12/4 | Vila Nova de Famalicão

Cardeal Cerejeira | Salgado Matos apresenta nova biografia do Patriarca: Cardeal Cerejeira. Um Patriarca de Lisboa no século XX português

Cardeal Cerejeira | Salgado Matos apresenta nova biografia do Patriarca: Cardeal Cerejeira. Um Patriarca de Lisboa no século XX português

Luís Salgado Matos, historiador, vem à terra natal do Cardeal Cerejeira, Vila Nova de Famalicão, provocar o debate em torno do seu novo livro intitulado “Cardeal Cerejeira – Um Patriarca de Lisboa no século XX português”. O debate insere-se no ciclo de conferências “Conta-me a História” que o Município de Famalicão tem vindo a promover à volta da sua História e das suas figuras mais proeminentes. A conferência decorrerá no Auditório do Arquivo  Municipal Alberto Sampaio, esta quinta-feira, 12 de abril, pelas 21h00.

.

.

No seu novo livro, Luís Salgado de Matos defende que o Cardeal Manuel Gonçalves Cerejeira era “completamente independente” de Oliveira Salazar., posição com que muitos não se encontram habitualmente de acordo. Oliveira Salazar e o Cardeal Cerejeira viveram vidas assaz intensas durante a mesma época e foram, pelo menos de certo modo, conpagnons de route. Salgado Matos virá apresentar os seus argumentos numa sessão que contará com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Paulo Cunha, e do Arcebispo Primaz de Braga, D. Jorge Ortiga. A moderação será assumida pela investigadora em Direito Público Internacional da Universidade Católica do Porto, Inês Granja Costa.

Cardeal Cerejeira – Um Patriarca de Lisboa no século XX português” foi redigido por um investigador assaz crítico da historiografia contemporânea e de horizontes intelectuais incomuns. Este livro, recentemente vindo a público, resulta de uma intensa pesquisa sobre as relações Estado-Igreja em Portugal e, sobretudo, sintetiza mais de uma década de estudo sobre o Patriarcado de Lisboa.

A partilha da investigação e das suas conclusões pelo próprio autor, tanto introduzirá o tema aos menos entendidos como trará novas pistas de reflexão aos mais esclarecidos.  Por certo, e independentemente da visão adotada por cada um dos presentes, todos ficarão a conhecer melhor o Cardeal Cerejeira, um dos personagens históricos mais icónicos do concelho de V.N. de Famalicão.

Manuel Gonçalves Cerejeira nasceu nem  Lousado, Vila Nova de Famalicão. Foi Cardeal Patriarca de Lisboa durante mais de 40 anos (1929 -1972), tendo sido uma das mais destacadas figuras da Igreja Católica Portuguesa. Participou em três conclaves, dos quais saíram eleitos o Cardeal Engenio Pacelli (Pio XII, 1939), o Cardeal Roncalli (João XXIII) e o Cardeal Montini (Paulo VI, 1963), bem como no Concílio Vaticano II (1962–1965). Mais nenhum Cardeal terá participado em tantos Conclaves.

A obra de Luís Salgado Matos – “Cardeal Cerejeira – Um Patriarca de Lisboa no século XX português” – tem prefácio de D. Manuel Clemente, atual Cardeal-Patriarca de Lisboa, e foi lançada no Museu de São Roque (Lisboa) no passado mês de março, com a chancela da Gradiva. A propósito do Livro, Salgado Matos referiu que o mesmo “pretende provocar debate” É precisamente isso que vem fazer à terra natal do Cardeal Cerejeira, numa sessão cuja entrada é livre e em que se espera bastante afluência. Para além de familiares e amigos, dadas as suas origens famalicenses,  o Cardeal Cerejeira é um dos homens mais marcantes de toda a História do Século XX português.

Luís Salgado de Matos nasceu em Lisboa (1946). Atualmente é investigador principal com agregação do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. No currículo dos seus estudos superiores encontra-se o Direito, em que se licenciou em 1969. Mais tarde, doutorou-se em Sociologia Política , em 2000, pela Universidade de Lisboa. Tem o Diplôme d’Études Approfondies em Análise Comparativa dos Sistemas Políticos pela Sorbonne (Universidade de Paris I, 1979).

O programa de investigação de Luís Salgado Matos encontra-se centrado nas «instituições triangulares»: a Igreja, para a identidade, as Forças Armadas e o Estado. Luís Salgado Matos é autor de uma vasta bibliografia sobre o assunto, nomedamente A Separação do Estado e da Igreja (D.Quixote, 2011), A Revolução num regimento A Polícia Militar em 1975, com Helena Domingos e José Serras Gago (1977), As Forças Armadas em tempo de mudança – Uma sondagem à opinião pública em vésperas do século XXI, (Cosmos, 2001) e Tudo o que Sempre Quis Saber Sobre a Primeira República Em Menos de 33 Mil Palavras, (2010).

Para além da bibliografia, Luís Salgado Matos organiza toda uma série de eventos relacionadas com estes assuntos e é responsável por ou participa em blogues, tais como Estado e Igreja e O Economista Português.

Do extenso currículo de Luís Salgado Matos fazem ainda parte as suas participações, como autor, n’ O Tempo e o Modo (anos 60) e na Seara Nova (anos 70), o desempenho dos cargos de Secretário de Estado da Economia no Governo de Transição de Moçambique (1974-1975), diretor do Jornal do Comércio (1975-1976), presidente do Instituto Português de Cinema, presidente da administração do Teatro São Carlos e administrador do Porto de Lisboa (1983-1993). Na qualidade de consultor do Ministro da Defesa Nacional (2000) participou na elaboração da atual lei do serviço militar. Foi ainda consultor do Presidente da República entre 2001 e 2006.

.

O livro, editado pela Gradiva,  poderá ser adquirido através da Livraria Fontenova, que estará presente na sessão como expositor.

.

Pub

Categorias: Agenda

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Pedro Costa

Diretor e editor.

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado.
Campos de preenchimento obrigatório*