Ana Queirós

Ensino | O primeiro dia de escola chegou. E agora!?…

Ensino | O primeiro dia de escola chegou. E agora!?…

Pub

 

 

O primeiro dia no jardim-de-infância ou escola é, inegavelmente, um momento importante para as crianças que dão o primeiro passo rumo à independência, e para os pais, que se apercebem da passagem do tempo e de como o seu bebé está a crescer.

É esperado que a criança fique um pouco ansiosa com esta nova etapa na sua vida, compreende-se que, na maioria das vezes, situações que se apresentem como desconhecidas ou novas gerem alguma ansiedade ou medo. Que haja choro quando os pais voltam as costas, é também para eles difícil a separação.

No entanto são os pais quem, por norma, não conseguem esconder as suas preocupações. Quando deixam a criança pela primeira vez na instituição de ensino, a ansiedade e angústia fazem-se presentes e, não raramente, também se fazem notar com as lágrimas no momento do “adeus”. São múltiplas as preocupações e medos que avassalam os corações de muitos pais e crianças naquele momento. Entre outras, o medo de entregar o seu bem mais precioso a uma educadora desconhecida, o medo que algo de mal lhe aconteça, que se magoe e que não estejam presentes para a proteger, o sentimento de culpa por deixá-la e que esta se sinta abandonada.

Considerando todo este processo e a panóplia de sentimentos a ele associado, a criança tende a procurar nos pais uma referência de comportamento. Se a criança tem uma perceção clara do estado ansioso e preocupado por parte dos pais, entende aquela situação como difícil e dolorosa. Por outras palavras, ao perceber a insegurança e ansiedade dos pais maior será a dificuldade da criança na separação e na adaptação ao seu novo ambiente. É, por isso, importantíssimo que os pais consigam controlar a sua ansiedade. Se contrariamente se mostram seguros, tranquilos e confortáveis, estão não só a ajudar a criança nesta fase como, também, a ensinar-lhe como ultrapassar outras que vão surgir no seu percurso.

A ida pela primeira vez, seja ao jardim-de-infância seja à escola, deve ser explicada à criança, valorizando-se os aspetos positivos, tais como os amiguinhos novos e as novas aprendizagens e respondendo às dúvidas da criança com honestidade. Deste modo a preparação ganha particular importância na estruturação desta nova etapa na vida quer dos pais como da criança.

Fazer da educação da criança um trabalho de equipa, ser próximos e participar de forma ativa, procurar a educadora e em conjunto trabalharem em prol da equipa que agora formam e que pretendem levar a bom porto, ser consciente dos papéis que cada um desempenha e comunicarem entre si sempre que necessário. A familiarização com o novo ambiente que a criança integra fará com que os pais sintam uma maior segurança e motivação, o que consequentemente deixará a criança, também, mais tranquila.

No caso das crianças que ingressam no 1º Ciclo de Ensino Básico, é sobremaneira importante envolvê-las na compra dos materiais escolares. O incentivo da ida para a escola dos “crescidos” irá ajudá-los a criar uma visão positiva em relação à escola.

É importante respeitar e perceber, sem qualquer juízo de valor, que cada criança tem o seu próprio ritmo e individualidade e que por consequência, também, o tempo de adaptação de cada uma será distinto.

Pai deixa a filha na escola pela manhã. Imagem: Pedro Costa (fotografia; set/2017).

 

Imagens: Pedro Costa (fotografia; set/2017).

**

*

Se chegou até aqui é porque provavelmente aprecia o trabalho que estamos a desenvolver.

A Vila Nova é gratuita para os leitores e sempre será.

No entanto, a Vila Nova tem custos associados à manutenção e desenvolvimento na rede.

Se considera válido o trabalho realizado, não deixe de efetuar o seu simbólico contributo sob a forma de transferência bancária.

MB Way: 919983484

Netbanking ou Multibanco:

NiB: 0065 0922 00017890002 91
IBAN: PT 50 0065 0922 00017890002 91
BIC/SWIFT: BESZ PT PL

*

Pub

Categorias: Sociedade

Acerca do(a) Autor(a) do artigo

Ana Queirós

Psicóloga Clínica, Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde. Adquiriu experiência profissional no desenvolvimento de actividade enquanto psicóloga, na área clínica, da saúde e comunitária.

Escreva um comentário

Apenas utilizadores registados podem comentar.