémio de Conto “Camilo Castelo Branco” da APE/VNF

Livros | Ana Margarida de Carvalho vence Grande Prémio de Conto “Camilo Castelo Branco” da APE/VNF

 

 

 

Um júri constituído por Cândido Oliveira Martins, Fernando Batista e Isabel Cristina Mateus, reunido no dia 26 de Outubro de 2018, decidiu, por unanimidade, atribuir o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, atribuído pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão em parceria com a Associação Portuguesa de Escritores, ao livro Pequenos Delírios Domésticos, de Ana Margarida de Carvalho, publicado na editora Relógio D’Água.

Sobre a obra, o júri exarou em Ata:

«Trata-se de um conjunto de contos que surpreende o leitor pela invulgar actualidade temática e sociológica (dos incêndios que devastaram o país, em 2017, aos dramas íntimos de portugueses convertidos ao estado islâmico, de refugiados sírios num lar de velhos ou de uma mulher tunisina que dá à luz num barco apinhado de gente durante a travessia do Mediterrâneo, entre outros), aliadas a um notável trabalho de precisão e depuramento da palavra e, acima de tudo, a um olhar atento aos dramas humanos, independentemente do lugar mais ou menos doméstico que lhes serve de palco.»

Na página da Wook, o blogger António José Cravo pronunciou-se assinalando que “mais uma vez, Ana Margarida de Carvalho vai buscar o título de um livro a uma canção; de Sérgio Godinho, neste caso. Ler Ana Margarida de Carvalho é encontrar autores à espreita na janela de um parágrafo e a sorrirem-nos, a convidarem-nos a revisitá-los. Este é também um desafio da leitora que escreve com a mestria dos citados. Falar do livro “Pequenos Delírios Domésticos” é falar da arte da escrita, do conto, do domínio da língua e de uma cultura sólida que nos mostra que um grande escritor é, naturalmente, um grande leitor. Este livro é pão e vinho à mesa de quem degusta com prazer a boa escrita”.

Por sua vez, na GoodReads, Ana Ramos afirma perentoriamente que este livro se encontra ao nível do melhor que leu este ano. “Habitualmente, evito a leitura de livros de contos: sou leitora de fôlego longo, gosto de narrativas extensas, complexas, gosto de andar com uma história na cabeça vários dias, de acompanhar a evolução das personagens e do enredo… Mas a Ana Margarida de Carvalho consegue a proeza de escrever contos fascinantes, capazes de nos obrigarem à releitura e à reflexão continuada, que resulta de um deslumbramento pela língua, manipulada de forma precisa e sempre surpreendente”.

Ana Margarida de Carvalho é jornalista e escritora. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa, o seu primeiro romance “Que Importa a Fúria do Mar” valeu-lhe o prémio APE 2013. O mesmo livro foi finalista nos mais prestigiados prémios relativos à data de edição. Tem reportagens, contos e poemas espalhados por várias publicações e coletâneas e um livro infantil chamado “A Arca do É”, com o ilustrador Sérgio Marques. “Não se Pode Morar nos Olhos de um Gato” é o seu segundo romance, foi considerado livro do ano 2017, nomeado pela SPA, e vencedor do Prémio Manuel Boaventura.

O Prémio, instituído em 1991, pela Associação Portuguesa de Escritores com o patrocínio da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, destina-se a distinguir uma obra em língua portuguesa de um autor português ou de país africano de expressão portuguesa, publicada em livro, 1.ª edição, no decurso do ano de 2017.

O valor do prémio é de 7.500 euros.

A entrega do prémio irá acontecer na próxima segunda-feira, dia 5 de novembro, pelas 18h00, na Escola Secundária Camilo Castelo Branco.

 

Fonte: Associação Portuguesa de Escritores, GoodReads, Município de Famalicão, Wook

 

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver. 

A Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será. 

No entanto, a Vila Nova tem custos, entre os quais se podem referir, de forma não exclusiva, a manutenção e renovação de equipamento, despesas de representação, transportes e telecomunicações, alojamento de páginas na rede, taxas específicas da atividade.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de donativo através de netbanking ou multibanco.

NiB: 0065 0922 00017890002 91

IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91

BIC/SWIFT: BESZ PT PL

 

Pub

Categorias: Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.