Atletismo | Ouro, Prata e Bronze para CCD Ribeirão no Nacional de Juvenis. Pedro Matos em grande destaque

Atletismo | Ouro, Prata e Bronze para CCD Ribeirão no Nacional de Juvenis. Pedro Matos em grande destaque

 

Pedro Matos, atleta do Clube de Cultura e Desporto de Ribeirão, apresentou-se em excelente nível no decorrer dos Campeonatos Nacionais de Juvenis (Sub 18), organizados pela Federação Portiuguesa de Atletismo, que se realizaram em Vagos, nos dias 23 e 24 de junho, conquistando um total de 3 medalhas, nas 3 provas que realizou.

Na prova de 110 metros barreiras, Pedro Matos sagrou-se Campeão Nacional, com o tempo de 14.64 segundos, marca que constitui novo recorde regional e que fica a apenas 36 centésimos da marca de qualificação para participar nos Campeonatos da Europa de Juvenis.

Já na prova plana de 100 metros, alcançou um excelente 3º lugar no pódio, com o tempo de 10,94 segundos (com o vento a + 2.4 m/s) e deixando excelentes indicações para evolução nesta disciplina.

Pedro Matos sagrar-se-ia ainda Vice-Campeão Nacional na estafeta de 4×100 metros, integrando um coletivo constituído por si e pelos atletas Pedro Rodrigues, Francisco Costa e Gabriel Maia. Este grupo fez o tempo de 44.65 segundos, tendo apenas sido batidos pela equipa do Sport Lisboa e Benfica. Referência para o facto deste quarteto ser constituído por 3 atletas do escalão de iniciados, facto que valoriza ainda mais o excelente resultado alcançado.

Na reação aos resultados deste fim-de-semana, o novo campeão nacional das barreiras. (110m), antes de mais nada, começou por agradecer “a todas as pessoas que estiveram em contacto comigo, desde a equipa técnica liderada pelo professor Pedro Oliveira à equipa médica chefiada pelo fisioterapeuta Sérgio Moreira e aos meus amigos e familiares”. E Pedro acrescenta, em tom humilde: Parece cliché, mas sem eles nada disto seria possível”.

“Este título, associado a outros tantos, foi o [feliz] resultado [final] de uma difícil época, marcada por dois enormes contratempos. ”

Pedro Matos recorda o primeiro dentre eles, a perda do título de campeão nacional de pista coberta. “Tudo teve início após ter ganho as barreiras durante a pista coberta. Um colega, durante a prova, desequilibrou-se ao bater na última barreira e, um pouco antes da meta, bateu no atleta do lado. Com esta situação, a final foi repetida. Como entretanto contraí uma lesão na estafeta fiquei impossibilitado de competir, bem como de ver todos os outros a fazê-lo.” Vendo um lado positivo, adiciona ao que já foi dito: “Esta situação fez-me crescer muito e também fazer a promessa que me vingaria desse triste desfecho na época de ar livre”, o que acabaria por conseguir.

Quanto ao segundo contratempo da época, Pedro Matos, relembra ainda “a tal lesão que durou 3 meses”, mas que felizmente não o inibiu de treinar durante todo esse tempo, embora o tenha proibido de muita coisa.

Pedro Matos, apesar de estes acontecimentos terem marcado a sua ainda jovem carreira, mostra-se bastante satisfeito por ter ultrapassado estes problemas e afirma: “Felizmente, depois disto, muitas felicidades estariam para vir, como por exemplo a participação nos campeonatos do mundo de Desporto Escolar, a Gymnasiade 2018, que decorreu em Marraqueche, em Marrocos.”

Apesar disso, o jovem atleta do Clube de Cultura e Desporto de Ribeirão, é ambicioso e gostaria de ter chegado mais longe  esta época: “Com toda esta onda de vitórias, mesmo com 7 pódios nacionais, dos quais em 2 deles fui campeão nacional quer pelo Desporto Escolar quer pela Federação Portuguesa de Atletismo – FPA, o meu desejo não foi totalmente saciado. O principal objetivo [deste ano] não foi alcançado”, reconhece, referindo  “a marca de qualificação para os campeonatos da Europa Sub 18” como o seu insucesso pessoal.

“Na disciplina dos 100m fiquei apenas a 9 centésimos (com 10.94), com vento não regulamentar de 2.4 m/s mais 0.4 do que o permitido. Já nas barreiras, fiquei a 36 centésimos dos mínimos impostos por Portugal e 4 centésimos dos mínimos impostos pela International Association of Athletics Federations – IAAF a Portugal (14.60). O principal objetivo não foi alcançado, o que me deixa com um enorme desejo de no próximo escalão, o de Juniores, conseguir a marca de qualificação para os Mundiais. Este e o apuramento para os mundiais de Desporto Escolar, organizado pelo International School Sport Federation – ISF, são os meus próximos objetivos, e para os quais vou começar a preparar-me na próxima época.

 

Maria João Barbosa, atleta que no dia 20 de junho, no decorrer do Meeting de São João tinha realizado o tempo de 12.13 segundos, alcançando a marca de qualificação para os Campeonatos da Europa de Juvenis, exibiu-se também a um excelente nível, sagrando-se Vice-Campeã Nacional, com o registo de 12.18 segundos, a sua segunda melhor marca pessoal. Na prova de 200 metros, melhorou o seu recorde pessoal para 25.89 segundos e foi 5ª classificada.

Com o 4º lugar da geral classificaram-se os atletas: Alessandra Silva, iniciada, na prova de triplo salto, com 11.19 metros e José Moreira, juvenil, na prova de 2000 metros obstáculos, com 6.13.95, também neste caso, novo recorde pessoal. Nos 800 metros, Márcio Barreiras teve uma boa prestação com o registo de 2.02. 88 segundos. A estafeta Medley, com os atletas Francisco Costa, Rúben Reis, Pedro Rodrigues e Gabriel Maia, alcançou o tempo de 2.12.95 segundos.

CCD Ribeirão participou neste Campeonatos Nacionais de Juvenis com 9 atletas, sendo 5 deles ainda do escalão de iniciados e 4 do escalão de juvenis. As excelentes prestações alcançadas, quer neste Campeonato Nacional quer nas competições que se vêm registando ao longo da época, evidenciam a excelência do trabalho efetuado neste clube com os jovens do concelho de Vila Nova de Famalicão.

 

Categories: Desporto

About Author

Write a Comment

Only registered users can comment.