25 a 28/7 | Brg, Gmr, Vnf

Vaudeville Rendez-Vous | Festival de circo contemporâneo anima público urbano em dias de verão

Vaudeville Rendez-Vous | Festival de circo contemporâneo anima público urbano em dias de verão

 

A quinta edição do Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous, promovido pelo Teatro da Didascália, integra um total de 10 espetáculos, três dos quais estreias absolutas e ainda quatro estreias a nível nacional. O programa foi apresentado esta sexta-feira, 29 de junho, no Centro Internacional das Artes José de Guimarães, na Plataforma das Artes e Criatividade, em Guimarães, com as presenças de Bruno Martins, diretor artístico do Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous, e ainda de Paulo Silva, adjunto da vereadora da Cultura da Câmara de Guimarães, Leonel Rocha, vereador da Cultura da Câmara de Famalicão, e Lídia Dias, vereadora da Cultura da Câmara de Braga.

 

 

De 25 e 28 de Julho, a 5ª edição do Festival Vaudeville Rendez-Vous, o mais influente Festival de circo contemporâneo da região Norte, chega às cidades de Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão. Desde 2014, o evento conta já com a presença de mais de 400 artistas e mais de 30 mil pessoas entre a audiência às múltiplas performances. O Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous é promovido pelo Teatro da Didascália (companhia sedeada em Joane, Vila Nova de Famalicão) e apoiado pelos três municípios onde decorrem as atividades.

O evento pretende formar novos artistas e novos públicos, bem como dar continuidade ao trabalho que se tem vindo a desenvolver na valorização da criação nacional nas áreas do circo contemporâneo e formas transdisciplinares. É, ainda, uma oportunidade de se destacar o trabalho de performers emergentes no panorama português, permitindo que estes apresentem as suas novas criações a programadores internacionais.

Com uma programação que se distingue por fazer chegar a Portugal, em especial à região Norte, alguns dos principais e mais influentes criadores internacionais, mas também artistas nacionais, o Festival tem vindo a consolidar a sua missão de apresentar propostas artísticas que se distinguem dos padrões estéticos e técnicos habitualmente associados ao novo circo.

O Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous inicia-se, no próximo dia 25 de julho, com a estreia nacional do espetáculo ‘Somos’, às 22h00, em Braga, no Rossio da Sé. Da companhia sul-americana El Nucleo, o espetáculo conta com dois acrobatas de 30 anos que, nascidos na Colômbia, vivem na Europa e se deixam inspirar por temas como o encontro, a solidão e o lugar de todos no mundo. ‘Somos’ será também apresentado no dia 27, às 22h00, na Praça D. Maria II, em Famalicão.

 

Estreias absolutas “invadem” o norte do país

Com uma assinatura cem por cento nacional, a companhia Radar 360º, apresenta “uma performance deambulatória escrita para o espaço público, que convida o espectador a refletir sobre o tema “Amor na sociedade contemporânea”. ARQUÉTIPO – ACTO III – Imortal resulta de uma coprodução com o festival, estreando-se de forma absoluta na Avenida Central de Braga, no dia 26 de julho, às 19h00. Com uma linguagem artística, que se situa entre a dança e a acrobacia contemporânea, o espetáculo volta a ser apresentado em Guimarães (Jardim Público da Alameda), no dia 27, às 19h00, e em Vila Nova de Famalicão, no dia 28, às 11h00.

Kadok, da Oliveira & Bacthler – uma companhia de novo circo luso-americana –, chega a Guimarães, cidade que acolhe a estreia deste espetáculo, às 22h00 de dia 26, no Largo da Oliveira. Tendo como ponto de partida o conceito de “casa”, o espetáculo conta com a performance de uma bailarina, um malabarista e uma trapezista que nos dão a conhecer um universo que remete o público para obras dos artistas Louis Bourgeois e Tadeusz Kantor. Kadok parte rumo a Braga, onde se apresenta às 22h00 do dia 27, no Rossio da Sé. Já no dia 28 é a vez da Praça D. Maria II, em Vila Nova de Famalicão, receber o espetáculo, às 19h00.

Destaque ainda para Esboço para Paraísos que chega ao festival pelas “mãos” do INAC em coprodução com o festival. Assumindo-se como uma “tentativa de redefinir, imaginar e trair a ideia de paraíso”, o espetáculo resulta de um trabalho desenvolvido de forma coletiva, com jovens artistas de circo do INAC, e traduz-se em “gestos acrobáticos paradisíacos”. Esboço para Paraísos estreia-se em Vila Nova de Famalicão, no dia 26, às 22h00, sendo novamente apresentado no Largo do Paço, em Braga, às 19h00, no último dia do festival.

 

A influência francesa e belga no circo contemporâneo em estreia nacional

São três os espetáculos de origem francesa e belga que se estreiam na quinta edição do Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous. ‘Boat – Transe Poétique’ é trazido pela companhia francesa Hors Surface que se estreia a nível nacional, em Famalicão, no dia 26, às 19h00. A performance, que dará a conhecer ao público uma interpretação muito pessoal do poema “Le Bateau Ivre”, de Arthur Rimbaud, será também apresentado no dia 28, no Largo Condessa de Juncal, em Guimarães, às 11h00.

“’Flaque’ é um pedaço de malabarismo, para a noite ou o início da manhã, feito para ser apresentado em qualquer lugar.” É assim que a companhia De Fracto descreve ‘Flaque’, um espetáculo que procura criar situações que se possam transgredir, levando também o público a participar nessa infração de regras que foram criadas para quebrar. A performance é depois apresentada em Guimarães, no dia 27, às 22h00; e depois em Famalicão, no dia 28, às 22h00.

A companhia Cirque Rouages estreia ‘Sodade‘, uma performance “em torno de um cabo infinito”, onde quatro corpos em equilíbrio vão evoluir “como ondas de um tempo passada que retorna e continua incessantemente”. O espetáculo integra ainda dois músicos que tocam, cantam e contam uma fábula a grande altura. ‘Sodade’ é o espetáculo de encerramento do Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous (dia 28), no Jardim do Paço dos Duques, em Guimarães, às 22h00.

 

Diferentes influências geográficas reúnem-se entre escaladas e baldes

A programação do festival completa-se com «Dame du Cirque’, ‘Phasmes’ e ‘Saut’. Três espetáculos apresentados por diferentes companhias com várias influências, nomeadamente nacional, espanhola, francesa e também do Camboja. Dame du Cirque – que será apresentado no dia 28, às 11h00, em Braga – inspira-se na via de escalada no gelo com este nome, localizada em Gavarnie (França), onde o alpinista Pau Escalé morreu. O espetáculo aborda assim o alpinismo e a “filosofia que envolve a vida na montanha”, chegando ao festival pela companhia ibérica troposfera.xyz.

Criada em 2015 e reconhecida como ímpar na sua arte pluridisciplinar, pela exigência e risco e compromisso físico e emocional que aporta aos seus artistas, a companhia Libertivores (França/Camboja) faz chegar Phasmes ao Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous. O espetáculo “inventa uma nova linguagem acrobática, partindo do corpo cru, táctil e transmutável para questionar o lugar do homem na natureza” e pode ser visto em Guimarães (Jardim do Paço dos Duques), no dia 26 de junho, às 19h00. Phasmes será ainda apresentado em Braga (Largo D. João Peculiar), no dia 27, também às 19h00.

Saut, o nome do espetáculo apresentado pela companhia Le Colletif Bigbinôme, significa “salto” em português e não poderia ser mais elucidativo daquilo a que o público pode assistir. Com quatro jovens acrobatas, a performance é composta por saltos de tirar o fôlego, cambalhotas enquanto os artistas se projetam no ar ou pela formação de pirâmides sempre maiores e mais altas. A cenografia integra vários baldes que, enquanto objeto, permitem a criação de uma plataforma animada através de um jogo, no qual o público é também impelido a entrar. Com elementos oriundos de Portugal, França e Camboja, o espetáculo pode ser visto em Vila Nova de Famalicão, às 19h00, no dia 27; e em Guimarães, às 19h00, no dia 28.

 

Um festival que se complementa com muitas atividades

A programação do Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous é complementada com várias atividades paralelas, pensadas tanto para o público em geral, como também para os artistas profissionais que encontram ações de especialização. Neste sentido, o INAC volta a orientar três oficinas: “Acrobacia Aérea”, “Manipulação de Objetos” e “Equilíbrio.” Com passagem pelas três cidades que acolhem o festival, as oficinas realizam-se nos dias 26 e 27 de julho, às 10h00, e no dia 28, às 14h00.

Na agenda de dia 27 do festival, há ainda espaço para aquela que é a terceira edição do Showcase. O momento – que se realiza no Centro Internacional de Artes José de Guimarães (CIAJG), em Guimarães, às 11h00 – tem vindo a consolidar-se no evento pela importância que representa na promoção e difusão dos artistas nacionais e dos seus projetos, junto de programadores portugueses e internacionais. Esta edição conta a presença de vários, convidados, com destaque para os representantes de quatro instituições internacionais ligadas ao circo contemporâneo: Thomas Renaude – Maison de Jungles (França), Steven De Jonge – Festival Miramiro (Bélgica), Alfred Konijnenbelt – Festival Spoffin (Holanda) e Isabel Joly – Federação Europeia de Escolas Profissionais de Circo (França).

Inspirado na consolidação do triângulo Braga, Famalicão e Guimarães na promoção do circo contemporâneo em Portugal, assim como na abertura a norte do país do primeiro curso profissional de circo, o festival vai ainda promover um debate com o tema “O que fazer com esta nova vaga?”. O momento – que decorre no dia 28, às 16h00, no GNRation, em Braga – incita à reflexão e discussão de todo um ciclo que se tem vindo a consolidar no âmbito do circo contemporâneo, tendo em conta a importância que a região tem vindo a ganhar e do contributo que o Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous tem dado para essa mesma afirmação.

Ao total das 21 apresentações, de entrada gratuita, e das atividades referidas, somam-se ainda outras orientadas pelo Instituto Nacional de Artes do Circo (INAC). Assinale-se que, em colaboração com o INAC, o Teatro da Didascália irá promover ainda, entre 2018/2019, uma bolsa de criação para os melhores alunos da primeira vaga de 2018, permitindo que estes desenvolvam uma obra com estreia prevista na edição de 2019.

 

Bruno Martins, o diretor artístico do Vaudeville Rendez-Vous,  relembra que “este festival nasceu há quatro anos atrás, em Vila Nova de Famalicão. O Teatro da Didascália colocou ao Município a proposta de organização de um festival de circo na cidade. De alguma forma o nosso interesse era que ele fosse também trazer alguma frescura, no sentido de apresentar propostas mais disruptivas ligadas ao teatro físico e circo contemporâneo.”

No decorrer das varias edições “fomos concentrando a programação no circo contemporâneo, pois rapidamente percebemos que seria importante a existência dum festival relacionado com esta particular linguagem artística, o que aconteceu a partir do alargamento às três cidades – Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão.”

Bruno Martins salienta ainda: “Como é próprio do circo, muitas das obras apresentadas dialogam com outras artes, como a dança e o teatro, mas também, neste caso, com a própria paisagem, no sentido em que se apropriam e incorporam o espaço público.”

Para além disso, Bruno Martins refere: “Sempre nos interessou trabalhar o festival de forma a que este se cruzasse com o trabalho criativo do Teatro da Didascália, pois ele próprio vai beber a essas outras linguagens artísticas, como a dança e o circo, o que permite um abrir de novos horizontes e perspetivas sobre novas formas artísticas.”

O circo era pouco visto na região, mas “atualmente são os próprios auditórios a programar obras ligadas ao circo contemporâneo, pelo que é motivador constatar que o circo se possa exprimir e estar presente nas programações regulares.

As apresentações seguem a mesma lógica. O festival concentra-se, em simultâneo, ao longo de quatro dias nas três cidades. Em julho os jovens estão de férias, mas há muita gente a trabalhar pelo que surge a lógica de ver esptáculos ao final da tarde e à noite; ao sábado também de manhã.”

O direto do Festival assinala ainda que “as expectativas são animadoras. Há muita curiosidade de pessoas de diversas partes do país a contactarem-nos para se deslocarem para assistir ao festival. Estamos muito expectantes o público tem sido bastante generoso e este ano não será exceção.

 

Municípios  salientam cultura como veículo de cooperação e espaço sem fronteiras 

Paulo Silva, o adjunto da Vereadora da Cultura na Câmara de Guimarães destacou a importância do evento pela “cooperação” entre três municípios e a uma “responsabilidade acrescida” pela valorização da cultura neste triângulo regional. Paulo Silva afirmou que Guimarães, Braga e Famalicão assumem nesta cooperação “o terceiro polo cultural do país”.

Em representação da autarquia famalicense, Leonel Rocha apontou que “a cultura não tem fronteiras” enquanto Lídia Dias, da Câmara de Braga, enalteceu “o aumento do interesse pela parte da população” nesta disciplina do circo contemporâneo que está em afirmação no território nacional e internacional.

 

Programa completo

 

25 DE JULHO

22h00 | Somos – El Nucleo (Braga, Rossio da Sé)

 

26 DE JULHO

10h00 | Oficina INAC (Guimarães, Jardim do Paços dos Duques)

10h00 | Oficina INAC (Braga, Avenida Central)

10h00 | Oficina INAC (Famalicão, Praça D. Maria II)

19h00 | Phasmes – Libertivore (Guimarães, Jardim do Paços dos Duques)

19h00 | Arquétipo Acto III – Radar 360º (Braga, Avenida Central)

19h00 | Boat – Hors Surface (Famalicão, Praça D. Maria II)

22h00 | Kadok – Oliveira & Batchler (Guimarães, Largo Condessa do Juncal)

22h00 | Flaque – De Fracto (Braga, Rossio da Sé)

22h00 | Esboço para Paraísos – INAC (Famalicão, Praça D. Maria II)

 

27 DE JULHO

10h00 | Oficina INAC (Guimarães, Jardim do Paços dos Duques)

10h00 | Oficina INAC (Braga, Avenida Central)

10h00 | Oficina INAC (Famalicão, Praça D. Maria II)

11h00 | Shoowcase (Guimarães, CIAJG)

19h00 | Arquétipo Acto III – Radar 360º (Guimarães, Largo de Donães)

19h00 | Phasmes – Libertivore (Braga, Largo D. João Peculiar)

19h00 | Saut – Colletif Bigbinôme (Famalicão, Praça D. Maria II)

22h00 | Flaque – De Fracto (Guimarães, Largo da Oliveira)

22h00 | Kadok – Oliveira & Batchler (Braga, Rossio da Sé)

22h00 | SOMOS – El Nucleo (Famalicão, Praça D. Maria II)

 

28 DE JULHO

11h00 | Dame du Cirque – troposfera.xyz (Braga, Largo D. João Peculiar)

11h00 | Arquétipo Acto III – Radar 360º (Famalicão, Parque da Juventude)

11h00 | Boat – Hors Surface (Guimarães, Jardim do Paço dos Duques)

14h00 | Oficina INAC (Guimarães, Jardim do Paços dos Duques)

14h00 | Oficina INAC (Braga, Avenida Central)

14h00 | Oficina INAC (Famalicão, Praça D. Maria II)

16h00 | Debate: “O que fazer com esta nova vaga?” (Braga, GNRation)

19h00 | Saut – Colletif Bigbinôme (Guimarães, Largo de Donães)

19h00 | Esboço para Paraísos – INAC (Braga, Lago do Paço)

19h00 | Kadok – Oliveira & Batchler (Famalicão, Praça D. Maria II)

22h00 | Flaque – De Fracto (Famalicão, Praça D. Maria II)

22h00 | Sodade – Cirque Rouages (Guimarães, Jardim do Paços dos Duques)

 

 

Imagem de destaque: Cartaz do Festival (Município de Famalicão; divulgação).

Outras imagens (divulgação): Animação pelo INAC na apresentação do Festival (Município de Guimarães; Hors Surface em preparação para um espetáculo (Hors Surface) Bruno Martins; Bruno Martins, Paulo Silva, Lídia Dias e Leonel Rocha na conferência de imprensa de apresentação do Festival; Flyer.

 


Se chegou até aqui é porque gostou deste artigo. Partilhe:           

 

Pub

Categorias: Agenda, Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.