Construção Civil | Salários do setor sobem quase 7% em apenas 1 ano

Construção Civil | Salários do setor sobem quase 7% em apenas 1 ano

 

 

Segundo o Instituto Nacional de Estatística – INE, o Índice de Produção na Construção registou uma taxa de variação homóloga de 4,0% em junho, acelerando 0,4 pontos percentuais face a maio. Os índices de emprego e de remunerações cresceram 2,6% e 6,6% (2,8% e 3,3% em abril) pela mesma ordem.

 

 

Este índice reflete e confirma as impressões generalizadas que se têm vindo a verificar de que o setor da construção civil se encontra em forte alta. Este índice, que tem como objetivo mostrar, com periodicidade regular, a evolução do volume da produção no curto prazo, fornece uma medida correta da tendência do valor acrescentado a custo de fatores em volume ao longo de um dado período de referência.

Depois de vários anos em crise acentuada que levaram ao encerramento de um número bastante significativo de empresas e que, no fundo, significaram a “limpeza” do setor, como muitos empresários se lhe refere, de acordo com os dados recolhidos durante o mês de junho, o índice de produção na construção apresentou em junho uma taxa de variação homóloga de 4,0%, o que compara com 3,6% já registados em maio. Ambos os segmentos da Construção apresentaram variações superiores às observadas no mês anterior. A Construção de Edifícios, com a taxa de  variação homóloga a passar de 3,5% em maio para 3,8% em junho, apresentou o maior contributo – 2,3 pontos percentuais (p.p.) -, para o índice total. A Engenharia Civil teve um crescimento de 4,3% em junho (3,8% no mês anterior), contribuindo
com 1,7 p.p. para a variação agregada.

No que se refere ao emprego e remunerações do pessoal afeto ao setor de atividade, de acordo com o INE, o índice de emprego no setor da construção, apresentou uma taxa de variação homóloga de 2,6% (2,8% em maio). Face ao mês anterior, o índice de emprego registou uma variação de 0,3% (variação de 0,5% em junho de 2017).

Em junho, o índice das remunerações efetivamente pagas observou uma taxa de variação homóloga de 6,6% (3,3% em maio).
Comparativamente com maio, o índice das remunerações aumentou 9,9% (6,5% no mesmo mês do ano anterior). Esta subida tão acentuada das remunerações deve-se à enorme procura que se tem feito sentir, uma vez que, de um lado, não tem havido ainda muitos jovens a quererem ingressar na atividade e, de outro, muitos dos trabalhadores especializados do setor terão emigrado aquando do período de forte crise que atravessámos.

 

Obs: Por lapso, aquando do lançamento da notícia, este artigo foi titulado com a indicação de que os salários teriam subido cerca de 10% no último ano, o que é falso.

 

 

Fonte: Instituto Nacional de Estatística

 

Imagem de destaque: Obras de Construção Civil (PaviMogege – Empreiteiros de Construção Civil, Lda,).

 

Pub

Categorias: Economia

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.