7 a 9/9 Quinta da Atalaia, Seixal

Avante! | Minho está pronto para a 42ª edição da Festa político-cultural mais popular de Portugal

Avante! | Minho está pronto para a 42ª edição da Festa político-cultural mais popular de Portugal

 

 

De 7 a 9 de setembro próximo realiza-se a 42ª edição da ‘Festa do Avante!‘. Muitos são já os que têm na sua agenda a participação na Festa deste ano, alguns mesmo, é sabido, marcam desde logo, no anterior, encontro para o ano seguinte, pois desde que a Festa é festa que sempre tem mobilizado milhares e milhares de portugueses, mais e menos jovens, afetos ou não ao Partido Comunista, para nela participarem. O próprio atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, num passo que ficou bem visto na altura, visitou a Festa do Avante quando ainda se encontrava em campanha de preparação para as eleições presidenciais que haveria de vencer.

 

 

Os pavilhões das organizações regionais e dos setores do PCP são espaços privilegiados da ‘Festa do Avante!‘ que cativam os visitantes com a gastronomia, a cultura, as tradições e são também emblemáticos das lutas das suas populações.

Nestes espaços regionais, desde sempre o PCP tentou vincar o seu retrato do Portugal que trabalha e luta por um futuro de progresso e justiça social. Em simultâneo, pretende que estes sejam ponto de encontro obrigatório de milhares de visitantes da Festa.

Assim, a Organização Regional de Braga do Partido Comunista leva à Festa o melhor da região. Com um pavilhão localizado junto ao Palco 25 de Abril, com uma área aproximada de 1400 metros quadrados, o artesanato, feito pelas mãos de homens e mulheres do Minho que são referência nacional, terá mais uma vez destaque no pavilhão da OR Braga, das pequenas peças e recordações da Festa, até às peças de referência e emblemáticas do artesanato minhoto, tais como a olaria de Barcelos, brinquedos de madeira de Vila Verde, cestos e chapéus de palha de Fafe e peças decorativas (em barro, madeira ou cestaria) de várias zonas do distrito.

Na edição da Festa deste ano, a OR Braga apresentará peças de novos artesãos neste espaço. Assim, pela primeira vez na ‘Festa do Avante!’ estarão presentes peças de Laurinda Pias (1º prémio, Feira Internacional de Artesanato, Lisboa 2018), Carlos Dias, Irene Salgueiro e Telmo Macedo, para além das peças dos tradicionais e já consagrados autores de figurado Irmãos Mistério, Irmãos Baraça, Conceição Sapateiro, Manuel Macedo, António Ramalho, João Ferreira e João Soares.

Marca também presença no espaço da OR Braga, a melhor gastronomia da região, acompanhada pelo famoso e refrescante vinho verde típico do distrito. No Restaurante, a OR Braga apresentará o Bacalhau à Braga e a Massa à Lavrador, no Tasco, estarão presentes os petiscos do Vale do Ave, e na Doçaria a OR Braga primará pela diversidade, dando a provar doçaria conventual, as famosas Clarinhas de Fão e o Bolinhol de Vizela.

Do distrito de Braga participam também na Festa o Rancho Folclórico Estrelas Douradas, de Guimarães, no Palco Novos Valores atuam, no sábado, os Mustang, Banda das Taipas, e no Desporto, a equipa G-Team, de Futsal Feminino de Guimarães irá entrar em competição.

A pouco menos de um mês para o início da Festa, oa OR Braga do Partido Comunista considera “que estão reunidas as condições para, novamente, a ‘Festa do Avante!‘ser a maior iniciativa de cariz político e cultural que se realiza em Portugal.”

Segundo a Organização Regional de Braga, há ainda lugares nos transportes organizados pelo PCP, pelo que, quem assim o desejar, poderá obter informações e eventualmente proceder à sua inscrição através do telefone 253 616 850.

 

Destaque no Programa de 2018

«Este ano coincidiu com um aniversário importante para o Partido, que é o duplo centenário de Marx», afirmou Ruben de Carvalho, membro do Comité Central e da direcção da Festa, no jornal ‘Avante!’. Por essa razão, logo na primeira noite da Festa haverá o concerto «Em Louvor do Homem. Nos duzentos anos do nascimento de Marx», em que se poderão ouvir compositores clássicos contemporâneos de Karl Marx e Friedrich Engels e às suas obras, mas também outros, mais recentes, que se inspiraram nas suas questões filosóficas.

Mas a Festa tem muito mais para ouvir. No órgão do PCP, Ruben de Carvalho salientou que foram tidos em conta os «dois grupos mais fundamentais para a concretização da Festa», referindo-se à célula permanente e aos construtores da Festa, que a reerguem todos os anos, mas também, por outro lado, «os técnicos e artistas que com a sua música também fazem da Festa algo seu».

Os critérios que continuam a guiar as escolhas da programação das sucessivas edições da Festa são: a primazia à música portuguesa; o equilíbrio entre os nomes mais «consagrados» e os artistas mais jovens e emergentes; e a presença do maior número de tendências e géneros musicais possíveis.

Na área do pop rock português, poder-se-ão ouvir os Xutos & Pontapés, Sérgio Godinho, Boss AC, Dead Combo, Orelha Negra e muitos mais.

Para além da música, na Festa do Avante são também sucesso a feira do livro, o cinema e os debates políticos, sem esquecer o habitual discurso proferido pelo líder do partido, neste caso, Jerónimo de Sousa.

Alguns depoimentos de músicos (recolhidos da edição online do jornal Avante!):

Presença regular na Festa do Avante!, Janita Salomé, cujo reportório se dedica à música tradicional portuguesa reinventada, falou dos momentos que mais o marcaram na Festa: «A primeira vez que toquei na Festa foi na Ajuda, se não estou em erro, e era ainda músico do Zeca [Afonso]. Daí para cá tenho vindo com alguma frequência à Festa do Avante! e ao Palco 25 de Abril.» O momento que com mais carinho guarda foi quando se encontrou e cantou com o seu irmão, Vitorino Salomé. Acrescentou ainda que a Festa do Avante! «é um espaço de liberdade que não se vive fora daqui, é um outro mundo cá dentro, uma zona libertada. O modo de estar aqui é diferente do de lá de fora».

João Gil, um dos fundadores de Trovante e Ala dos Namorados, recorda a sua primeira atuação, em 1976, com os Trovante: «Atuei logo na primeira Festa, na FIL. Lembro-me de estarmos brancos e assustados. Mas foi uma noite mágica e um dia fantástico, a constatação do quanto a Festa foi importante para todos os músicos e para a música portuguesa e de ter sido o primeiro grande festival (…). Este Partido conseguiu ser inovador naquele tempo e atrair muita gente para a Festa, independentemente das suas convicções. Isso é um grande mérito.»

Dirigente do grupo Tocá Rufar, Rui Júnior relembrou os seus primeiros passos na Festa: «Lembro-me de estar aqui nesta Festa, ainda com o Álvaro Cunhal e o Octávio Pato, todos mais velhos que eu (…). Foi todo um percurso de camaradagem e de saber o que é a solidariedade». Salientou, em seguida, algumas das qualidades que atribui à Festa: «Às vezes podemos reparar só no palco e nas luzes, mas a questão do saneamento, das casas de banho, do acesso à água e da mobilidade de pessoas com deficiência, são tudo questões que têm evoluído e que eu admiro imenso (…). Aqui temos atenção às pessoas. A ‘Festa do Avante!’ é feita por pessoas para pessoas».

Manecas Costa, um dos mais célebres músicos da Guiné-Bissau e já experiente com o público português, salientou o papel da Festa do Avante! na promoção da interculturalidade: «A ‘Festa do Avante!’ acaba por ser um dos eventos mais marcantes deste país. É um evento com carácter internacional porque mobiliza várias comunidades. Todos os estrangeiros que moram cá em Portugal acabam por se sentir em casa aqui neste espaço magnífico. As pessoas ficam todas a sorrir, estão alegres, estão seguras, estão contentes, querem ouvir boa música, querem estar em família e em paz.»

Canoche é um dos membros dos Mundo Cão, banda de rock criada em 2001, que nunca actuou na ‘Festa do Avante!’. Porém, já por lá passou como visitante em mais do que uma ocasião e reconhece que a «maior parte das pessoas que aqui estão não são comunistas, mas vêm pela celebração da própria Festa e isso é que é fundamental».

Os Buraka Som Sistema estão em hiato desde 2016. No entanto, e tal como DJ Riot recordou, ainda atuaram na Festa: «A ‘Festa do Avante!’ tem sempre um impacto diferente. É uma festa com muitos anos e quando se vem pela primeira vez, não se sabe o que esperar. Com os Buraka, também não sabíamos o que esperar, mas quando entrámos no palco vimos um mar de pessoas todas a curtir o nosso som. Foi mesmo maravilhoso.»

 

Memória e futuro
A ‘Festa do Avante!’ estreou-se em 1976, na FIL. Nos dois anos que se seguiram foi a vez do Jamor a acolher; de 1979 a 1986 seguiram-se oito anos em que a Festa se instalou no Alto da Ajuda, também em Lisboa.

Em 1987 a Festa não se realizou e, nos dois anos posteriores, 1988 e 1989, teve ligar em Loures. Desde a aquisição da Quinta da Atalaia pelo PCP, em 1990, e posteriormente da Quinta do Cabo, em 2016, que a Festa do Avante! conhece a sua localização permanente na margem Sul do Tejo.

São, ao todo, 42 anos de Festa, reconhecida no País pela qualidade e relevância que ocupa no panorama cultural nacional.

Fontes: Partido Comunista Português (OR Braga) e Jornal do Avante!

Ligações:

Festa do Avante – homepage

Festa do Avante! – facebook

Festa do Avante!: registos fotográficos – facebook

Partido Comunista Português – homepage

Jornal do Avante! – homepage

Pub

Categorias: Cultura, Política

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.