Saúde | Visão infantil. SNS efetua rastreio em toda a região Norte de Portugal

Saúde | Visão infantil. SNS efetua rastreio em toda a região Norte de Portugal

 

 

O Rastreio da Saúde da Visão Infantil vai ser alargado a todos os Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) e Unidades Locais de Saúde (ULS) da região Norte de Portugal abrangendo, anualmente, 28.000 crianças com dois anos, anunciou a Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN).

 

 

O Rastreio da Saúde da Visão Infantil (RSVI) – aplicado a todas as crianças com 2 anos de idade, envolvendo numa fase inicial quatro ACES e dois centros hospitalares do Grande Porto – tem vindo a ser alargado.

Implementado, pela primeira vez em Portugal, em 2016, em modelo piloto na região Norte, o Rastreio da Saúde da Visão Infantil, em 2017, passou de quatro para doze ACES e seis hospitais ou centros hospitalares.

Durante esta fase rastrearam-se 13.564 crianças, com uma participação de 67% das crianças convidadas, sendo que destas, 12,6% (1.710) foram referenciadas para consulta e acompanhamento na especialidade de Oftalmologia em ambiente hospitalar.

Nas crianças observadas em Oftalmologia verificou-se a necessidade de prescrição de óculos a 36,3% dessas crianças.

As principais patologias identificadas foram o astigmatismo, a hipermetropia, a miopia e o estrabismo.

Tendo presente o sucesso e resultados obtidos, de 13 a 29 deste mês, o RSVI vai ser alargado a todos os ACES (21) e ULS (3) da Região, proporcionando, desta forma, uma cobertura total à população elegível, aproximadamente, 28.000 crianças por ano.

Todas estas crianças serão novamente convidadas para um segundo momento de rastreio aos 4 anos de idade.

Esta iniciativa do SNS evita problemas graves na visão com grande repercussão no futuro dos cidadãos nomeadamente a ambliopia. Esta patologia é uma disfunção do processo visual, que é a razão mais frequente de perda de visão unilateral entre os 20 e os 70 anos. As causas da doença instalam-se muito precocemente e a gravidade aumenta com a idade, com risco de perda visual igualmente no olho bom. A identificação precoce dessas origens e o seu tratamento em tempo útil terão como resultado uma diminuição da prevalência e da gravidade da doença.

Todas as crianças com 2 anos de idade inscritas nas unidades de saúde da região Norte serão convidadas a participar neste rastreio gratuito, em que, através de um exame simples e indolor será detetada a ambliopia ou o risco de a poder vir a desenvolver.

 

Fonte: Serviço Nacional de Saúde

 

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.