15 a 30/6 | Vila Nova de Famalicão

Jazz na Caixa – 2ª ed | Ciclo de concertos íntimos, com grandes músicos de Portugal e da Galiza, promete agradar os fans

Jazz na Caixa – 2ª ed | Ciclo de concertos íntimos, com grandes músicos de Portugal e da Galiza, promete agradar os fans

 

A ATC – Associação Teatro Construção, de Joane, fez a apresentação da programação do segundo ‘Jazz na Caixa’ que irá decorrer entre 15 e 30 deste mês de junho de 2018. O ‘Jazz na Caixa‘ é um ciclo de concertos intimistas de música jazz que se iniciou em outubro passado no auditório do Centro Cultural da Juventude de Joane. Em junho deste ano conta com o apoio da Câmara Municipal de Famalicão e do Eixo do Jazz – Associação Luso-Galaica para a Promoção do Jazz.

.

..

Serão sete os concertos de músicos portugueses e galegos, distribuídos ao longo de três fins-de-semana. Em cada concerto os músicos partilham o palco do auditório com o público, assim transformado numa sala de estar. Os concertos resultam num formato intimista, com o público muito próximo dos músicos. A assistência será limitada a 60 pessoas.

VN Online | Jazz na Caixa 2018 - André Fernandes & Centauri

Na abertura deste Jazz na Caixa, 15 de junho, pelas 22h30, estará um dos nomes mais (a)firmados deste género musical no nosso país: André Fernandes. Em formato de quinteto, André Fernandes, na guitarra e composição, será acompanhado por José Pedro Coelho, no saxofone tenor e soprano, João Mortágua, em saxofone alto e soprano, Francisco Brito, em contrabaixo, e João Pereira, na bateria. A promessa de uma noite bem passada está garantida sob o signo deste agrupamento que dá pelo nome de ‘Centauri’.

Sobre a música que André Fernandes escreveu para “Draco”, que toca com este quinteto a que deu o nome ‘Centauri’, o músico referiu:

“O Dragão é um ser mítico, que povoa a imaginação de todos, em todos os cantos do nosso pequeno
mundo. É também um signo (o meu) em certas partes desse mesmo mundo. E é também uma constelação, Draco, que ilumina o nosso firmamento com milénios de atraso. É imaginação, espiritualidade e ciência. Como a música. A música que escrevi para o grupo Centauri (o apelido das estrelas Alpha e Proxima) é despida de algemas. Mistura o escrito com o instinto, o doce com o aleatório, e não responde a perguntas que a prendam a palavras inventadas com o propósito de nos fazer sentir conhecedores da sua natureza. Perguntas que eu próprio não faço e cuja resposta não quero saber. Como o universo, em todo o seu esplendor que desconhecemos, mas que nos move todos os dias e nos faz acreditar em magia que um dia será conhecimento.”

No dia seguinte, 16 de Junho, às 18h00, no mesmo local, o duo ‘Mano a Mano’, que junta os irmãos André e Bruno Santos, vai encantar os espetadores. A toada será dada por duas guitarras que entram em permanente diálogo, predominantemente jazzístico, embora por vezes os Manos Santos também se aventurem por outros registos.

No domingo, dia 17 de junho, pelas 18h00, com o carimbo do Jazz na Caixa e produção da Caisa- Cooperativa de Artes, Intervenção Social e Animação, CRL, acontecerá o concerto de apresentação do novo repertório de Eduardo Cardinho e dos Atlantic Percussion Group, constituídos por José Afonso Sousa e Tomás Tosa, “Two Worlds, One Way”, concerto que será gravado para edição do disco com o mesmo nome. Atlantic Percussion Group & Eduardo Cardinho* não deixarão assentar o pó no palco. Este coletivo apresentará uma sonoridade original moldada por sonoridades percutivas associadas ao vibrafone. Refira-se que os Atlantic Percussion Group desenvolvem o seu projeto de percussão, de caráter profissional, ali mesmo ao lado, no CLAV – Centro e Laboratório Artístico de Vermil.

O primeiro dos intérpretes galegos a entrar em cena no Jazz na Caixa é Javier Marcos. Em formato de vértice melódico, o Javier Marcos Trio é um dos grupos mais distintos do atual fenómeno jazzístico galego. Para além do líder, na voz, nele pontuam Filipe Vilar, na guitarra, e Jose Manuel Díaz, no baixo. O encontro está marcado para o dia 22 de junho, às 22h30, em Joane, no ATC.

Mas a brigada da Galiza apresenta-se em dose dupla neste fim-de-semana. No dia seguinte, 23 de junho, pelas 18h00, teremos a oportunidade de escutar Mónica de Nut e Luís Martíns, quem vêm encantar o auditório do ATC com o seu último álbum “Raíces Aéreas”, um registo em que se combinam duas harpas, a eletrónica e a acústica e se adicionam vozes e uma boa pitada de percussão a cargo de Lucía Martínez. Os cantos tradicionais galegos servirão de base ao registo definido e improvisado pelo duo-trio.

O derradeiro fim-de-semana reserva a atuação do trio de Michael Lauren, baterista norte-americano radicado em Portugal, com múltiplas credenciais no exercício de percutir. A acompanhá-lo, estará Carlos Azevedo, no piano, uma das figuras centrais da Orquestra de Jazz de Matosinhos, e, no contrabaixo, António Aguiar, um músico com um perfil curricular vasto em termos de carreira profissional e académica, entre as quais colaborações com o Remix Ensemble, da Casa da Música, e a integração na Orquestra de Jazz de Matosinhos a figurarem no percurso. Michael Lauren All Stars Trio ‘faz das suas’ as nossas notas na sexta-feira, 29 de Junho, a partir das 22h30.

Um fim da festa deste evento musical acontece em 30 de junho, às 18h00, no Crú – Espaço Cultural, em que teremos sob atenta escuta o Pedro Jerónimo Quinteto, coletivo constituído por músicos e estudantes da ESMAE – Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo, sedeada no Porto.

.

Todos os sábados, a partir das 23h00, no CRÚ – Espaço Cultural, no centro de Famalicão, haverá jam sessions.

.

Preços:
Concertos: 4,00 € (3,00 € para sócios ATC e EIXO do Jazz)
Jantares: 10,00 €

 

Pub

Categorias: Agenda, Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.