Maria do Sameiro Araújo

Tempos livres | Férias, Férias, Férias!… Descanso, Alegria e muita Tranquilidade

Tempos livres | Férias, Férias, Férias!… Descanso, Alegria e muita Tranquilidade

 

 

É relativamente comum durante as férias de verão encontrarmos pessoas que se confessam muito cansadas do ritmo acelerado que estão a viver. Isto apesar de, no essencial, se sentirem bem e animadas. E se nos referirmos a casais com crianças ou avós com famílias que incluem netos pequenos ou em idades escolares, chegamos mesmo a encontrar relatos de alguma exaustão.

Será caso para perguntar para que servem as férias… sendo claro que as respostas podem ser muito diversificadas, tendo em conta que pessoas e famílias diferentes podem desejar das suas férias experiências bem diferentes. Algumas pessoas poderão tentar ir ao encontro de desafio e animação e outras poderão procurar afincadamente descanso e tranquilidade.

Na verdade, as férias podem ser vistas como um conjunto de oportunidades para se poder viajar, conhecer espaços e culturas, para se conviver com amigos e familiares, fazer praia ou mesmo assistir a festivais de verão. Mas também podem ser vistas como legítima fonte para se descansar, ler, ouvir música, tocar de forma lúdica um instrumento musical, escrever ou simplesmente fazer o que apetecer. Ou então, na minha perspetiva de uma forma mais completa, se conjugarem objetivos das duas categorias, conciliando a alegria desafiante do conhecimento, da descoberta ou da vivência de qualquer outra experiência inovadora, com a alegria serena do descanso e da tranquilidade. E será isso possível? Bem doseadas as coisas parece-me bem que sim!…

Efetivamente, seja qual for o principal objetivo que se pretenda atingir com o período de férias, nunca encontrei ninguém que tenha escolhido deliberadamente entrar em exaustão ou precisar de voltar ao trabalho para conseguir um mínimo de rotinas que ajudem a voltar ao equilíbrio e ao bem-estar. Apesar de me ter confrontado inúmeras vezes com pessoas a viver momentos de grande desgaste no seu “áureo” período de férias, com relatos que apontam a necessidade de finalização das mesmas para que se consigam mais e melhores rotinas. Sobretudo quando se trata de pais e a rotina vislumbrada for o regresso às aulas para obtenção de maior calmaria no ambiente familiar.

Mas como excelente mesmo será conseguir-se o melhor dos dois mundos, voltemos então à oportunidade de se conquistar alegria com equilíbrio e tranquilidade. E para ilustrar melhor o que pretendo sugerir, vou apresentar uma das propostas de organização do tempo, de forma aproximada à que descrevi no meu livro Educar Olhando em Frente, recentemente publicado pela editora Coisas de Ler.

Esta proposta pretende ajudar a proporcionar harmonia no ambiente familiar em tempo de férias. A ideia passa por se conseguir combinar um ambiente agradável com manhãs calmas, bem-estar e divertimento. As possibilidades de entretenimento podem abarcar música, exercício físico, leitura, escrita, dança, … Se possível, sem tecnologia que envolva computadores ou redes sociais. Estes poderão fazer parte das atividades a desenvolver da parte da tarde, juntamente com outras atividades mais ruidosas e desafiantes.

SUGESTÃO Manhãs Calmas, sem Rede!

   Como conseguir manhãs calmas e harmoniosas durante o período de férias?

  • Em primeiro lugar há que pensar se estará mesmo interessado nesta proposta de conseguir manhãs mais calmas para todos, em períodos de férias ou mesmo de fim-de-semana.
  • Se sim, estará disposto a pensar de forma muito concreta em como conduzir este processo, na casa onde reside ou em casa de férias, com o envolvimento de todos, a começar por si?
  • Nesse caso, depois da decisão tomada, sempre que isso seja possível, há que refletir sobre a ideia com o companheiro ou companheira de parentalidade (pai, mãe, padrasto…);
  • Segue-se o envolvimento dos filhos neste processo que, em circunstância alguma deve ser imposto, para que consiga a adesão de todos.
  • Depois, há que puxarem todos pela imaginação, sobre as atividades que podem implementar. Estas podem passar pela leitura, jogos de mesa, escrita, culinária, ida à piscina…

Na minha prática de mãe, é mais fácil de conseguir a adesão dos filhos a este tipo de proposta quando se começa a aplicá-la com eles ainda pequenos. E com a sua perceção de que, em alternativa ao uso da televisão ou computador, as manhãs podem ser bem divertidas com sessões de culinária, de jogos de mesa, de leitura de histórias, entre tantas outras brincadeiras divertidas e partilhadas de forma muito saudável por todos.

É também uma boa oportunidade para se dedicar algum tempo à realização dos trabalhos da escola trazidos para férias, contribuindo para que esse processo decorra igualmente de forma natural e tranquila.

Mas em tudo isto convém não esquecer o efeito espelho. Terá toda a importância que os adultos se envolvam e adiram igualmente às propostas. Talvez aproveitando as manhãs para colocar algumas leituras em dia. Quem sabe algum dos temas ou capítulos do (meu) livro referido a propósito deste exercício, onde este e outros temas são abordados e apresentam orientações para pais e educadores conseguirem maior equilíbrio, tranquilidade e eficácia nas suas propostas educativas. Nas férias e na vida. Boas FÉRIAS!…

 

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.