Vila Nova de Famalicão

Obras municipais | Município requalifica adros das igrejas do concelho

Obras municipais | Município requalifica adros das igrejas do concelho

Pub

 

 

Desde 2016, a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão investiu quase 300 mil euros na atribuição de apoios para a reabilitação e arranjos de diversos adros de igrejas do concelho. os adros, terrenos situados em frente ou em volta das igrejas, são espaços de convívio comunitário de eleição.

 

 

Os adros  das igrejas de Arnoso Santa Eulália, Portela, Esmeriz e Lousado viram-se requalificados após um investimento municipal que incluiu também, em alguns casos, o arranjo de acessos e zonas envolventes.

Hoje em dia, estes espaços são locais de contacto entre os membros das comunidades antes e depois das cerimónias religiosas, pelo que acabam por resultar em espaços centrais na vida das diversas comunidades locais.

No último sábado, 21 de junho, o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, acompanhado pelo vereador das freguesias, Mário Passos, inaugurou as obras realizadas no adro da igreja de Lousado e salientou a importância “destes espaços comunitários para as freguesias e para as suas populações”.

Por seu turno, o presidente da Junta de Freguesia de Lousado, Jorge Ferreira, mostrou-se “muito satisfeito” com a obra concluída, realçando que “o espaço do adro da igreja é um dos ex-libris da freguesia e um dos seus cartões de visita”.

Neste caso, as obras contaram com uma comparticipação municipal de cerca de 60 mil euros, tendo sido executadas em duas fases.

Recorde-se que em tempos já lá idos, os adros possuíam uma outra função e, em alguns casos, são ainda bem os testemunhos disso mesmo. Os católicos procuravam ter suas sepulturas próximas de lugares sagrados de modo a assim obterem o benefício da proteção divina e então procediam aos enterramentos em volta das igrejas, facto que parece ser tão antigo quanto elas próprias, principalmente entre famílias de baixos recursos ou posição social para serem inumadas no interior das mesmas. O uso de adros como local de enterramento foi abandonado à medida que a população urbana aumentava passando a construir-se os cemitérios.

 

 

Fonte: Município de Famalicão

 

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.