25/11 | Adote uma árvore, adote uma vida

25/11 | Adote uma árvore, adote uma vida

Pub

Deseja um mundo mais verde: mais respirável, mais saudável, mais sustentável?

Nesse caso, aproveite a campanha que o município de Famalicão lançou na primavera passada, faz amanhã precisamente 7 meses, e adote uma árvore, adote uma vida. Apareça amanhã na Praça Cupertino de Miranda, das 9h00 às 13h00, e levante a árvore ou arbusto do seu gosto.

 

 

No âmbito do Projeto “25000 árvores para 2025”, e depois de já o ter feito em 25 de março passado, a Câmara Municipal volta a disponibilizar árvores e arbustos autóctones para que os munícipes as possam “adotar, criar e mimar” onde muito bem entenderem.

As espécies disponibilizadas são o alecrim, o azereiro, o azevinho, o carvalho português, a cerejeira brava, o loureiro, o medronheiro, o pilriteiro, o rosmaninho, o sobreiro e a urze. Em março passado, de acordo com a autarquia, foram “mais de 1000 os que se dirigiram à Praça Cupertino de Miranda para levantar, de forma gratuita, árvores e arbustos autóctones”. Na altura, as espécies de pequeno porte foram as mais procuradas pelos famalicenses.

 

Na esfera da campanha “25000 para 2015” , os alunos da Turma 5º 7 da EB2,3 Júlio Brandão tiveram também ontem uma aula de Ciências Naturais diferente. Em vez de estudarem utilizando os manuais, os cadernos diários e os lápis ou esferográficas tradicionais, os alunos meteram mãos à obra e fizeram as primeiras sementeiras do novo berçário de árvores autóctones da escola sob o olhar atento de paulo Cunha, o Presidente da Câmara Municipal em exercício.  Neste espaço, irão nascer e desenvolver-se exclusivamente árvores e arbustos nativos da região que mais tarde irão ajudar a reflorestar o território concelhio, quiçá através do protocolo que a autarquia estabeleceu com o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e que visa apoiar os silvicultores locais que pretendam reflorestar com espécies indígenas os seus terrenos.

Segundo o município, “de acordo com o protocolo, o proprietário assume os trabalhos de preparação dos terrenos para a plantação das árvores, ficando impedido de as abater por um período mínimo de 15 anos. Em troca, a autarquia compromete-se a financiar o projeto de arborização do terreno que deverá ser submetido ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e a custear e a ceder as árvores a plantar, ajustando com os proprietários as condições de plantação, respeitando os usos de propriedade.”

O projeto ambiental “25 mil árvores para 2025” já terá permitido plantar aproximadamente 2 mil árvores até ao momento. No âmbito deste projeto, “cujo grande objetivo passa pela reabilitação de aproximadamente 25 hectares do território concelhio através da plantação de 25 mil árvores e arbustos nativos da região em áreas urbanas, espaços rurais, ao longo das linhas de água e em montes e serras, a autarquia inaugurou em novembro de 2016 o primeiro berçário municipal de árvores, no respetivo horto, onde foram efetuadas quase 70000 mil sementeiras.”

 

Pub

Categorias: Agenda

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Pedro Costa

Diretor e editor.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.