4/1 a 18/2 – Eduardo Teixeira Pinto. O prazer de fotografar, no Museu Bernardino Machado

4/1 a 18/2 – Eduardo Teixeira Pinto. O prazer de fotografar, no Museu Bernardino Machado

Pub

Filipe Gonçalves:

Fundia uma rara sensibilidade com a capacidade de espanto perante a beleza e a diversidade da natureza e do homem.

.

.

Eduardo Teixeira Pinto nasceu em S. Gonçalo de Amarante em 29 de abril de 1933.

De seu pai, também fotógrafo e fundador da «Foto–Arte» em 1930, herdou o prazer de fotografar. Sócio do seu pai e seus irmãos José e Aristides, trabalhou sempre com eles dedicando toda a vida à fotografia.

Teixeira Pinto iniciou-se naquela que é considerada a 8ª arte, a fotografia, em 1950. A partir de 1953 começa a expor em diversos salões de fotografia por todo o mundo. Para além de Portugal, entre outros países, expôs também em Espanha, França, Bélgica, Alemanha, Itália, Inglaterra, Estados Unidos, Angola, Moçambique, Brasil e na Austrália.

O seu olhar poético sobre a realidade, bem como a experiência de toda uma vida fizeram de si um dos melhores e mais galardoados fotógrafos portugueses do século XX, quer em Portugal quer no estrangeiro, entre os quais se destaca o Grande Prémio Camões, em 1960. A sua obra aborda diversos temas, com destaque para a natureza e a figura humana que tão bem soube conciliar. Anabela Magalhães, no seu blogue pessoal, afirma: A partir dele, nada mais voltaria a ser como dantes apenas porque Eduardo Teixeira Pinto tinha uma técnica ímpar que dominava como ninguém e que, associada a uma desmesurada sensibilidade e a um amor incondicional por Amarante, e pelo Tâmega, produziram autênticas fotografias poéticas… ou serão antes poemas fotográficos, tantos! geniais!, que ele fez o favor de nos legar?!

Avesso a homenagens e distinções, faleceu há 8 anos atrás, em 4 de janeiro de 2009, tendo deixado um espólio fotográfico de valor incalculável.

Postumamente, em dezembro de 2010 foi publicado o livro «Eduardo Teixeira Pinto – a poética da imagem», numa edição com o patrocínio da MOTA-ENGIL, catálogo dedicado à obra do fotógrafo, que consta de cerca de 230 fotografias agrupadas pelos diversos temas abordado na sua obra: O Rio, A Nossa Terra, A Nossa Gente, As Festas e Outros Olhares.

Com o objetivo de promover a divulgação do vasto espólio de Eduardo Teixeira Pinto, três exposições itinerantes, com uma seleção de fotografias representativas do percurso do autor, percorrem atualmente o país: «O prazer de fotografar», a qual temos agora a possibilidade de visitar no Museu Bernardino Machado, em Vila Nova de Famalicão, pela 2ª vez, depois de já em 2010 a termos podido eventualmente visitar na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco, «A criança sob o olhar de Eduardo Teixeira Pinto» e «Sensibilidades».

Em Amarante, o Museu Municipal Amadeo de Souza–Cardoso possui também uma sala, com uma exposição permanente, dedicada à obra de Eduardo Teixeira Pinto.

Eduardo Teixeira Pinto - Matinal (Museu Bernardino Machado, 2018) Vila Nova - Famalicão Online (espólio da família)

Eduardo Teixeira Pinto – Matinal (arquivo da família)

.

Imagem de destaque: O Ciganito (detalhe; arquivo da família).

.

Para saber mais:

Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco: O Prazer de Fotografar, Eduardo Teixeira Pinto

Eduardo Teixeira Pinto – O Prazer de Fotografar

.

Pub

Categorias: Agenda

About Author

Pedro Costa

Diretor e editor.

Write a Comment

Only registered users can comment.