As ondas do mar são como as mulheres

As ondas do mar são como as mulheres

Pub

As ondas do mar são como as mulheres
às vezes serenas e dóceis,
como a frescura de um baptismo
que nos lava da certeza
de uma morte infinita.

Outras vezes agigantam-se
e são um mar revolto de fome
e de sede
de conquista da terra.

Agigantam-se tenebrosamente
para engolir a servil lida masculina
e são a espuma a borbulhar
como o clamor de um mar exaltado.

Essas mulheres com íntimos abismos
de uma profundidade oceânica
elas são o vício e o precipício
que enleva a nossa verticalidade.

Elas são o oceano da nossa alegria.

 

Imagem de destaque: Mário Cesariny (pintura); disponível em Blogue Rua das Pretas.

Pub

Categorias: Cultura

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

José Miguel Oliveira

José Miguel Oliveira nasceu a 26 de maio de 1973. É natural da freguesia de Delães, no concelho de Vila Nova de Famalicão onde reside, e professor de filosofia no ensino secundário em Vila das Aves. Em 1994 publicou o seu primeiro livro "Primeira Palavra"; em 2008 foi publicado na antologia "Os dias do Amor"; em 2009 na antologia "entre o sono e o sonho" e em 2012 na "nova antologia de poetas alentejanos". Alguns dos seus poemas podem ser lidos no sítio deliriospoeticos.blogspot.com

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.