Barcelos

Saúde | Novo Hospital para Barcelos. Urgência absoluta

Saúde | Novo Hospital para Barcelos. Urgência absoluta

Ao longo dos anos, quer em termos de discurso, quer em termos de ação política, o setor da Saúde tem-nos merecido particular cuidado e atenção.

Em 2009, depois de termos, com grande luta e empenho, defendido a manutenção da Maternidade e das principais valências do Hospital de Barcelos, conseguimos que o governo socialista firmasse um acordo com a autarquia para a construção de um novo Hospital.

Com esse acordo, conseguimos para o nosso Concelho o compromisso do estado Português na construção de uma infraestrutura estratégica e decisiva para a melhoria das condições de vida das populações de Barcelos e Esposende.

Acreditámos que o protocolo firmado entre o executivo do PSD e o governo Socialista pudesse ajudar a nascer e fazer crescer o Novo Hospital de Barcelos, velha reivindicação dos Barcelenses.

Quando o PSD saiu da Câmara, em 2009, já havia acordo com o governo para a construção do hospital, já havia projeto e localização de terrenos aprovados, pelo que a obra só não avançou devido à apatia do executivo socialista que não cumpriu a parte que lhe cabia no acordo nem diligenciou junto do governo central para que a construção do novo hospital fosse uma realidade.

Temos, desde 2009, um executivo municipal socialista e um Presidente da Câmara, Miguel Costa Gomes, vice-presidente da Associação Nacional de Municípios. Numa época em que o governo central é também socialista, é lamentável que não se conheça qualquer iniciativa ou diligência deste executivo que materialize uma ação concreta e estratégica na defesa da construção do Novo Hospital para Barcelos.

Não podem ser evocadas questões financeiras para justificar a falta de concretização da obra, pois outros municípios de menor dimensão e com menos população, apesar da ausência de compromisso prévio assinado, foram contemplados com novos equipamentos hospitalares.

A aposta na Saúde e na Ação Social foi uma das prioridades da candidatura Mais Barcelos com uma clara dedicação à comunidade e ao apoio às pessoas mais desprotegidas e com necessidades.

Nesse sentido, não podemos ficar de braços cruzados à espera que algo aconteça, até porque, ao fim de oito anos de governação autárquica socialista nada foi feito.

Assim, porque a Câmara Municipal é a entidade que tem de negociar com o Governo a construção do novo Hospital, propusemos a criação de um grupo de trabalho que possa consubstanciar uma atuação lógica, coerente e concertada para mobilizar os barcelenses, envolver as várias entidades e organismos da Saúde e sensibilizar o Governo e a Assembleia da República para a necessidade da construção de um novo hospital, com instalações adequadas e modernas, para beneficiar os cidadãos.

Estamos convictos de que, apesar de todos os constrangimentos e de todos os atrasos, com o empenho e envolvimento de todos e com um plano bem urdido e consistente podemos fazer valer as nossas razões.

Bem sabemos que a Promoção da Saúde Pública não se concretiza apenas nos grandes equipamentos, hospitais e centros médicos, a saúde passa, e muito, pela prevenção e cuidados primários. Contudo a construção de um Novo Hospital é a mola que acionará toda uma nova dinâmica social que pretendemos que seja de MAIS PROXIMIDADE, MAIS SAÚDE, MAIS AÇÃO SOCIAL.

É hora de agir, de arregaçar as mangas, unir esforços e lutar em conjunto e na mesma direção por um NOVO HOSPITAL para Barcelos.

.

 

Pub

Categorias: Política

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Mário Constantino

Mário Constantino Lopes nasceu em 17-11-1963 na cidade de Barcelos. Concluiu o Curso do Magistério Primário em 1985, a Licenciatura em Educação na variante de Educação Física em 1993 e a Licenciatura em Direito em 2007. Exerceu funções de Vereador na Câmara Municipal de Barcelos durante dois mandatos, de Março de 1998 a Outubro de 2005, com os Pelouros de Ação Social, Educação, Desporto, Juventude, Cultura, Protecção Civil e Turismo e foi Vice-Presidente no mandato 2001/2005. Actualmente exerce funções de professor de educação física no Agrupamento de Escolas António Correia de Oliveira, em Apúlia, e advocacia com escritório em Barcelos. É Presidente da Mesa da Assembleia Geral do GASC – Grupo de Acção Social Cristã de Barcelos e Delegado da Liga de Futebol Profissional na Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Futebol desde 2012. Foi Dirigente Nacional da Associação Nacional de Professores de 1992 a 1995, Presidente da Secção de Barcelos da Associação Nacional de Professores de 1995 a 1999 e Presidente da Mesa do Congresso da Associação Nacional de Professores de 1996 a 2005. Atualmente é Vereador na Câmara Municipal pelo PSD e Presidente da Mesa da Assembleia Concelhia do PSD de Barcelos.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.