13/1 | Maria do Céu Camposinhos e Shao Xiao-Ling – Concerto de piano a 4 mãos

13/1 | Maria do Céu Camposinhos e Shao Xiao-Ling – Concerto de piano a 4 mãos

Pub

As conceituadas pianistas Maria do Céu Camposinhos e Shao Xiao-Ling, que já exerceram como professoras em Vila Nova de Famalicão,  apresentam um concerto para piano a 4 mãos na Casa das Artes, no próximo sábado dia 13, pelas 21h30. Do programa do recital constam obras de Schubert, Gershwin, Brahms e Busoni.

.

Um dos tipos de formação musicais é a que reúne dois pianistas, seja tocando em dois pianos ou a quatro mãos. Experiência diferenciadora e não muito frequente em concerto – em concerto, o piano é com mais frequência visto e ouvido a solo ou com orquestra -, proporciona, no entanto, execuções memoráveis de determinadas obras.

“A história do piano a quatro mãos, uma das formas mais apreciadas e difundidas da música de câmara, remonta à Inglaterra do Século XVII”, refere a Casa das Artes no folheto de divulgação do concerto. Contudo, só no século XVIII, apareceriam obras para cravo, destinadas a dois instrumentistas, compostas por Johann Christian Bach (1735-1782). Acrescenta-se ainda que “o desenvolvimento do piano e o aumento de sua tessitura”, facilitou e incentivou o uso do mesmo por dois músicos em simultâneo.

Ao que parece, o formato Piano a quatro mãos terá começado por ser uma necessidade social. Numa época em que as oportunidades de aproximação entre jovens de sexos opostos eram bem mais limitadas, tocar um mesmo instrumento possibilitava um contacto físico e um entrelaçar de mãos, mesmo quando a música não o exigia. Para além desta componente lúdica e social, a prática conjunta do piano possui também uma componente pedagógica. É prática corrente os professores tocarem com os seus alunos para exemplificar a execução, ora dividindo um instrumento ora acompanhando-o noutro.

.
Aquando do Romantismo, o piano assumiu um lugar de destaque entre as preferências do grande público, pelo que o repertório do género se ampliou. Apesar de ter vivido apenas 31 anos e de não alcançado reconhecimento público pelo seu trabalho ainda em vida, Franz Schubert (1797-1828) compôs imensas obras, com destaque para as sonatas, as cerca de 600 canções – lied – expressamente para serem acompanhadas ao piano, óperas e sinfonias. O nome de Franz Schubert impõe-se, assim, pela poesia e lirismo das suas composições. A sua obra para piano a quatro mãos é, provavelmente, a mais vasta quando comparada à de outros grandes compositores. Obras de Gershwin, Brahms e Busoni integram também este espetáculo.

.

Maria do Céu Camposinhos, apesar de ter poucos discos gravados, é considerada uma das pianistas portuguesas mais conceituadas.

Discípula de Helena Costa, tal Shao Xiao-Li, estudou em Braga, no Porto e em Freiburg im Breisgau, onde concluiu os seus estudos de Pós -Graduação em Piano.

Como solista e no âmbito de música de Câmara, tem dado múltiplos concertos e participado em diversos festivais. Integrou também as orquestras Nacional do Porto e Artave.

Na desenvolvimento da sua atividade profissional, lecionou no Centro de Cultura Musical e trabalha atualmente em Braga.

Maria do Céu Camposinhos também já Integrou o júri do V e VI concursos de piano de Vigo, Espanha e o 4º concurso de piano da Póvoa do Varzim.

Para além de ter efetuado diversas gravações para a Rádio Difusão Portuguesa, a pianista editou dois cd: Piano, com obras de R. Schumann, Scriabin, E. Lecuona e Álvaro Cassuto, e Viagens, com composições suas expressamente produzidas para um conjunto de poemas de João Negreiros.

Pelo trabalho desenvolvido, Maria do Céu Camposinhos  foi também agraciada com uma medalha de mérito cultural pela Câmara Municipal de V. N. Famalicão.

.

Shao Xiao-Ling, por seu turno, estudou em diversas escolas, entre as quais a Gulbenkian, de Lisboa, e estudou com Sequeira Costa e Badura-Skoda, e a Rotterdams Conservatorium – Hogeschool voor muziek en dans, na Holanda.

Como professora, leciona atualmente no Instituto de Etnomusicologia da Universidade de Aveiro, mas em Famalicão já exerceu quer na Artave quer no Centro de Cultura Musical.

Intérprete a solo e de música de câmara, tem desenvolvido intensa atividade artística, mas também investigativa na área da música erudita chinesa.

.

As duas pianistas, Maria do Céu Camposinhos e Shao Xiao-Ling, iniciaram a sua colaboração há mais de uma década, tendo efetuado múltiplos concertos até hoje. Duas histórias que se cruzam, tendo como ponto convergente a Pianista e pedagoga Helena Sá e Costa, de quem foram ambas discípulas.

.

Programa

1ª Parte
F. Schubert: Fantasia em Fá menor Op. 103 D. 940
G. Gershwin : 3 prelúdios
I Allegro bem Ritmato e Deciso
II Andante com Moto e Poco Rubato
III Allegro bem Ritmato e Deciso

2ª Parte
J Brahms: 16 Valsas Op.39
F. Busoni: Melodia Popular Finlandesa Op. 21
.

O preço máximo da entrada é 4,00 euros.

 

Pub

Categorias: Agenda

About Author

Pedro Costa

Diretor e editor.

Write a Comment

Only registered users can comment.