10/1 a 7/11 | João Paulo Braga e Sérgio Sousa orientam Noites de Insónia no Centro de Estudos Camilianos

10/1 a 7/11 | João Paulo Braga e Sérgio Sousa orientam Noites de Insónia no Centro de Estudos Camilianos

Pub

De 10 de janeiro passado a 7 de novembro próximo, o Centro de Estudos Camilianos apresenta Noites de Insónia.

.

.

Noites de Insónia é a designação escolhida em 2009 para dar vida e fomentar um clube de leitores da obra camiliana. Desde então, a Casa de Camilo acolhe esta comunidade constituída por um grupo de pessoas que se reúnem com regularidade mais ou menos mensal, para conversar sobre livros e textos de Camilo Castelo Branco.

A leitura é proposta pelos dinamizadores João Paulo Braga e Sérgio de Sousa, dois camilianistas de longa data, o primeiro dentre eles professor no Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco e investigador do Centro de Estudos Filosóficos e Humanísticos da Universidade Católica, em Braga, o segundo professor auxiliar e investigador de Poéticas em Língua Portuguesa e no Grupo de Investigação em Identidade(s) e Intermedialidade(s), na Universidade do Minho. Estes têm vindo a colaborar com a Casa de Camilo, nesta e noutras atividades e possuem diversos textos publicados sobre o romancista de Seide.

Estes encontros acontecem às 21h30, em calendário pré-definido, conforme programa abaixo indicado, no Centro de Estudos Camilianos, em S. Miguel de Seide. Mesmo no inverno, apesar do frio – e chuva, quando é o caso – de janeiro, não há desistências, os leitores marcam a sua presença.

A entrada é livre e gratuita e pode acontecer a qualquer altura da iniciativa. “A cada edição, os participantes vão-se renovando, mas há um núcleo duro que se mantém. Temos sempre entre 15 a 20 pessoas, o que é o ideal para a iniciativa”, explica o professor de Literatura Portuguesa da Universidade do Minho, Sérgio Sousa.

Os textos são disponibilizados pelo Centro de Estudos Camilianos. Depois da experiência da leitura individual de cada participante, é feita uma breve contextualização da obra. Em ambiente espontâneo, de convívio e boa disposição, partilham-se opiniões, reflete-se sobre o tema e o autor e sempre surgem novas interpretações e ideias.

“As obras de Camilo têm uma abordagem muito visual, o que cativa e prende os leitores. Além disso, ao relatar histórias de base factual e de grande ligação à região, identificando as personagens, o autor cria um vínculo muito forte com os leitores, até porque o Portugal Camiliano é ainda o Portugal de hoje. Camilo continua atual”, salienta Sérgio Sousa.

Por seu lado, João Paulo Braga, refere que “Camilo está habituado a captar a curiosidade dos leitores, a motivá-los e a despertar emoções”, sendo por essa razão que “as pessoas apreciam as suas obras”.

De resto, os textos camilianos selecionados para esta comunidade de leitores seguem diversos critérios: “São textos curtos, menos conhecidos do grande público e com uma ligação mais ou menos direta à região”, indo de encontro ao público-alvo, explicam os dinamizadores das Noites de Insónia.

Noites de Insónia: leituras comunitárias de Camilo Castelo Branco; com João Paulo Braga e Sérgio de Sousa. Este ano de 2018, as conversas iniciaram-se em torno de Beatriz de Vilalva, de 1874, um romance que providencia uma reflexão sobre as relações que oscilam entre verdade e ficção.

“Temos um grupo muito heterogéneo de participantes, com destaque para os professores, mas também pessoas (…) de outras áreas, o que é uma mais-valia para a troca de experiências e opiniões”, adianta ainda João Paulo Braga.

José Manuel Oliveira, diretor do Centro de Estudos Camilianos e respetiva Casa-Museu de Camilo, acrescenta que “as Noites de Insónia têm como finalidade a descoberta de formas diferentes de aproximação aos textos camilianos, através da discussão em grupo de determinadas obras e textos. Do gosto pela leitura e da conversa sobre o que se lê, da troca de opiniões, de pontos de vista, de associações, procuramos criar cumplicidades e desenvolver o gosto por uma leitura mais ativa e partilhada da obra do romancista de Seide.”

“Mais importante do que falar de Camilo é proporcionar que os textos falem por si” acrescenta João Paulo Braga.

Refira-se que o livro “Noites de Insónia, oferecidas a quem não pode dormir”, se trata de uma coleção de doze volumes em que Camilo Castelo Branco apresenta pequenos textos sobre diversas temáticas e que, segundo o próprio, foram inspirados nas suas muitas noites passadas em claro.

.

Edições de Noites de Insónia 2018:

Técnicos responsáveis: João Paulo Braga e Sérgio Guimarães de Sousa

Público-alvo: Maiores de 16 anos (grupo até 30 pessoas)

Duração aproximada: 1h00

Calendarização: 1 vez por mês.

Local: Centro de Estudos Camilianos

Inscrições: Abertas (os leitores podem integrar-se em qualquer sessão)

.

Programa:

10 de janeiro – “Beatriz de Vilalva” (Sérgio Sousa)

7 de fevereiro – “Há vinte anos!” (João Paulo Braga)

7 de março – “Uma viscondessa que não era” (Sérgio Sousa)

4 de abril – “Uma praga rogada nas escadas da forca” (João Paulo Braga)

18 de maio – “Maria Moisés” (Sérgio Sousa)

6 de junho – “Morrer por capricho” (João Paulo Braga)

4 de julho – “O cego de Landim” (Sérgio Sousa)

5 de setembro – “A morgada de Romariz” (João Paulo Braga)

3 de outubro – “A caveira” (Sérgio Sousa)

7 de novembro – “Voltareis, ó Cristo?” (João Paulo Braga)

.

Imagens: Noites de Insónia (Município de Famalicão).

.

Pub

Categorias: Agenda

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Pedro Costa

Diretor e editor.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.